Infantil

Hálito animal Boca de cães e gatos também deve ser higienizada. Caso contrário, os animais podem desenvolver tártaro, gengivites e até perder os dentes

Sílvia Zoche
27/04/06

Tomar banho e comer são alguns dos hábitos dos humanos que são incorporados aos de animais de estimação. E por que não também escovar os dentes? Tudo bem... Se é complicado, às vezes, fazer as crianças escovarem os dentes, imagine acostumar um bichinho de estimação a receber este tipo de limpeza.

Na verdade, nada tão complicado se a educação começar desde cedo. Mesmo que o seu cão seja um rottweiler ou um pitbull, ou seu gato seja arisco, quando a escovação começa na fase em que ele é filhote, tudo fica mais fácil.

Existem pastas de dentes específicas para os animais e que têm um gosto saboroso, afirma o veterninário Ricardo Palhares Araújo. "Primeiro, o dono vai colocar a pasta de dente no dedo e manipular a boca do animal. No filhote é mais fácil. Depois de um tempo, é que se começa a usar uma escova de dentes", diz. Ele aconselha fazer esta limpeza sempre depois da última refeição. "Como esta pasta não é retirada, vai ficar na boca até o dia seguinte, quando ele for se alimentar de novo".

Além desta limpeza diária, quando levá-lo ao veterinário, veja se há necessidade de se fazer uma higiene mais profunda. Cães e gatos também podem ter tártaros, normalmente, a partir de 3 anos de idade, caso os dentes não sejam escovados. Isso sem falar no hálito, que fica ainda pior com as placas bacterianas, gengivites e cáries que a falta de limpeza geram.

"Uma vez ao ano, em média, é suficiente para a limpeza dos dentes na clínica. Tem um cachorro de 12 anos de idade que vem aqui e não precisa de limpeza, porque é bem cuidado pelo dono. Mas tem outros, que aviso sobre a necessidade, toda vez que vem ao consultório, mas não trazem o animal. Até que um dia, tenho que arrancar 17, 18 dentes, porque estão podres", lamenta. O cachorro possui 28 dentes de leite e 42 definitivos e perda dentária não é normal, só no caso dos dentes de leite.

Ricardo (foto ao lado) ainda conta que teve um cão que chegou com uma fístula abaixo do olho. Foi a inflamação do dente que estava tão profunda que passou para a cara do cachorro. E por que os donos não levam seus amigos para tratarem, antes que isso aconteça? Segundo Ricardo, alguns acham que vão gastar muito. "Se em vez de idas semanais ao pet shop, ele for levado quinzenalmente, dá para fazer a higiene na clínica, e ter a mesma despesa", lembra.

Outro empecilho apontado é que para fazer a limpeza o animal deve ser sedado. Com isso, alguns donos ficam com medo do bichinho morrer. "Aí não faz a limpeza nunca, mas depois traz o animal com hemorragia na boca, porque estava com os dentes todos podres", ressalta. Mais um detalhe. Se o animal for mais velho, é necessário pedir alguns exames para saber como anda a saúde do bicho. "Já teve gente que só ficou sabendo que o animal era diabético, tinha problema renal, porque veio fazer a limpeza".

Donos de cães toys, como o yorkshire, devem ficar mais atentos ainda, porque eles têm uma pré-disposição muito maior que os outros para desenvolver tártaro. Uma das explicações porque as raças grandes possuem menos, é que elas ficam no quintal e não recebem comida de gente como os pequenos.

Os cães, por exemplo, que comem carne exalam cheiro mais forte do que aqueles que são alimentados com ração. "Os que comem ração seca têm o hálito melhor", diz o veterinário. Além da alimentação inadequada, distúrbios gástricos, como gastrite, úlcera gástrica, contribuem para um hálito nada agradável.

E quem acha que ossinhos e biscoitos limpam dentes, engana-se. Ricardo compara com os chicletes para as pessoas. "Não tem chiclete que limpa dentes. Os ossinhos e biscoitos podem ajudar, mas limpar não". Já o osso de boi, realmente, limpa os dentes das raças de cães de grande porte, pelo atrito.

O veterinário enfatiza que é a cultura da limpeza bucal dos animais de estimação é muito difícil. "Hoje, a freqüência é maior que há dez anos, mas isso, porque desenvolvemos o trabalho neste tempo. As pessoas precisam entender que a prevenção é necessária, tanto nos animais quanto nas pessoas. É complicado. É uma questão de costume". E lembra, ainda, que os donos dos animais devem dar mais importância à saúde do animal do que para beleza.

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.