Saúde
Armando Falconi Armando Falconi 1/8/2011

Chás que acalmam

Foto de Armando FalconiOs seres humanos aprenderam ao longo dos séculos e milênios, em diversas raças e culturas, a usarem as plantas que os cercam como recursos de tratamento para a saúde.

Através da observação dos hábitos dos animais, os humanos ampliaram suas percepções e também o cardápio diário, que aos poucos descobriram que mastigar, comer certas folhas, caules, frutos ou raízes, traziam sensações diferentes ao organismo, provocando reações agradáveis ou desagradáveis ao paladar, e a partir daí desencadeando vômitos, salivação, desarranjos intestinais, e outras reações que se repetiam a cada nova tentativa de usarem a mesma planta ou outras semelhantes.

Andavam no início em bandos, viviam basicamente da caça, da colheita dos frutos que do que o ambiente ofertava. Foi assim, que começaram empiricamente a usar as plantas como remédios para tratamento das necessidades pessoais e dos membros da tribo.

Mais recentemente, com a evolução das comunicações com outros grupos e o enriquecimento do aprendizado pelas trocas de experiências, surgiram os preparados com folhas, frutas e flores para que, de maneira diferente, todos eles fossem aplicados para curar as feridas, aliviar as dores, produzir as reações desejadas no corpo humano.

Atualmente, com os recursos das pesquisas científicas, com a catalogação da flora pelos pesquisadores e cientistas, são conhecidos e comprovados os princípios ativos e os poderes terapêuticos de centenas e milhares de vegetais, podendo ser usados e aplicados em formas diversas como chás, unguentos, pomadas, gargarejos, tinturas, extratos e diversas outras maneiras, com segurança para cada pessoa e em particular.

Plantas para acalmar os estados tensionais

Foto de Armando FalconiCom tudo isso, aprendemos que os sintomas são sinais de alerta para que a pessoa concentre sua energia a fim de restabelecer o equilíbrio entre a mente e o corpo.

É necessário estarmos atentos, conhecermos-nos melhor, para percebermos nossas alterações orgânicas. Quanto mais cedo identificarmos as mudanças em nosso organismo físico e emocional, temos condições de tomarmos providências imediatas, e fica mais fácil qualquer tratamento.

O estresse nos dias de hoje é uma realidade avassaladora para expressiva faixa da sociedade, nas grandes cidades como até mesmo na área rural.

É saudável ampliarmos o autoconhecimento para detectarmos o que nos perturba, nos desgasta, o que altera nosso humor e a partir daí, termos ciência de que, no atual contexto do mundo moderno, estamos sujeitos a situações estressantes.

Observamos pela experiência de atender pessoas há mais de três décadas que, entre os principais sintomas do estresse, destacam-se: sinais de cansaço, tristeza, dor de cabeça, grande agitação, constantes crises de tensão e angústia; diminuição da produtividade, isolamento, mau humor, medo, colite, sudorese intensa, irritação, incapacidade de domínio sobre as emoções, etc.

Negarmos que o estresse realmente existe e pode afetar nossa vida é ilusão, por isto recomendamos: fiquem atentos aos sintomas, às reações orgânicas e psíquicas que anunciam problemas físicos e emocionais.

Na Fitoterapia (Fito = planta, Terapia = tratamento) destacamos algumas espécies vegetais que são capazes de impedir que o mal se instale, combatendo desde o cansaço provocado pelas sobrecargas até a ansiedade e a agitação.

Aprenda como as plantas aliviam o estresse

Foto de Armando FalconiDentre os diversos tipos classificados de plantas usadas terapeuticamente, um dos grupos de plantas eficientes no combate ao estresse são chamadas adaptógenas, ou adaptogênicas.

É fácil observarmos que como o próprio nome diz, essas espécies ajudam aos homens a se adaptarem ao meio em que vivem, aumentando a resistência do organismo nas situações estressantes.

Quando utilizadas através de tinturas, chás ou extratos, as plantas são submetidas ao calor, a presença do álcool e outros elementos que extraem seus princípios ativos e os tornam mais concentrados, potencializando assim o efeito terapêutico na saúde humana.

As plantas podem ser convertidas em chás caseiros, para tanto, são adquiridas em lojas de produtos especializados, em farmácias homeopáticas. Seus efeitos em nosso organismo são notáveis e tem contribuído muito para que possamos enfrentar melhor as lutas e desafios do dia-a-dia.

Em nossa experiência, destacamos e recomendamos:

Apresentamos, a seguir, algumas espécies vegetais de comprovados efeitos para acalmar, e ajudar a enfrentar o estresse.

Leiam, pesquisem, e experimentem com segurança. Quaisquer dúvidas, entrem em contato conosco através do Centro de Cultura Oriente Ocidente®, aqui em Juiz de Fora, ou por e-mail.

