Mulher

Quanto custa ter um filho em Juiz de Fora?
Despesas variam de R$ 802 a R$ 1.193 por mês
até os seis anos de vida

Deborah Moratori
22/10/03

Para o casal que está planejando ter um bebê, vai aí uma dica: prepare os bolsos! Um levantamento feito pela equipe da ACESSA.com apontou que as despesas com uma criança, da gravidez ao sexto ano de vida, em Juiz de Fora, giram em torno de R$ 802 por mês - isso para papais que não querem ter gasto com babá, optando por uma creche na rede particular por um período de seis horas. Neste caso, durante esses seis anos o desembolso final seria de quase R$ 58 mil, ou seja, o preço de um apartamento de três quartos, localizado no bairro Vale do Ipê.

Para uma criança que vai ficar sob os cuidados de uma babá até os três anos de idade e a partir daí freqüentar uma escola, as despesas mensais aumentam para R$ 1.119. Papais zelosos e abonados que não dispensam a babá, mesmo com o pimpolho estando na creche, não desembolsam menos de R$ 1.193 por mês - ao final de seis anos seriam, pasmem, R$ 80 mil. Haja dinheiro!

Na ponta do lápis
Esses cálculos são resultado de um levantamento baseado nos gastos mais comuns de famílias de classe média com renda mensal entre R$ 2,5 mil a R$ 4 mil. Os cálculos incluem desde as despesas iniciais com o quartinho e o enxoval do bebê até os gastos que uma criança tem para se divertir nas horas de lazer.

Faça os cálculos e veja quanto você gasta com o seu filho (clique)

O investimento mensal com uma criança, claro, depende de muitos itens que podem ser modificados de acordo com a realidade do casal. Algumas despesas como a aquisição de uma babá eletrônica, as festinhas de aniversário com contratação de buffet e os R$ 150 reservados para os presentes de aniversário, Dia das Crianças e Natal podem ser questionadas por uma família mais econômica.

Outros gastos, por exemplo, com fraldas, mamadeiras, bicos, chupetas e vacinas são indispensáveis. Os cálculos também incluem o pagamento de um plano de saúde intermediário que fica a critério de cada família. A opção por não pagá-lo deve ter em mente as despesas de exames e consultas do pré-natal e os gastos com a maternidade, exames e vacinas depois do nascimento do bebê, além das consultas com o pediatra.

Gastos com saúde, se você não optar por um plano (clique)

Tudo no papel
O resultado foi calculado com base em preços levantados em Juiz de Fora no período de 15 a 21 de outubro de 2003 e não levam em conta reajustes com o passar do tempo. Confira os itens que foram levados em consideração:

  • Plano de saúde
  • Guarda-roupa da mamãe
  • Quarto do bebê
  • Infra-estrutura
  • Primeiro enxoval
  • Fraldas
  • Mamadeiras, bicos e chupetas
  • Kit de higiene
  • Babá
  • Creche
  • Vacinas
  • Vitaminas
  • Remédios
  • Educação e atividades
  • Diversão
  • Festas de aniversário
  • Presentes
  • Despesas com alimentação não foram levadas em consideração. Esses gastos vão depender de vários fatores, principalmente, se a criança mama no peito ou não. De qualquer forma, um casal cujo bebê não é amamentado deve fazer um investimento maior no item despesas alimentares. No caso de perda de peso e outros fatores como necessidade da utilização de complementos alimentares, o gasto é ainda maior. Uma lata de Nan (composto alimentar), por exemplo, custa, em média, R$ 38.

    Outros gastos que não entraram no cálculo: despesas com dentista, material e transporte escolar, corte de cabelo e férias.

    Leia mais:

  • Planejando a "chegada da cegonha"
  • Não tenha medo de arriscar
  • Faça os seus cálculos e veja quanto você gasta com o seu filho
  • Gastos com saúde, se você não optar por um plano

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.