Esporte

Ginásio Poliesportivo As obras estão atrasadas, ainda não foi realizada a licitação para contratar a empresa responsável pelas obras do ginásio. Edital só no final de setembro

Renata Cristina
Colaboração
28/08/2006
Clique no ícone ao lado e veja as fotos do projeto do Ginásio Poliesportivo, fornecidas pela Prefeitura de Juiz de Fora Confira

Ainda sem previsão para o início da construção, o projeto do Ginásio Poliesportivo estacionou em fase de terraplanagem. Apesar de ter sido lançada a pedra fundamental para o início das obras, há quase três meses, mais precisamente em 06 de junho de 2006, de acordo com a Secretaria de Planejamento e Gestão Estratégica (SPGE), ainda não foi realizada a licitação para contratar a empresa responsável pela execução da construção.

O Ginásio será construído em frente ao Estádio Municipal, no bairro Aeroporto, criando um complexo poliesportivo de referência para a região. Em novembro de 2005, o Ministério do Esporte liberou o equivalente a 1,4 milhão para a realização das obras. Um levantamento feito pelo SPGE contabilizou R$ 3.264.235,23 para a primeira etapa de construção e para a fase seguinte, uma verba de aproximadamente R$ 6 milhões.

Segundo o arquiteto idealizador do projeto e assessor da SPGE, Leonardo de Paula, as etapas iniciais, como a hidráulica, hidro-sanitária, de combate a incêndios e de estrutura metálica estão em fase de conclusão. “Só depois da análise dessas etapas é que podemos partir para a fase de concreto, que exige a licitação”, ressalta. Ainda assim, o arquiteto explica que uma outra parte da terraplanagem também será feita a partir de uma licitação. A agenda da obra, portanto, está atrasada, com planos para a publicação do edital de licitação na última semana de setembro.

Durante a assinatura do contrato entre a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) e a Caixa Econômica Federal (CEF), no final do mês de novembro de 2005, o prefeito Alberto Bejani mostrou interesse em disponibilizar a estrutura para os Jogos Panamericanos de 2007. Contudo, o prazo está ficando reduzido, já que a expectativa para a duração das obras é de doze meses, segundo o relato do engenheiro José Maurício Gomes, secretário de Planejamento e Gestão Estratégica da Prefeitura, em entrevista a ACESSA.com, em dezembro de 2005.

A estrutura
“A associação do Ginásio com os Jogos Panamericanos teve influência direta na execução do projeto arquitetônico”, disse Leonardo de Paula. Segundo o arquiteto, todas as medidas obedecem ao padrão internacional, fato que permite a concretização de campeonatos mundiais em Juiz de Fora.

O projeto arrojado reúne o que há de mais moderno no campo da engenharia e arquitetura. As características do terreno, com um aclive acentuado, serão aproveitadas nas quadras, através de arquibancadas com dois metros de rebaixamento em relação aos primeiros assentos, com o objetivo de melhorar a visibilidade dos jogos.

Outro ponto forte está na prestação de serviços associados ao esporte dentro do próprio Ginásio, com sala de fisioterapia, consultório médico, academia de ginástica, salas de aula, salas para árbitros e técnicos, área para imprensa, depósito para materiais esportivos e até um centro administrativo. O quesito acessibilidade também não foi esquecido. “Todas as áreas, incluindo tribuna de honra (camarote) e sala de imprensa possuem formas que facilitam o acesso a pessoas com necessidades especiais”, destacou o arquiteto.

A área construída será de 4.800 metros quadrados e possui um ginásio com capacidade para receber seis mil espectadores. Na área externa, será construído um palco, dentro do estacionamento, voltado para shows e festas na cidade. “O ponto alto está em criar um ginásio para eventos de importância internacional, mas com uma função didática para atletas”, resumiu.

O Ginásio em números
Local: Em frente ao Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, no Bairro Aeroporto

Números da obra
Área construída: 4.800 metros quadrados
Área total: 6.920 metros quadrados
Custo total do projeto: R$ 9.772.515,27
Investimento na primeira etapa: R$ 3.264.235,23
Recursos federais: R$1.4 milhão
O Projeto
Capacidade para 6 mil espectadores
Vestiários com salas de musculação e descanso
Setor administrativo com salas de uso múltiplo
Palco sob o vão livre da arquibancada (externo)
Cantina com Praça de Alimentação
Sanitários adaptados para o público

Características técnicas
Quadra com piso de madeira
Cobertura em telhas termo-acústicas, apoiado em treliças metálicas, com vão livre de 80 metros
Arquibancada em concreto armado em balanço e/ou apoiada no barranco
Ventilação e iluminação zenitais (feitas por cima)

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.