• Assinantes
  • Cidade

    Cerca de 1.500 trabalhadores do setor moveleiro paralisam atividades em Ubá

    Categoria fez nova manifestação nesta quarta, 19, para reivindicar reajuste de 9,62%, que corresponde a reposição inflacionária

    Envie a sua foto pelo link SUA NOTÍCIA, clique aqui
    19/04/2017

    Funcionários das fábricas de móveis de Ubá voltaram a manifestar na manhã desta quarta-feira, 19 de abril. A protesto teve início às 10h, na praça Guido Marliere, e seguiu até a sede do Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Mobiliário de Ubá (Intersind). Durante a semana, cinco empresas do polo moveleiro aderiram ao movimento, que tem como objetivo reivindicar reajuste de 9,62%, que corresponde a reposição inflacionária. Segundo o Sindicato dos Marceneiros de Ubá, cerca de 1.500 trabalhadores estão parados desde segunda, 17.

    De acordo com o Intersind, foi oferecido 8% de reajuste escalonado, sendo 3% em outubro, 2% em janeiro e em março mais 3%, ambos valores a serem calculados sobre o salário vigente em agosto de 2015. Segundo Sindicato, alguns trabalhadores já demonstraram interesse em aceitar o percentual de 8%, no entanto, não abrem mão do retroativo que corresponde a data-base de setembro. Como categoria e empresários não entraram em acordo através de negociação direta, dissídio coletivo foi instaurado e corre na Justiça do Trabalho.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.