Cultura

Exposição de quadros com personagens da Turma da Mônica traz Mauricio de Souza a JFDe quadrinho em quadrinho, Mauricio de Sousa criou quadrões, que podem ser conferidos no Museu de Arte Moderna Murilo Mendes

Aline Furtado
Repórter
11/8/2011
Mauricio de Sousa

Tem início nesta sexta-feira, 12 de agosto, e prossegue até o dia 11 de setembro, a exposição História em Quadrões - Pinturas de Mauricio de Sousa. A mostra, exposta no Museu de Arte Moderna Murilo Mendes (MAMM), reúne quadros e esculturas com personagens da Turma da Mônica, criados por Mauricio de Souza e trouxe o artista a Juiz de Fora. Esta é a primeira vez que a exposição chega a uma cidade do interior de Minas Gerais.

O grande destaque é que as peças são releituras de obras de arte de artistas como Leonardo da Vinci, Michelangelo, Monet, Van Gogh, Portinari, entre outros. Nelas, Mônica, Cebolinha, Magali, Chico Bento, Cascão, Franjinha e outros personagens da turma aparecem posando como personagens conhecidos da arte mundial, como Mona Lisa, Vênus de Milo, Davi etc.

"Tudo surgiu no início da década de 80, quando visitei o Museu do Louvre. Lá, deparei-me com crianças sentadas no chão, fazendo seus desenhos, que reproduziam obras de artistas famosos", conta Sousa. Ele explica que a intenção era atrair famílias aos museus brasileiros. "As pessoas, aqui no Brasil, não têm o hábito de visitar museus. Queria dar a minha contribuição para mudar isso, queria fazer com que as crianças brasileiras soubessem mais sobre arte e pudessem criar suas Mona Lisas."

Sousa afirma que, embora os personagens tenham caráter infantil, a mostra, que já passou por vários municípios do país ao longo de dez anos de montagem e foi vista por mais de um milhão de pessoas, é visitada pela família. "As crianças acabam levando seus pais e irmãos mais velhos." Ele destaca que, por meio das visitas, os pequenos acabam demonstrando interesse em pesquisar e ousar. "Era o estímulo que eu queria proporcionar." Segundo Sousa, as releituras respeitam os elementos originais das obras de arte, entre eles as cores, os movimentos, a iluminação e até mesmo as molduras. "É uma forma de valorizar as peças."

Peças

Em Juiz de Fora, o público poderá conferir 22 obras, sendo quadros confeccionados a partir da técnica de acrílica sobre tela e quatro esculturas. Entretanto, o criador da Turma da Mônica relata que na primeira leva, foram criadas 48 peças, na segunda, mais 30.

Ainda que a ideia tenha surgido no início da década de 80, a produção dos quadros e das esculturas foi iniciada a partir de 1989. "Levei treze anos pintando a primeira leva. Isso porque, tinha todos os meus afazeres e, como não se trata de uma produção com foco comercial, acabei tendo que criar em horários alternativos. Por isso a demora."

Questionado sobre como definiu as obras que serviram como base para sua criação, Sousa conta que, no início dos trabalhos, ele optou pelas obras mais famosas. "Por um motivo óbvio. Busquei os mais conhecidos para despertar o interesse do público. Com o passar dos anos, hoje, já posso ousar mais, abordando obras menos famosas."

Entre algumas peças trazidas para Juiz de Fora estão Mônica Lisa, uma alusão à Mona Lisa, de Leonardo da Vinci; A Lição de Anatomia do Dr. Franjinha, referência à obra de Rembrandt; A Consagração do Imperador Cascão, que faz alusão a A Consagração do Imperador Napoleão I, de Jacques-Louis David e Chico Lavrador de Café, referência a O lavrador de Café, de Portinari. As esculturas, confeccionadas em isopor com revestimento em resina, são O Pensador de Planos Infalíveis, que lembra O Pensador, de Auguste Rodin; e Cebolinha Davi, que alude à escultura Davi, criada por Michelangelo.

Necessidade de adaptação

Chegando, pela primeira vez, às bancas nos anos 70, a Turma da Mônica continua acompanhando crianças e adolescentes. Para Sousa, a fórmula do sucesso está em saber adequar linguagens. "Penso que os personagens ainda agradam porque o trabalho é bem feito, os personagens são fortes e eu, juntamente com minha equipe, busco falar a linguagem adequada ao que está acontecendo." Desde que foi criada, a Turma da Mônica passou por revistas, televisão e cinema, tendo sofrido, ainda, adaptações como a criação dos personagens em mangá, no ano de 2008.

Serviço

A mostra pode ser visitada de 12 de agosto a 11 de setembro, de terça a sexta-feira, das 10h às 18h, e aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h. O Museu de Arte Moderna Murilo Mendes fica na rua Benjamim Constant, 790, Centro.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.