Casa

Construção de área de lazer residencial com piscina Construir uma piscina não é uma obra fácil e nem barata. Além dela, outros detalhes são importantes para compor o ambiente

Priscila Magalhães
Repórter
29/10/2008

Ter uma piscina em casa está deixando de fazer parte apenas da vontade e está se transformando em realidade, mesmo que seja no projeto arquitetônico. Segundo o arquiteto Carlos Gouvêa Júnior, na maior parte dos projetos feitos por ele e sua sócia, os clientes pedem a previsão de uma piscina. "Nos últimos três meses, todos os projetos que fizemos tinha a previsão da piscina e da área de lazer."

Na maioria dos casos, a área da piscina não é construída logo após o término da residência, o que é explicado pelo alto investimento. "O alto valor não está só na execução, mas, também, na manutenção", diz.

Outro fator que provoca a elevação no valor da obra, é o fato de uma área de piscina não ser composta apenas por ela. "Piscina tem que ter elementos que combinam com ela, dando um clima de verão", explica ele. Os elementos que vão dar esse clima são espreguiçadeiras, pedras, decks de madeira, quiosque e uma área de churrasqueira.

As áreas cobertas são importantes nesses casos. Assim, as pessoas podem fugir do sol forte sem sair do clima. Carlos Júnior diz que o ideal para compor esse ambiente é mesclar a grama, com o deck de madeira e um tipo de pedra mais clara. Entretanto, seria interessante deixar a grama somente como composição, distribuindo as pedras sobre elas para que não seja necessário pisar na grama. "Por mais limpa que seja, acaba sujando a piscina, pois sempre há terra."

Outra dica do arquiteto é colocar coqueiros, quando a área é muito aberta. "Eles dão uma sensação de verão, de um ambiente praiano." Mas ele chama a atenção para o fato de que este tipo de árvore é ideal para locais bem abertos para não tampar o sol. Mais próximos à piscina é recomendável usar uma vegetação mais baixa, com folhas que não caiam muito e não sujem a piscina.

A arquiteta Juliana Mara diz que, se o objetivo for dar ao espaço um caráter de área de descanso, seria interessante aliar uma banheira de hidromassagem ou um ofurô à piscina. "Assim, é interessante colocar um deck de madeira entre eles. Se colocar pedra, é importante escolher uma que não esquente muito, como a São Tomé", completa.

Instalação

Juliana diz que as piscinas podem ser instaladas em qualquer local, desde que, antes, alguns detalhes sejam observados. Ela explica que a primeira providência é verificar o local para ter mais informação sobre o subsolo. "Tem que observar se há alguma rocha no meio do terreno ou lençol freático. Se for em uma casa já construída, essa sondagem é importante para detectar a presença de tubos de água e esgoto no local", diz.

foto de piscinas Os dois arquitetos apontam soluções para quem mora em apartamento. Juliana diz que é importante procurar o engenheiro estrutural do prédio ou um outro profissional da área. Só eles vão poder dizer se é possível adaptar a piscina. "O peso dela causaria um impacto muito grande na estrutura do edifício."

Carlos Júnior completa, dizendo que, neste caso, as piscinas de azulejo não são recomendadas. "Corre-se o risco de haver infiltração." O ideal é a adaptação dos modelos de fibra de vidro ou de vinil. "As de fibra são mais leves, mas com o tempo elas trincam e podem começar a vazar", esclarece. Uma solução é colocar uma banheira de hidromassagem. "Ela pode ser usada com as duas funções. Neste caso, o ambiente fica mais íntimo."

Ele alerta que a adaptação de piscinas em coberturas precisa ser bem planejada, pois pode ser um investimento de risco. Como não se pode furar o piso, é preciso fazer uma elevação. Por isso a piscina não pode ser muito profunda. "O ideal é que tenha até um metro de profundidade. Se for maior, vai ter que construir muitos degraus ou níveis na cobertura para a pessoa ir subindo e não perceber." Outro ponto é fazer a impermeabilização adequada. "Se começar a vazar tem que tirar tudo e nem sempre descobre-se onde está a trinca."

Tipos de piscinas

O tipo de piscina vai depender da necessidade de cada um. "Se dez pessoas vão usar, não há porque colocar uma piscina pequena", diz Carlos Júnior. Outro ponto é levar em consideração o tamanho do terreno. "Se o espaço é de 35 m², não se deve construir uma piscina com 30 m²", completa ele.

foto de modelos de piscinas Juliana diz que outros fatores também são levados em consideração no momento da escolha, como o local, a durabilidade, o tipo de acabamento, o valor do investimento, o formato diferenciado e o custo da manutenção.

A mais cara e mais trabalhosa para adaptação é a piscina de concreto. "Tem que cavar o buraco, fazer a armação de ferro, colocar o concreto, impermeabilizar, revestir e rejuntar. O revestimento tem que ser próprio para piscina, que ofereça pouca absorção de água", lembra Carlos Júnior. Entretanto, há a possibilidade de serem construídas em formatos diferenciados e, se bem feitas, têm vida longa. "Sendo bem construídas, compensa", diz Juliana.

As de vinil têm uma base de alvenaria e filme de PVC. Entre as vantagens estão a facilidade na instalação e a possibilidade de ser no tamanho e formato que o cliente desejar. "Com a manutenção correta, a durabilidade é grande", completa Juliana. Para aumentar a vida útil, uma dica da arquiteta é tomar cuidado com os objetos cortantes para não estragar o PVC.

Os modelos de fibra de vidro são os mais comercializados. Como vêm prontas, não há a opção de escolher um formato diferenciado. Segundo Juliana, a durabilidade está em torno dos dez anos e a instalação também é rápida. Uma dica é escolher as fibras mais grossas, o que contribui para aumentar o tempo de uso.


Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.