Mulher
Com que roupa eu vou?

Festa junina pede traje caipira

01/07/99

Vestidos de chita, muita cor, babado e fita de cetim. Retalhos e desenhos, aventais e saias rodadas. Assim são os modelos que seguem o típico “traje caipira”. As festas juninas e julhinas pedem roupas que combinem com o folclore das quadrilhas. Preparar um traje, mesmo que seja para ser utilizado em apenas uma noite, é mais simples do que parece. Não é necessário nem mesmo comprar ou mandar fazer. Pode ser alugado ou inventado, ao gosto do freguês, com o que já se possui. Um aluguel custa, em média, R$ 15 por dia. Mas, como montar um traje bem caipira?

Em primeiro lugar, aconselha Letícia Nogueira, proprietária de uma loja de aluguel de roupas, é preciso diferenciar o junino do country . “O traje country é mais urbano. Pode-se dizer que ele é mais chique, mais produzido que o caipira. O country é basicamente jeans e muito couro”, afirma Letícia. Segundo ela, é possível ir a uma festa junina com roupas country. O ideal, reconhece, é mesmo o caipira. “ É mais divertido. Os retalhos, as cores e o chapéu de palha fazem dele um traje mais alegre. Enquanto o country está para o arrumadinho, o caipira está para o feio”, opina.

Para montar o figurino típico com o que já se tem em casa, a costureira Aparecida Nascimento Pereira ressalta que os homens podem utilizar camisa xadrez e calça jeans. Usar falsos remendos com retalhos é fundamental. Quem procurar algo mais produzido pode utilizar um colete e aplicar pedaços de panos diferentes ou saco de linhagem (o pano de chão comprado a R$1 em lojas do centro da cidade) desfiado nas pontas. Outra alternativa é pegar um lenço e pregar pipocas com pequenos pontos feitos a mão. “Para terminar, a falta de combinação entre as peças de roupa dão o toque caipira engraçado, afinal é o feio e o fora de moda é que vão chamar a atenção.”

Já as mulheres têm o vestido florido e a meia calça colorida como base do traje. Lacinhos de fita ou pequenas bandeirolas podem ser presas ao vestido. Outra opção é pegar um avental e enfeitá-lo com remendos ou o que a criatividade mandar. “Muita cor na maquiagem não pode faltar. E você ainda pode optar por fazer uma jeca mais atual, com roupas fora de moda fazendo combinações engraçadas. Lembre-se, o bonito da festa é o mau gosto”, ressalta.

Colaboração: Luciana Lima,
estudante do 6º período
da Faculdade de Comunicação da UFJF

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.