Especial 100 anos de Imigração Japonesa

Objetos japoneses proporcionam leveza à decoração Madeira, flores naturais e objetos simples compõem a decoração em estilo japonês. É necessário conhecimento para misturar objetos de culturas diferentes

Priscila Magalhães
Repórter
08/07/2008

Simplicidade. Isto significa que poucos objetos devem compor a decoração de um ambiente e é o que a estética japonesa pede na hora de decorar. "Neste caso, menos é mais", diz o arquiteto e publicitário Marcelo Kneip.

Por isso, não é aconselhável colocar muitos objetos em uma mesma estante e menos ainda misturar peças de várias culturas sem saber o significado de cada uma.

"Não há problemas em misturar objetos de diferentes culturas. Porém, deve-se estudar sobre elas, já que cada uma tem um significado diferente", aconselha.

Ele alerta para o uso de peças japonesas e chinesas em um mesmo local. As primeiras foram influenciadas pelas segundas, mas seguem estilos diferentes. "As japonesas são mais simples, enquanto as chinesas têm mais detalhes".

Segundo ele, não existem restrições para a decoração com objetos japoneses. Eles podem ser usados em qualquer ambiente. Também não existem padrões para as cores das peças. Para ambientes internos, são usadas as gueixas, espadas e outras imagens cheias de significado.

Entre as peças usadas para a decoração de salas, quartos ou escritórios estão o darumá, uma espécie de boneco. "Quando fazemos um pedido, pintamos um dos olhos dele e quando o pedido se realiza, pintamos o outro". Há também a espada wakizashi, usada pelos guerreiros japoneses. "São duas espadas. Elas eram usadas pelos samurais", explica.

Foto de pergaminho chinês Foto de espada Foto de arranjo com bambu Foto de gueixa

Não há necessidade de ter objetos muito elaborados e caros para decorar. Em seu escritório, Marcelo usou objetos simples. No local, encontra-se o sino budista, o gato da sorte, o dragão, símbolo da prosperidade, gueixas, o masu - aquele copo quadrado de tomar sake - e as tradicionais luminárias. Para o interior, ele usou em cor mais clara, com detalhes em preto.

Mas o fato de as peças serem simples e o uso em grande quantidade não ser aconselhado, não significa que a decoração no estilo japonês não deixe o ambiente alegre. Ele garante que as peças dão vida ao ambiente, principalmente as plantas naturais. O ikebana é um arranjo de flores muito usado. "Ele deixa o ambiente mais harmônico", garante.

Foto de boneco sino budista e masu Foto de gato da sorte Foto de luminária

As flores mais tradicionais do Japão são a tuia azul e o junípero, encontradas facilmente em qualquer floricultura da cidade, segundo o arquiteto. Além disso, para ambientes internos ou externos, ele também diz que um arranjo pode ser feito com bambu.

Para a varanda, por exemplo, uma boa dica é fazer um jardim usando o paisagismo japonês. Marcelo colocou pedras brancas em volta das plantas, o chamado jardim zen. Para completar, uma lanterna japonesa foi usada. "No Japão, essa lanterna acende mesmo nos jardins". Além disso, pendurou algumas luminárias vermelhas na varanda.

Marcelo diz que o Japão está na moda há cerca de cinco anos. As lojas oferecem os objetos e as pessoas incorporam. Ele garante que algumas peças não são caras, mas faz um alerta para o uso dos ideogramas. "É uma coisa mais contemporânea usá-los na decoração, mas é preciso tomar cuidado com o significado".

Foto de luminária Foto de jardim zen Foto de lanterna do jardim

O estudo e o gosto pela estética japonesa são de longa data. O que chama a atenção do arquiteto por este tipo de decoração é a simplicidade. "Há uma valorização da composição, da madeira e da simplicidade".

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.