Tecnologia

Tricô e dama são coisas do passado...
Vovôs e vovós entram na era da informática

Sebastiana Vieira Soraes Deborah Moratori
23/07/03

Dia 26 de julho é Dia da vovó e do vovô! Se você está pensando em comprar um chinelinho, é melhor mudar de idéia...

Engana-se quem pensa que programa para a terceira idade é hidroginástica e dança de salão. Cada vez mais interessados em estarem atualizados, idosos e idosas procuram programas específicos para o público e provam que a melhor arma contra o preconceito e a solidão é o conhecimento.

Artesanato, atividades físicas e interpretação teatral são apenas alguns dos cursos oferecidos à terceira idade da cidade que conta com dois projetos na área. O Pólo Interdisciplinar na Área de Envelhecimento da Universidade Federal de Juiz de Fora desenvolve trabalhos junto à população idosa desde 1991 e a Prefeitura de Juiz de Fora, através da Associação Municipal de Apoio Comunitário, mantém o Pró-Idoso.

Terapia digital
Nesses dois programas são oferecidas, entre diversas oficinas, oportunidades para os idosos entrarem em contato com a informática. Windows, Word, internet, Print Artist e Power Point são as opções do curso da UFJF. A secretária do Pólo Interdisciplinar na Área de Envelhecimento, Ana Rosa Aleixo diz que o curso existe há três anos e que a procura sempre foi grande. "São pessoas que estão interessadas em se informar, mas se sentem inibidas em turmas com alunos mais jovens", explica.

Angelo Cavestro Lucy Mendonça Ribeiro de Almeida Ruth Santos Staduto

"É uma terapia ocupacional", afirma o aposentado Sinzenando Mattos Xavier. Há cinco anos no projeto da universidade, ele aprova a iniciativa e conta que já participou de três cursos de informática. "As aulas são muito boas, o professor, um espetáculo", elogia. "Eu procurei o curso para preencher meu tempo e também para saber mais", explica, contando que costuma navegar pela web e que troca e-mails com amigos. O assunto? "Conversa 'fiada' para distrair", responde.

O Pólo Interdisciplinar na Área de Envelhecimento está com inscrições abertas para novos cursos de informática. As aulas têm início no dia 5 de agosto. Quem se interessar pode se inscrever até a primeira semana do próximo mês. São 11 alunos por turma, um aluno por terminal, e há vários horários para as turmas de segunda e quarta-feira e terça e quinta-feira. Podem se matricular alunos com idade superior a 45 anos. A matrícula tem o valor de R$ 45 e a mensalidade custa R$ 30. O pólo funciona na Rua Severino Meireles, 260. Mais informações podem ser obtidas através do telefone 3216-3697.

Remédio virtual
Basta que alguém ensine as inovações tecnológicas aos idosos para que eles percebam que o computador é um forte aliado contra o tédio e a estagnação. A Amac, em parceria com a Prodemge, disponibiliza computadores para os idosos que participam do Programa Internet Sênior acessarem a internet.

Clique aqui para conhecer melhor o Prodemge

Lélia Ribeiro da Silva Ataíde Ventura dos Reis e Flor de Maio Lopes Reis Fernando Mendes Bezerra

A assistente social da Amac, Magda Cristina Ferreira de Oliveira, explica que não são oferecidos cursos de informática. "Nós temos monitores que acompanham os idosos e dão alguma orientação". Há dois anos com essa experiência, Magda explica que os idosos que freqüentam o Pró-Idoso demonstram bastante interesse pela atividade.

"Antes de terem um contato, eles se mostram receosos em relação à tecnologia. Mas depois que descobrem que têm capacidade para lidar com o mundo digital, ficam até com a auto-estima elevada".

A monitora Alessandra Tereza Cerutti (foto), conta que os usuários iniciantes aprendem algumas noções básicas sobre o computador e navegação. "A gente tem que usar uma didática bem especial. Temos que ter paciência e muita calma. Quase todos que chegam ao programa não têm nenhuma noção sobre informática, mas eles aprendem com muita facilidade", elogia.

A monitora explica que a procura pelo serviço é bem grande. Sites de piadas e de jogos são os mais acessados. Mas, de acordo com ela, a maioria dos usuários usa a internet para trocar e-mails com amigos e familiares distantes.

De carteirinha
Internauta assumido, Pedro da Silva, teve contato o primeiro contato com os computadores por acaso. "Eu estava jogando sinuca ali, quando me chamaram para tirar uma foto. Aí a professora perguntou se eu gostaria de aprender. Sem querer dizer não, respondi que sim e pensei 'eu fico aqui hoje e amanhã não volto mais'", conta.

Desde então, o aposentado que faz parte do Programa Internet Sênior do Pró-Idoso diz que não fica um dia sequer sem entrar na Internet. "Minha esposa até briga comigo e pergunta se todo o dia eu tenho que vir. Antes eu nem pensava em mexer, nem chegava perto".

Questionado sobre os sites de que mais gosta, ele responde: "Cada dia eu faço uma coisa, para não repetir sempre a mesma coisa". Os endereços interessantes e o e-mail das monitoras que o ensinaram a lidar com os computadores ficam anotados num caderno. Sr. Pedro conta que uma das vantagens de saber usar a internet é poder ajudar os outros. "Dá para cadastrar o CPF para quem não sabe", exemplifica.

Sem trabalhar desde 1984 e tendo parado de estudar aos 14 anos, ele fala que aprender e conhecer coisas novas serve como incentivo. "Às vezes derrapa alguma coisa, mas aqui eu estou sempre aprendendo. Voltei a ler e a escrever de novo".

Companheiro de viagem
O início é mais ou menos o mesmo para todos. Medo e receio, sensação de que nunca vai aprender... Depois de alguns clicks, "a gente já consegue firmar o mouse". Saulo Aguiar da Silva gosta de acessar sites de jornais na internet. "Eu também entro em páginas de materiais eletro-eletrônicos e que têm receitas culinárias", fala.

O aposentado, que possui computador em casa, usa as máquinas do Programa Internet Sênior para navegar na Web, "em casa eu não tenho internet", explica. Ele conheceu o mundo digital em fevereiro deste ano e, desde então, não largou mais a net. "Eu também uso o e-mail para me comunicar com a minha filha que estuda no Rio de Janeiro. Daqueles sites de conversa eu não gosto", conta, citando os chats.

Receoso, o aposentado também não divulga seus dados em cadastros e não faz compra pela internet. Com um relatório de sites interessantes na mão, Sr. Saulo elogia o programa. "É uma atividade para o cérebro não ficar parado. Esclarece a mente da gente", conclui.

Pode participar do programa quem tem mais de 60 anos. O tempo máximo de permanência no terminal é de 40 minutos. O Centro de Convivência do Idoso Dona Itália Franco onde o programa funciona fica na Rua Espírito Santo, 434. Mais informações, pelo telefone, 3690-7365.

  • Leia também:
    Envelhecimento saudável - uma questão de opção

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.