• Assinantes
  • JF 165 Anos
     Sandra Guarilha 19/05/2015

    Brincar, simplesmente brincar!

    brincarFalar sobre a infância não é algo simples. Precisamos, antes, iluminar e observar o desenvolvimento da criança segundo as leis universais que regem seu crescimento, considerando que todo ser humano, com toda sua individualidade, segue, devido a sua natureza, determinadas leis do desabrochar da personalidade em ciclos rítmicos. Forças formativas e anímicas atuam desde o nascimento e se transformam constantemente.

    A infância, uma importante parte de nossa vida, não deve ser considerada separadamente, mas como uma etapa em que os fundamentos afetivos e volitivos, que fazem do homem racional um ser moral e social, devem ser criados.

    A vontade atua soberana enquanto criança e natureza se misturam numa única realidade. São forças formativas trabalhando, perpassando todo o seu ser. Podemos ver como isso acontece observando o bebê, a cada dia, conquistando seu corpinho.

    O passo seguinte, o andar e ouvir, momento em que "pega" as palavras e as experimenta tentando repeti-las, ao mesmo tempo em que pega os objetos e começa a imitar a ação do adulto . Quer lavar a louça, quer varrer a casa, gosta do movimento que faz, gosta de repeti-los e ouvir o barulho que surge ao movimentar os objetos.

    Em torno dos três anos surge uma nova capacidade e a fantasia se torna visível. Nesse momento as forças formativas se colocam à disposição da fantasia e da memória. A criança já é capaz de transformar os objetos que encontra. A criança olha o banquinho e, de repente, vira-o de pernas para cima e entra nele, dizendo estar andando de barco.

    Essa atividade precisa ser estimulada. Como podemos ajudar? Uma maneira simples seria deixar que a criança encontre objetos rústicos no seu ambiente, materiais como sementes, frutos, pedaços de madeira sem forma definida, pedaços de pano ou lã natural, que possam transformar de acordo com a necessidade da brincadeira. Os brinquedos que já têm formas prontas não podem contribuir nesse processo pois não oferecem a oportunidade de serem completados pela imaginação.

    Estas forças que se liberam para atuar na fantasia precisam se desenvolver através do brinquedo. As crianças devem brincar simplesmente.

    Quando brinca não tem a preocupação de integrar o fruto do brincar à vida social. Para isso precisamos educá-la de maneira que as forças criativas inerentes à brincadeira se conservem assim, cheias de vida, enquanto cresce.

    A fantasia, que se desenvolve pela transformação da vontade, contém em si a força criadora.
    Conduzindo a criança no seu crescimento proporcionando oportunidades para que seja vivaz e criativa, ativamos um pensar vivo e criador que mais tarde se tornará consciente ajudando o ser adulto na busca de novos caminhos sociais, em liberdade.

    (extraído do texto – Criança, Movimento e Transformação)

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.