Saúde
Armando Falconi Armando Falconi 1º/3/2012

GengibreTempero - fitoterápico - alimento

Foto de Armando FalconiNeste mês de março, o clima começa a mudar, o verão vai indo embora, as chuvas vão cessando e o outono começa a dar os seus primeiros sinais.

É a inclinação do planeta, que regido pela órbita em torno do próprio eixo e em torno do sol segue sua jornada nesta grande jornada chamada vida cósmica, influenciando os reinos minerais, vegetais e animais. E, é claro, mexendo com as marés, movimentando até mesmo os 70% de peso corporal humano, fazendo e estimulando nosso sistema imunológico a malabarismos na tarefa de defesa da saúde orgânica.

É hora de buscarmos alimentos que aqueçam nosso corpo, estimulem a circulação, ativem os "linfócitos T", ajudem a manter os níveis de glicose, gordura e aminoácidos em quantidades adequadas ao enfrentamento das novas temperaturas.

Nosso aliado será, então, uma raiz, um rizoma, conhecido desde a antiguidade e usado em diversas culturas, estamos falando do gengibre.

Seu nome científico: Zingiber officinale Roscoe. Parte usada: rizoma (raiz).

No popular, encontramos diversas sinonímias como: gengibre-de-jamaica, gengibre-africano, raiz dedo dentre outras. Os indígenas chamavam-na de mangaratiá ou magarataia.

O gengibre é uma planta asiática, originária da ilha de Java, da Índia e da China, de onde se difundiu pelas regiões tropicais do mundo.

É conhecido na Europa desde tempos muito remotos, para onde foi levado por meio das Cruzadas. Em Portugal, existe registro da sua presença desde o reinado de D. João III (1521-1557). No Brasil, o gengibre chegou menos de um século após o descobrimento. Naturalistas que visitavam o país (colônia, naquela época) achavam que se tratava de uma planta nativa, pois era comum encontrá-la em estado silvestre.

Hoje, o gengibre é cultivado principalmente na faixa litorânea do Espírito Santo, Santa Catarina, Paraná e no sul de São Paulo, em razão das condições de clima e de solo mais adequadas. Trata-se de uma planta perene, que pode atingir mais de um metro de altura. As folhas verde-escuras nascem a partir de um caule duro, grosso e subterrâneo (rizoma). As flores são tubulares, amarelo-claro e surgem em espigas eretas.

Gengibre na história

O gengibre tem importância na medicina chinesa há muitos séculos, sendo mencionado, inclusive, nos escritos de Confúcio. O gengibre corta a gordura das carnes gordas. Use-o no preparo de carne de porco ou de pato. Se quiser amenizar o sabor picante do gengibre, ferva-o antes do preparo.

Desde a antiguidade, o gengibre é um dos métodos mais populares de combater dores, por ser um ingrediente barato e saudável. Popularmente, o chá de gengibre, feito com pedaços do rizoma fresco fervido em água, é usado no tratamento contra gripes, tosse, resfriado e até ressaca.

De acordo com a fitoterapia chinesa, a raiz do gengibre apresenta as propriedades acre e quente. O gengibre é usado para aquecer o baço e o estômago expelindo o frio, bem como para aquecer os pulmões a fim de expelir secreções. A raiz também é usada contra a perda de apetite, membros frios, diarreia, vômitos e dor abdominal.

Devido a grande quantia de propriedades terapêuticas que possui, o gengibre é denominado por pesquisadores como "medicamento universal".

Propriedades terapêuticas do gengibre

Há milênios, o gengibre é utilizado na fabricação de xaropes para combater a dor de garganta. Sua ação antisséptica pode ser a responsável pela fama, tanto que muitos locutores e cantores revelam que entre os seus segredos para cuidar bem da voz está o hábito de mastigar lentamente um pedacinho de gengibre. No entanto, esse hábito (mascar gengibre e em seguida cantar ou falar, enfim, fazer uso da voz) é contraindicado visto que o gengibre possui também propriedades anestésicas e esta "anestesia tópica" diminui o controle da emissão vocal, favorecendo o aparecimento de abusos vocais.

Pesquisas científicas comprovam que o gengibre possui propriedades antiinflamatórias, sendo considerado uma ótima solução para dores como mencionamos mais acima.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) reconheceu a ação dessa planta sobre o sistema digestivo, tornando-a oficialmente indicada para evitar enjoos e náuseas, confirmando alguns dos seus usos populares, onde o gengibre é indicado na digestão de alimentos gordurosos e diferentemente das drogas, não provoca efeitos colaterais, nem sonolência, pois o gengibre não atua através do sistema nervoso.