Erva-cidreira - (Melissa officinalis)

Seus princípios ativos contem: citronelol, geraniol, linalol, citral, neral, ácido fenol carboxílico, ácido citronélico, acetato geranílico cariofileno e taninos.

Indicações terapêuticas: é uma planta de efeitos comprovadamente relaxantes. Ajuda a regular a menstruação, cólicas, tem efeito tônico no útero e, às vezes, pode ajudar em casos de esterilidade, insônia nervosa, problemas gastrintestinais funcionais, herpes simplex, combate mau hálito, revigora em banhos.

Preparo: em uma xícara, ponha 1 colher de folhas e ramos picados de erva-cidreira e adicione água fervente. Abafe e coe. Tome uma xícara pela manhã e outra à noite. A erva-cidreira não deve ser confundida com capim-limão, que é outra espécie.

Passiflora - (Passiflora incarnata)

Retirado das folhas do maracujá ou especialmente do maracujá açu. É no suco do maracujá que existe boa quantidade de vitaminas, especialmente A e C, além de sais minerais, como cálcio e ferro, e fibras.

Usado por muitas gerações, é uma planta conhecida no Brasil de sul a norte, famoso pela sua ação nas propriedades calmantes que são depressoras do SNC. É vendido com o nome comercial de Passiflorina (ou Maracujina), um sedativo natural encontrado nos frutos e folhas.

Indicações terapêuticas: usar as folhas. Pode-se usar de 6 a 8 gramas. O chá reduz a atividade excessiva do sistema nervoso. Tome uma ou duas xícaras por dia. Preparar como a erva-cidreira descrita acima.

Foto de alecrimAlecrim - (Rosmarinus officinalis)

É uma planta aromática, é reconhecido pelo seu cheiro suave.

Ajuda nos tratamentos para os nervos e estresse. Seus efeitos são estimulantes de manhã e calmantes ao fim da tarde.

Em questão de paladar, o chá do alecrim tem um sabor um pouco amargo e é quente, ou seja, tem uma ação fortificante e aquecedora sobre todo o organismo, particularmente o aparelho digestivo, revigorando e aumentando a disposição e a energia, agindo como um antidepressivo nos casos de esgotamento físico e mental.

Indicado para auxilio no alívio dos sintomas da depressão.

Indicações terapêuticas: uma infusão fervente em 5 gramas de alecrim, utilizando as flores, os ramos e as folhas podem ser usadas. Tome o chá duas vezes ao dia. Ele tem ação também como antioxidante, combatendo os radicais livres.

Por ser material tenro deve ser preparado como a erva-cidreira.

Foto de camomilaCamomila - (Matricaria chamomilla)

O chá de camomila é usado para a ansiedade, mas também alivia distúrbios gastrintestinais decorrentes do estresse.

É conhecido pelas nossas avós e pelas parteiras como um excelente auxiliar nos gases e nas tensões das gestantes, aliviando as cólicas, o cansaço, e melhorando o sono.

Para criança, quando utilizado junto com o funcho, ajuda no sono e diminui a irritabilidade quando os dentes estão nascendo.

Para preparar: em uma xícara coloque uma colher de flores picadas e adicione água fervente. Abafe por dez minutos e coe. Tome uma porção três vezes ao dia.

Recomendamos aos que usam chá:

Os chás podem e são preparados de diversas maneiras, principalmente em forma de:

Infusão: é preparada jogando-se água fervente sobre as partes ativas do vegetal, geralmente as folhas ou as flores. É o modo tradicional de preparar o chá. Deve-se deixar as plantas dentro da água quente por 5 a 10 minutos, e depois filtrar. A quantidade de erva varia segundo a espécie, sendo normalmente de 5 gramas para cada 100 ml de água.

Decocção: geralmente coloca-se a erva em água fria, que, em seguida, se aquece até a ebulição num recipiente fechado, deixando ferver por alguns minutos.

Maceração: é uma preparação líquida que requer longa imersão. Põe-se a planta em água fria, cobre-se o recipiente e deixa-se repousar em lugar fresco durante uma noite.

Tomar chá é agradavel, saudável, barato, simples e de efeitos altamente benéficos ao organismo humano.

Aprendemos com minha avó, que era raizeira e parteira, e aperfeiçoamos os segredos das plantas através dos estudos com os orientais.

Quer saber mais? Visite nosso site, onde diariamente postamos dicas de saúde integral. Entre em contato conosco, pois as informações são muitas, mas o espaço do artigo é limitado. Aguardamos seu e-mail.

Encerramos com saudações holísticas!

Mais artigos

Armando Falconi Filho
é Terapeuta Holístico, Escritor, Consultor, Conferencista
Saiba mais clicando aqui.

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.