Mulher

A acne ou espinha é causada pelo aumento de produção de um óleo mais espesso pela glândula sebácea da pele, que não consegue sair e a entope (cravo ou comedão). Este óleo viscoso, parado dentro da glândula, facilita o desenvolvimento do Propioniobacterium acnes, aparecendo então as espinhas.

A lesão inicial é o cravo, branco ou preto. Se não tratados, aparecem depois as pápulas vermelhas, pústulas, e dependendo da gravidade os nódulos, cistos e finalmente as cicatrizes. O ideal é tratar cedo, para evitar cicatriz. Os nódulos e cistos provavelmente darão cicatriz.



Paciente após 6 meses de tratamento com a Isotretinoína (Roaccutan)
  • O que causa a acne?

    Em todos os casos, a acne é causada por hormônio masculino, por isso a acne do homem é mais grave e duradoura. A mulher também tem normalmente pequenas quantidades destes hormônios. Quando encontramos uma mulher com acne mais grave, obesidade, aumento de pelo na face e corpo, muito óleo no couro cabeludo e face (seborréia), sempre deve ser feita uma pesquisa hormonal, para afastar a hipótese de existência de Ovário Micropolicístico ou de alteração da glândula suprarenal, que aumentam este hormônio e faz a acne ser mais grave e persistente.

    Na grande maioria dos casos, no entanto, não há um desequilíbrio hormonal no sangue, é uma sensibilidade exagerada ou familiar da pele aos hormônios masculinos normais da mulher. É muito importante perguntarmos sobre o uso de filtros solares, cremes hidratantes ou cremes pós barba gordurosos, ou uso profissional de óleos na pele, pois estes produtos podem estar entupindo as glândulas e provocando acne.

    Vários medicamentos orais podem causar acne. Os principais são os anabolizantes, cortisona oral, tópica ou inalada, Complexo B, barbitúricos, anticonvulsivantes, hormônios androgênicos e outros. Às vezes a tensão emocional pode agravar ou desencadear a acne.



  • Alimentos como carne de porco, chocolate e amendoim causam acne?

    Não, e hoje não se dá nenhuma dieta aos pacientes de acne.

  • O sol é bom para espinhas?

    O sol, no início, resseca superficialmente a pele e cobre as pequenas manchas de acne, mas, com o tempo, ele engrossa a pele na saída do poro, dificultando mais ainda a saída do óleo natural, por isso provoca a Acne Solar. Vemos muito isso na época da praia, quando aparecem muitas espinhas na face e tronco, o que é agravado pelo uso de óleo de bronzear e filtros solares gordurosos.

  • Mesmo a acne desaparecendo com a idade, convém tratá-la?

    As espinhas são consideradas comuns na adolescência, mas elas influem muito na auto estima dos pacientes e, por isso, todas devem ser tratadas. O tempo de duração da acne é muito variável e, as vezes, pode continuar até a idade adulta. Quando a acne aparece só na mulher adulta, deve-se sempre afastar alguma causa hormonal, uso de cosméticos muito gordurosos ou de medicamentos que possam agravar a acne.

  • Como se trata a acne?

    Quando a acne é pouca, pode-se usar somente remédios tópicos à base de eritromicina, clindamicina, peróxido de benzoíla, ácido retinóico, azelaico, isotretinoína e adapalene. Se a paciente tem muita acne, tenta-se antibióticos sistêmicos em baixa dose (tetraciclina, minociclina ou doxiciclina), mas que às vezes não resolve satisfatoriamente a acne.

    Quando a acne é grave ou leve, mas resistente aos medicamentos acima, em pessoas muito vaidosas ou que necessitam de uma pele boa (exemplo, uma modelo), existe o medicamento oral Isotretinoína. Há 20 anos já é usado nos EUA, com liberação pelo FDA (que é um órgão de controle americano super rigoroso). Cura 90% dos pacientes em uma só série de tratamento. É fantástica a ação deste medicamento!

    Seus efeitos colaterais são secura na pele e lábios, sensibilidade na pele, leves dores musculares e ósseas. A grande restrição é que não pode ser usado na gravidez ou engravidar até 1 mês após o tratamento. Durante o tratamento faz-se controle periódico do colesterol e triglicérides, já que o medicamento tira o óleo da pele e joga no sangue, mas seus efeitos colaterais são totalmente controlados! Acho até que, fora a gravidez, todos seus efeitos colaterais são menores do que o uso prolongado de antibiótico.

Cristina Mansur
é dermatologista e professora da UFJF.
Saiba mais clicando aqui.

Sobre quais temas (da área de dermatologia) você quer ler? Envie um email para: redacao@acessa.com

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.