Podemos constatar que, como planta medicinal, o gengibre é uma das mais antigas e populares do mundo. Suas propriedades terapêuticas são resultado da ação de várias substâncias, especialmente do óleo essencial que contém canfeno, felandreno, zingibereno e zingerona.

Popularmente, banhos e compressas quentes de gengibre são indicados para aliviar os sintomas de gota, artrite, dores de cabeça e na coluna, além de diminuir a congestão nasal, cólicas menstruais e um tipo de câncer.

Tem efeitos contra resfriados, tosse, bronquites, asma, rouquidão, inflamações na garganta e para clarear a voz, usado sob forma de cristais; em pequenos pedaços, mastigando.

Ajuda a fortalecer o sistema imunológico. Possui antiinflamatório natural e, por isto, é eficiente nas aplicações para aliviar as dores.

Combate cólicas causadas pelo acúmulo de gases, constipação, auxilia na expulsão de resíduos alimentares estagnados do sistema digestivo.

No Japão, massagens com óleo de gengibre são tratamentos tradicionais e famosos para problemas de coluna e de articulações.

Acrescentar um pouco de gengibre para bloquear os gases produzidos por alguns alimentos como a ervilha, realmente são benéficos. Pesquisadores indianos, estudando propriedades terapêuticas do gengibre, comprovaram sua eficácia como antiflatulente.

O gengibre fresco é amplamente utilizado na China, no Japão, na Indonésia, na Índia e na Tailândia. No Japão costuma-se usar o suco (com o gengibre espremido) para temperar frango e as conservas (beni shouga) feitas com os rizomas jovens são consumidas puras ou com sushi. Já o gengibre cristalizado é um dos confeitos mais consumidos no Sudeste Asiático.

O seu caule subterrâneo é utilizado como especiaria desde a antiguidade, na culinária e na preparação de medicamentos.

Existem combinações espetaculares como cristais de gengibre com própolis, com canela, com hortelã etc., para tentar disfarçar sua propriedade picante.

Náuseas de gestantes: na dosagem de um gramo de rizoma em pó por decocção, três vezes ao dia. Pode-se conseguir tintura — dois ou três mililitros em copo com água, duas ou três vezes ao dia. Se aparece indigestão ou azia, o seu uso deve ser diminuído. Misturá-lo com alcaçuz ou camomila pode ajudar.

Como estomáquico: Meia a uma colher de chá mais uma colher de chá de mel ou uma colher de chá de pó em uma xícara de leite, duas a três vezes ao dia.

Foto de gengibreCefaleia: 500 ml de gengibre seco ao dia.

Resfriados: Associar hortelã ou cravo da índia.

Laringite: É costume misturar gengibre ralado, mel e limão ao chá de camomila.

Estimular a circulação local, reduzir dores e rigidez muscular.

Uso externo (banho de infusão, chá). Há um produto americano, em spray, para hidratar cabelos e pele, que é anunciado como tendo gengibre havaiano. Awapuhi é o nome do produto.

Outras indicações do gengibre que ressaltamos

Combate a ressaca, tomando o chá.

É expectorante e sudorífero, aquece os pulmões e seca a umidade excessiva dos mesmos, auxiliando na expulsão do muco do sistema respiratório. Produz um aquecimento do corpo através da circulação sanguínea, sendo eficaz para casos crônicos de extremidades frias ou com um sistema linfático, usar o xarope.

É fonte natural de antioxidante, contribuindo para a diminuição dos efeitos do envelhecimento.

Por ser considerado um vegetal afrodisíaco, é indicado contra a impotência sexual masculina.

A maior indicação de uso externo refere-se a dores musculares e correlatas.

Contra traumatismo, reumatismo e artrite, é usado o óleo (misturado com algum outro óleo neutro) em fricções leves. No Japão, o óleo é também empregado em massagens na coluna e articulações.
Para dores de ouvido, aplicar algodão embebido no óleo de gengibre.

Como antisséptico e contra mau hálito fazer bochechos com a tintura; também pode ser mastigado um pequeno pedaço da planta.

Graças ao seu alto poder bactericida, tem-se comprovado que o consumo desta planta em estado cru por uns trinta dias (pode-se moer e acrescentar adoçante, mel, etc.) elimina de vez a bactéria Hlicobacter pilori existente em casos de gastrite ou úlceras.

Como usar

1 - Corte em fatias bem fininhas, ou rale, na quantidade de uma colher das de café de gengibre e acrescente no arroz, na comida em geral, em cada uma de suas refeições, misturando bem.

2 - Corte em cubinhos e deixe secar a sombra, depois use colocando um deles na boca e deixando derreter como se fosse uma bala — até desaparecer.

