Saúde

Os cuidados nos primeiros momentos de vida

Para a mulher que se prepara para ser mãe, saber um pouco mais sobre o comportamento rotineiro do recém-nascido pode ajudá-la na tarefa de tornar os primeiros dias de seu bebê mais saudáveis.

05/03/99

Recém-nascido é a criança desde o nascimento até completar 28 dias de vida, perído em que é totalmente dependente dos cuidados maternos. Essa dependência e as respostas progressivas que a criança demonstra aos cuidados maternos fortificam o sentimento de afeto entre mãe e filho. O elo fundamental deste relacionamento é a amamentação que, em qualquer circunstância, deve ser estimulada. É também desejável que os cuidados com o recém-nascido, mesmos os mais elementares, sejam prestados pela própria mãe.

Conheça melhor o comportamento do recém nascido sabendo um pouco sobre sono, choro, regurgitação, funcionamento intestinal, soluços e espirros, hidratação, banho, umbigo, visitas, vacinação, teste do pezinho.

Sono:
Na primeira semana, o recém-nascido dorme de 15 a 20 horas por dia, porém alguns não dormem entre as mamadas, ficando acordados por várias horas.

Choro:
No recém-nascido normal, é a expressão de algum desconforto. São casos freqüentes: a fome, a sede, o frio, fraldas molhadas, as roupas apertadas e/ou incômodas, a coceira, as cólicas e a irritabilidade por excesso de estímulos ambientais.

Regurgitação:
É comum e consiste na devolução freqüente de pequeno volume alimentar, logo após as mamadas. Quase sempre, o leite volta ainda sem ter sofrido ação do suco gástrico. Se o ganho de peso do bebê for satisfatório, consideramos uma situação normal e benigna, nada sendo preciso fazer para corrigir.

Funcionamento Intestinal:
No início, as fezes são meconiais (verde bem escuro, quase preto e grudentas, parecendo graxa), depois se tornam esverdeadas com muco e, posteriormente, amareladas e pastosas. As crianças amamentadas ao seio materno, habitualmente, apresentam várias evacuações por dia, com fezes liqüefeitas, sem repercussão para sua hidratação, não necessitando, portanto, de tratamento.

Soluços e espirros:
Os soluços são freqüentes quando a criança está descoberta, na hora do banho, quando manuseada e, as vezes, após as mamadas. Não provocam nenhum mal e cessam espontaneamente. Os espirros ocorrem freqüentemente e não devem ser atribuídos a resfriados.

Hidratação:
Ofereça água filtrada e fervida, nos intervalos em que a criança estiver acordada. Nos dias quentes e quando o bebê estiver com febre, deve-se aumentar a oferta de líquidos. As crianças amamentadas ao seio, usualmente, aceitam pouca hidratação, pois o leite materno supre todas as suas necessidades.

Banho:
Ele deve ser diário e, nos dias mais quentes, pode ser repetido várias vezes, sempre com água morna e limpa, usando sabonete comum. Enxugar bem após o banho, principalmente nas regiões de dobras para evitar as assaduras. Evitar o uso de óleos industrializados e talco na pele do bebê (o talco pode provocar rinite alérgica).

Umbigo:
O coto umbilical cairá espontaneamente entre o 5º e o 14º dia de vida. Alguns recém-nascidos apresentam um umbigo grosso e gelatinoso o que poderá retardar sua queda até em torno de 25 dias. Pode ocorrer discreto sangramento após a queda do coto umbilical que não requer cuidados especiais. Até o desprendimento, o coto deverá ser envolvido em gaze esterilizada embebida em solução de álcool absoluto. Após a queda, deverão ser feitos curativos com Merthiolate® durante uma semana.

Visitas:
Durante o primeiro mês, não há necessidade de que a criança saia de casa. Deve-se evitar levá-la a locais muito aglomerados. As visitas de parentes e amigos são gratificantes para os pais; porém, pessoas portadoras de infecção respiratória , lesões de pele e diarréia não devem ter contato com o recém-nascido, devido sua grande vulnerabilidade a essas doenças.

Vacinação:
No 1º mês de vida, devem ser administradas as seguintes vacinas: BCG intradérmico (contra a tuberculose) Engerix® B - 1ª dose (contra a hepatite B)

Teste do pezinho:
É realizado na primeira quinzena de vida e, muitas vezes, é realizado ainda na maternidade. Ele diagnostica doenças metabólicas como o hipotireoidismo e a fenilcetonúria, que podem provocar lesões cerebrais irreversíveis se não diagnosticadas e tratadas precocemente.

Fonte: http://www.ronet.com.br/~babydoc/rn.php

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.