Mulher

 

 

Especial

 

Anticoncepcional injetável
Existe o anticoncepcional mensal e o trimestral. Veja as vantagens e desvantagens desse método contraceptivo

Sílvia Zoche
Repórter
31/05/2005

A ginecologista Martha Cotta fala sobre o uso do contraceptivo injetável mensal e trimestral. Clique!

Veja! Veja!

A primeira coisa que é preciso saber é que o contraceptivo injetável retém líquido. Isso é fato, de acordo com a ginecologista Martha Cotta. Só que algumas mulheres são mais predispostas à retenção do que outras. É necessário, então, avaliar as vantagens, desvantagens e tomar uma decisão.

Foi o que fez Thaís S. de Oliveira C. Dutra (foto ao lado), 25, que decidiu pelo contraceptivo injetável, por ter se livrado da dor de cabeça, enjôo, dores no corpo, mudança de humor, causados pela pílula oral.

Ela foi informada por um neurologista que a melhor solução para quem sofre de enxaqueca é usar a injetável, porque as pílulas em comprimido facilitam a dor. Thaís escolheu a injetável mensal, que usa há três meses.

Neste caso, o anticoncepcional possui dois hormônios: estrogênio e progestógeno, e a mulher menstrua normalmente. Para Thaís, a retenção de líquido não é tão relevante. "Perguntei se engordaria e a médica disse que retém um pouco de líquido, mas como me sinto muito mal com o comprimido, seria melhor tentar", diz. A percepção que teve, até agora, é de que engordou um pouco e que os seios ficaram maiores e muito doloridos. "Não preciso nem de silicone", brinca. Como não sente mais os desconfortos do enjôo, ela vai continuar usando.

Outro caso é o de Juliene Rodrigues, 27, que usou o contraceptivo injetável trimestral, durante um ano. A escolha pelo método foi porque ela esquecia de tomar as pílulas orais, que são diárias, além da TPM (tensão pré-menstrual). "Não sou muito disciplinada para o uso oral e minha TPM sempre foi muito acentuada com muita sensibilidade, irritação e enxaqueca. Com o uso do injetável não tive mais", explica.

O problema para Juliene foi a retenção de líquidos, que varia de pessoa para pessoa. No caso dela, que já possui tendência a engordar, ganhou um quilo por mês. "Quando comecei a fazer uso da medicação pesava 58 quilos, hoje, após um ano de suspensão, ainda continuo acima do peso. No começo, percebi um inchaço nas pernas e mamas, conversei com minha médica, que me disse que cada pessoa reage de uma maneira à medicação. Como tenho pré-disposição para aumento de peso, agravou um pouco mais".

Ela só parou de usar quando outra médica esclareceu sobre os efeitos dos hormônios no organismo. "Confesso que fiquei surpresa, pois a primeira médica não me instruiu de maneira adequada", afirma.

Há dez meses ela suspendeu a medicação e há nove, o ciclo menstrual voltou ao normal. "Ainda não emagreci, mas não estou tão inchada. A injeção faz reter muito líquido e aumenta o apetite", conclui.

Como funciona
Tanto a mensal quanto a trimestral possuem eficácia de 99,7%.

A contracepcção trimestral possui somente o derivado da progesterona natural. Esta pode ser usada por mulheres que não querem menstruar, por aquelas que estão amamentando.

Tanto a trimestral quanto a mensal são aplicadas por via intramuscular, de preferência nas nádegas. "É importante não massagear o local após aplicação", explica a ginecologista Martha Cotta (foto ao lado).

Para as mulheres que possuem problema de endometriose é aconselhável utilizar a trimestral, para que não menstruem. A mensal é mais para as "esquecidinhas" e que têm enjôos, dor de cabeça... como a Thaís.

Outro fator apontado pela médica é que os injetáveis mensais são uma boa alternativa para as jovens. "As adolescentes que já começaram a vida sexual, mas não contaram para a família, ainda, precisam usar algum contraceptivo. Elas podem optar pelo injetável, que é discreto, porque não fica guardado em casa. É só uma aplicação por mês", diz.

 


    Veja agora, as vantagens e desvantagens deste tipo de contracepção:

    Vantagens

  • Alta eficácia e segurança. Os injetáveis são discretos
  • São reversíveis
  • Diminuem cólicas e outras dores menstruais. A mensal regula a menstrução
  • Previnem câncer do endométrio e dos ovários
  • Diminuem a incidência de doença mamária benigna
  • Reduzem o risco de desenvolvimento de miomas (tumores benignos do útero)
  • Diminuem o risco de anemia por dificiência por ferro
  • Desvantagens

  • Não protegem contra Aids e DSTs (doenças sexualmente transmissíveis). Use camisinha
  • Irregularidades menstruais nos primeiros meses de uso da mensal
  • Retenção de líquido
  •  

 

 

No próximo mês, vamos falar sobre os métodos
anticoncepcionais adesivos. Aguarde!

 

 

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.