3 - Use em forma de conservas tipo picles, feito com vinagre de maçã.

4 - Use em forma de chá, seja para uso interno ou para gargarejos. Use sempre o chá morno para quente, é o melhor, pois o chá frio está dormindo (nosso corpo não tem temperatura suficiente para despertá-lo em seus princípios ativos, o chá gelado está morto, perdeu suas propriedades terapêuticas e o chá com açúcar está doente, pois açúcar é veneno que intoxica).

Desejando saber mais, leia nossos livros e apostilas; visite nossos sites, nossos blogs e siga-me pelo Twitter, receba textos e dicas de saúde e vida.

Com sinceros votos de muita paz a tudo e a todos, ficamos à disposição para responder suas perguntas. Entre em contato conosco, aguardamos seu e-mail.

Encerramos com saudações holísticas!

Mais artigos

Armando Falconi Filho
é Terapeuta Holístico, Escritor, Consultor, Conferencista
Saiba mais clicando aqui.

Neste mês de março o clima começa a mudar, o verão vai indo embora, as chuvas vão cessando e o outono começa a dar os seus primeiros sinais.

É a inclinação do planeta, que regido pela órbita em torno do próprio eixo e em torno do sol segue sua jornada nesta grande jornada chamada vida cósmica, influenciando os reinos minerais, vegetais e animais. E é claro mexendo com as marés, movimentando até mesmo os 70% de peso corporal humano, fazendo e estimulando nosso sistema imunológico a malabarismos na tarefa de defesa da saúde orgânica.

É hora de buscarmos alimentos que aqueçam nosso corpo, estimulem a circulação, ativem os “linfócitos T”, ajudem a manter os níveis de glicose, gordura e aminoácidos em quantidades adequadas ao enfrentamento das novas temperaturas.

Nosso aliado será então uma raiz, um rizoma, conhecido desde a antiguidade e usado em diversas culturas, estamos falando do gengibre.

Seu nome científico: Zingiber officinale Roscoe Parte usada Rizoma (raiz)

No popular encontramos diversas sinonímias como: gengibre-de-jamaica, gengibre-africano, raiz dedo dentre outras. Os indígenas chamavam-na de mangaratiá ou magarataia.

O gengibre é uma planta asiática, originária da ilha de Java, da Índia e da China, de onde se difundiu pelas regiões tropicais do mundo.

É conhecido na Europa desde tempos muito remotos, para onde foi levado por meio das Cruzadas. Em Portugal, existe registro da sua presença desde o reinado de D. João III (1521-1557). No Brasil, o gengibre chegou menos de um século após o descobrimento. Naturalistas que visitavam o país (colônia, naquela época) achavam que se tratava de uma planta nativa, pois era comum encontrá-la em estado silvestre.

Hoje, o gengibre é cultivado principalmente na faixa litorânea do Espírito Santo, Santa Catarina, Paraná e no sul de São Paulo, em razão das condições de clima e de solo mais adequadas. Trata-se de uma planta perene, que pode atingir mais de um metro de altura. As folhas verde-escuras nascem a partir de um caule duro, grosso e subterrâneo (rizoma). As flores são tubulares, amarelo-claro e surgem em espigas eretas.

GENGIBRE NA HISTÓRIA

O gengibre tem importância na Medicina Chinesa há muitos séculos, sendo mencionado, inclusive, nos escritos de Confúcio. O gengibre corta a gordura das carnes gordas. Use-o no preparo de carne de porco ou de pato. Se quiser amenizar o sabor picante do gengibre, ferva-o antes do preparo.

Desde a antiguidade o gengibre é um dos métodos mais populares de combater dores, por ser um ingrediente barato e saudável. Popularmente, o chá de gengibre, feito com pedaços do rizoma fresco fervido em água, é usado no tratamento contra gripes, tosse, resfriado e até ressaca.

De acordo com a Fitoterapia Chinesa, a raiz do gengibre apresenta as propriedades acre e quente. O gengibre é usado para aquecer o baço e o estômago expelindo o frio, bem como para aquecer os pulmões a fim de expelir secreções. A raiz também é usada contra a perda de apetite, membros frios, diarreia, vômitos e dor abdominal.

Devido a grande quantia de propriedades terapêuticas que possui, o gengibre é denominado por pesquisadores como “medicamento universal”.

PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS DO GENGIBRE

Há milênios, o gengibre é utilizado na fabricação de xaropes para combater a dor de garganta. Sua ação antisséptica pode ser a responsável pela fama, tanto que muitos locutores e cantores revelam que entre os seus segredos para cuidar bem da voz está o hábito de mastigar lentamente um pedacinho de gengibre. No entanto, esse hábito (mascar gengibre e em seguida cantar ou falar, enfim, fazer uso da voz) é contraindicado visto que o gengibre possui também propriedades anestésicas e esta "anestesia tópica" diminui o controle da emissão vocal, favorecendo o aparecimento de abusos vocais.

Pesquisas científicas comprovam que o gengibre possui propriedades antiinflamatórias, sendo considerado uma ótima solução para dores como mencionamos mais acima.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) reconheceu a ação dessa planta sobre o sistema digestivo, tornando-a oficialmente indicada para evitar enjoos e náuseas, confirmando alguns dos seus usos populares, onde o gengibre é indicado na digestão de alimentos gordurosos e diferentemente das drogas, não provoca efeitos colaterais, nem sonolência, pois o gengibre não atua através do sistema nervoso.

Podemos constatar que como planta medicinal o gengibre é uma das mais antigas e populares do mundo. Suas propriedades terapêuticas são resultado da ação de várias substâncias, especialmente do óleo essencial que contém canfeno, felandreno, zingibereno e zingerona.

Popularmente, banhos e compressas quentes de gengibre são indicados para aliviar os sintomas de gota, artrite, dores de cabeça e na coluna, além de diminuir a congestão nasal, cólicas menstruais e um tipo de câncer.

Tem efeitos contra resfriados, tosse, bronquites, asma, rouquidão, inflamações na garganta e para clarear a voz, usado sob forma de cristais; em pequenos pedaços, mastigando.

Ajuda a fortalecer o sistema imunológico. Possui antiinflamatório natural e, por isto é eficiente nas aplicações para aliviar as dores.

Combate cólicas causadas pelo acúmulo de gases, constipação, auxilia na expulsão de resíduos alimentares estagnados do sistema digestivo.

No Japão, massagens com óleo de gengibre são tratamentos tradicionais e famosos para problemas de coluna e articulações.

Acrescentar um pouco de gengibre para bloquear os gases produzidos por alguns alimentos como a ervilha, realmente são benéficos. Pesquisadores indianos estudando propriedades terapêuticas do gengibre comprovaram sua eficácia como antiflatulente.

O gengibre fresco é amplamente utilizado na China, no Japão, na Indonésia, na Índia e na Tailândia. No Japão costuma-se usar o suco (com o gengibre espremido) para temperar frango e as conservas (beni shouga) feitas com os rizomas jovens são consumidas puras ou com sushi. Já o gengibre cristalizado é um dos confeitos mais consumidos no Sudeste Asiático.

O seu caule subterrâneo é utilizado como especiaria desde a antiguidade, na culinária e na preparação de medicamentos.

Existem combinações espetaculares como cristais de gengibre com própolis, com canela, com hortelã etc., para tentar disfarçar sua propriedade picante.

Náuseas de gestantes: na dosagem de um gramo de rizoma em pó por decocção, três vezes ao dia. Pode-se conseguir tintura - dois ou três mililitros em copo com água, duas ou três vezes ao dia. Se aparece indigestão ou azia, o seu uso deve ser diminuído. Misturá-lo com alcaçuz ou camomila pode ajudar.

Como estomáquico: Meia a uma colher de chá mais uma colher de chá de mel ou uma colher de chá de pó em uma xícara de leite, duas a três vezes ao dia.

Cefaleia: 500 ml de gengibre seco ao dia.

Resfriados: Associar hortelã ou cravo da índia.

Laringite: É costume misturar gengibre ralado, mel e limão ao chá de camomila.

Estimular a circulação local, reduzir dores e rigidez muscular

Uso externo (banho de infusão, chá). Há um produto americano, em spray, para hidratar cabelos e pele, que é anunciado como tendo gengibre havaiano. Awapuhi é o nome do produto.

OUTRAS INDICAÇÕES DO GENGIBRE QUE RESSALTAMOS:

  • Combate a ressaca, tomando o chá.

  • É expectorante e sudorífero, aquece os pulmões e seca a umidade excessiva dos mesmos, auxiliando na expulsão do muco do sistema respiratório. Produz um aquecimento do corpo através da circulação sanguínea sendo eficaz para casos crônicos de extremidades frias ou com um sistema linfático, usar o xarope.

  • É fonte natural de antioxidante, contribuindo para a diminuição dos efeitos do envelhecimento.

  • Por ser considerado um vegetal afrodisíaco, é indicado contra a impotência sexual masculina.

  • A maior indicação de uso externo refere-se a dores musculares e correlatas.

  • Contra traumatismo, reumatismo e artrite, é usado o óleo (misturado com algum outro óleo neutro) em fricções leves. No Japão, o óleo é também empregado em massagens na coluna e articulações.

