Mulher

Culote - polegadas a mais abaixo do Equador


Repórter Ana Maria Reis
17/10/2000

Sabe aquela curva, aquele morrinho, enfim, aquela pelanca que atrapalha a silhueta? Claro que sabe, aliás, todas sabemos. Ele é o grande mal das latinas. As mulheres que nascem abaixo da linha do Equador são do tipo ginóide (que acumula gordura no bumbum, cintura e pernas). Com o agravante de termos 4% de gordura a mais que os homens na massa corpórea. É, a genética pode explicar o porquê de ele, o chamado culote, estar segregado bem ali, mas conviver com as polegadas que tiraram o título de miss universo de Marta Rocha é um suplício para qualquer mortal.

Como saber se temos?
Fique de pé e una as pernas. Para ter exatidão nos números, peça a alguém que dê a volta com a fita métrica contornando o seu quadril (sua mãe ou uma amiga do peito que não iria lhe desanimar nunca). O culote normalmente varia de 80 cm a 1 metro. Se ele for menor que 90 cm, pode considerá-lo pequeno. Até 100 centímetros, médio. Mas se ele for maior que 1 metro, por favor, não saia correndo em direção à mesa de cirurgia. Leia esta matéria primeiro.

Tipos de culote
Mais fibroso - consistência dura devido ao espessamento de fibras localizadas na camada mais profunda da pele, que tecem algo semelhante a uma teia e formam a celulite num estágio mais avançado

Menos fibroso - pequeno, macio e acompanha quadris de forma quase harmônica. Neste caso, a celulite encontra-se em estágio inicial

Não-flácido - aqueles em que a lipoescultura pode ser a solução de todo problema

Flácido - normalmente ele é grande, quando não, exagerado. Não é indicado uma lipo logo de cara. O limite da retirada de gordura do corpo deve ser sempre respeitado, dependendo da elasticidade que a pele apresenta

Procure uma solução para você:

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.