Mulher
"Será que estou grávida?"
Para ter certeza, somente fazendo o exame de sangue ßHCG

Sílvia Zoche
Repórter
03/05/2006

Qual é a sua freqüência em um consultório ginecológico? Clique no ícone ao lado e participe da enquete.

ouça!

A gravidez é um dos momentos mais importantes na vida de um casal e muitos dizem o quanto uma criança é capaz de alegrar uma casa. Mas quando ela não foi programada, principalmente, quando se está solteira, muita gente se desespera. E a ansiedade em saber se engravidou é tão grande, que alguns querem consultas até por e-mail.

Como assim? É que logo depois que a equipe do portal ACESSA.com lançou uma página para envio de dúvidas sobre métodos contraceptivos, chegaram as mais diversas dúvidas sobre possibilidade de gravidez. Tanto mulheres quanto homens - sim, houve homens preocupadíssimos - relatavam a relação sexual e depois disso pediam urgência em saber se existia a possibilidade de gravidez.

O ginecologista Álvaro Polisseni respondeu grande parte das perguntas. Mas, com o passar do tempo, pareciam que todos os e-mails que chegavam se restringiam ao tema: será que estou grávida?, será que minha namorada engravidou?. Na opinião do médico, há uma despreocupação aos cuidados inerentes a uma relação saudável. "São perguntas temerosas, ansiosas, pedindo urgência. Para mulher saber se está grávida, tem que procurar o ginecologista. Não tem como responder por e-mail. Não é de longe que dá para saber", ressalta.

Mas ele esclarece qual é o período mais arriscado para se engravidar e sobre os testes de gravidez. Além disso, ele fala sobre métodos de barreira, como a camisinha e também sobre a freqüência das mulheres nos consultórios ginecológicos.

Risco de engravidar
Para não ter risco de engravidar o certo é usar um método de barreira. A camisinha é uma excelente opção, como todo mundo sabe, porque além de previnir da gravidez, protege contra as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs).

Agora, para a mulher que não usa nenhum método contraceptivo de barreira (pílulas anticoncepcionais, injetável, adesivo, diafragma, DIU e camisinha), é preciso entender que a gravidez ocorre quanto mais próximo o período de ovulação - ou período fértil. E quando isso acontece?

Álvaro (foto ao lado) explica que nas mulheres com ciclo menstrual regular, a ovulação é próxima do 14º dia - estes devem ser contados a partir do primeiro dia de menstruação. "Quanto mais distante deste dia, menos chance de engravidar". A relação na primeira semana - também contados a partir do primeiro dia de menstruação - e na semana anterior a chegada da regra são as com menor propensão de fecundação do óvulo. "Só que a ovulação é oscilante". Isso significa que é arriscado. As mulheres com regra irregular nem se fala.

Se os devidos cuidados não forem tomados, a opção é tomar a pílula pós-coital, no máximo, até 72 horas depois da relação sexual. Segundo o médico, as mulheres que usam a pílula convencional, mesmo tendo esquecido de tomá-la na hora certa, não precisam ingerir a do dia seguinte. "Esqueceu? Toma na hora que lembrar. O que faz o efeito contraceptivo é o somatório das pílulas durante os vários dias. Então, se ela esquecer um dia e repor depois, não há tanto problema".

Mas se a mulher resolver ingerir a do dia seguinte no meio da cartela da pílula convencional, podem acontecer duas coisas. A primeira é que só vai sangrar depois que terminar a cartela da convecional. A segunda é que existem organismos que reagem diferente ao receber uma dosagem exagerada de hormônio e não menstrua. Neste caso, só indo ao médico e pedindo o exame de sangue. Para não ter dúvida, use camisinha.

E essa história de usar camisinha é igual a 'chupar bala com papel' não existe. "Isso é um aspecto cultural. Talvez, hoje, pela propaganda que é feita da camisinha, mostrando que ela protege contra a Aids, desperte credibilidade nas pessoas mais novas . O prazer não está em usar ou não usar. Às vezes, não precisa nem de penetração para se ter prazer", diz Álvaro.

O teste de gravidez confiável é o de sangue, chamado ßHCG. Vá ao seu ginecologista e ele entregará o pedido de exame. Os laboratórios costumam entregar a resposta em menos de 24 horas. "Se o atraso menstrual for de três a sete dias, o exame dá positivo, só que com o percentual baixo, porque é início de gravidez".

Quando se está grávida, algumas mulheres apresentam sonolência, além do normal e até fica mais desanimada. "Isto costuma acontecer antes mesmo dos enjôos". Os testes de farmácia, para Álvaro, não são confiáveis. "O diagnóstico de uma gravidez tem que ser de 100%. O resultado errado traz um grande transtorno, seja qual for o resultado", enfatiza.

Você vai ao ginecologista?
Por incrível que pareça, as mulheres casadas são as que mais vão a consultas ginecológicas. "As que possuem mais situação de risco, as solteiras, vêm menos". De risco, porque trocam de parceiros e se não usam camisinha podem adquirir herpes, condiloma (conseqüente do vírus HPV), corrimento e a Aids. Já as adolescentes precisam da orientação do médico para saber sobre as DSTs e métodos contraceptivos. "É bom que as mães venham juntas e participem com as filhas". É claro que há mães que aproveitam para saber se a filha ainda é virgem. Mas as jovens podem ficar despreocupadas, porque existe o sigilo médico.

A princípio, para prevenção de câncer, consultar uma vez ao ano é suficiente, quando a mulher é comprometida. Já as solteiras, devem se consultar mais vezes. O importante é não deixar para depois e não inventar desculpas para não ir ao médico.

Enquete


Quantas vezes você vai ao ginecologista?
      Mais de 2 vezes ao ano
      2 vezes ao ano
      1 vez ao ano
      1 vez a cada dois anos
      Nunca fui
   

ATENÇÃO: o resultado desta enquete não tem valor de amostragem científica e se refere apenas a um grupo de visitantes do JF Service.

 

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.