  • Para dores de ouvido, aplicar algodão embebido no óleo de gengibre.

  • Como anti-séptico e contra mau hálito fazer bochechos com a tintura; também pode ser mastigado um pequeno pedaço da planta.

  • Graças ao seu alto poder bactericida, tem-se comprovado que o consumo desta planta em estado crú por uns trinta dias (pode-se moer e acrescentar adoçante, mel, etc.) elimina de vez a bactéria Hlicobacter Pilori existente em casos de gastrite ou úlceras.

COMO USAR:

1 - Corte em fatias bem fininhas, ou rale, na quantidade de uma colher das de café de Gengibre e acrescente no arroz, na comida em geral, em cada uma de suas refeições, misturando bem.

2 - Corte em cubinhos e deixe secar a sombra, depois use colocando um deles na boca e deixando derreter como se fosse uma bala – até desaparecer.

3 - Use em forma de conservas tipo picles, feito com vinagre de maçã.

4 - Use em forma de chá, seja para uso interno ou para gargarejos. Use sempre o chá morno para quente, é o melhor, pois o CHÁ FRIO está dormindo (nosso corpo não tem temperatura suficiente para despertá-lo em seus princípios ativos, o CHÁ GELADO está morto, perdeu suas propriedades terapêuticas e o CHÁ COM AÇÚCAR está doente, pois açúcar é veneno que intoxica).

Desejando saber mais, leia nossos livros e apostilas; visite nossos sites através do endereço www.falconi.com.br, nossos blogs e siga-me pelo twitter, receba textos e dicas de saúde e vida.

Com sinceros votos de muita paz a tudo e a todos, ficamos à disposição para responder suas perguntas. Entre em contato conosco, aguardamos seu e-mail.

Encerramos com saudações holísticas!

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.

Júlia Moura Lopes: Tem-me feito imensamente bem ao problema que tenha de enfisema!

Rejane Ferreira da Silva: Adorei as informações e colocações, bastante enriquecedoras.

Rosana Pires: eu adoro gengibre, e ganhei um pct de gengibre cristalizada com canela,mel propolis e cravo q amei, pena q acabou. gostaria de aprender a fazer. bjs

Flávia Prates: Gostaria de saber se o gengibre cru tem a mesma propriedade anti-envelhecimento do que a bala?

Adeildo Pereira Sousa: O Gengibre um excelente propriedade terapêutica.

Manoela Cecilia Ferreira: Quem tem pressão alta pode tomar chá de gengibre?

Maria Helena Godoy: Boa noite Armando, eu já conhecia o gengibre com suas propriedades terapêuticas, mas agora me aprofundei depois de ter dores de coluna com frequência por causa das mudanças de temperaturas aqui no Sul. Obrigada pelas dicas de como usá-lo corretamente! Abraço, Helena.

Glindson Santos Gomes: existem diversos tipos de gengibre! a receitas citadas varia por cada espécie ou tanto faz? A função do gengibre é valido pra todas as espécies?

Solange Jaques: vou começar a usar obrigado precisamos sempre destas boas dicas abraços

Carlos Gerard: muito esclarecedor.., gostei...

Zulmira Costa Pavoeiro Hilarião: Boa noite, gostaria de saber se o chá de gengibre deve ser feito em água a ferver. Obrigada agradeço o esclarecimento porque já vi várias versões.

Lindamar Rabelo: AS FOLHAS PODEM SER USADAS...OBG

Elizabeth Lima Torres: Aprendi mais sobre o uso do gengibre.Obrigada pessoal!!Vou fazer chá para emagrecer.Vou também colocar nas refeiçoes que legal...

Lourdes Araujo: NOSSA ACABEI DE SABER DE TANTOS BENEFICIO DO GENGIBRE ACHEI OTIMOomentar...

Lu Albano: Estou afonica e com tosse, vou tomar cha de gengibre. amei

Dilma Maia: Gostei bastante dos ensinamentos sobre gengibre. vou faser uso. Obrigada.

Nzuzi Bengue: Estou muito feliz pela informação, porque não sabia o que que eu poderia mais fazer com as dores nas articulações``obrigado``

Aparecida Barros: Não sabia de tantos benefícios que o gengibre possui,vou passar a utilizá-lo diariamente, amei tanta coisa boa!!!!!

Vanessa Fazio: Que maravilha! temos uma Raiz que pode nos trazer muitos beneficios para a nossa saude

Ronieli Pereira Romanazzynn: e verdade que gengibre engrossa a voz, me respondem ai.

Valessa Oliveira: Troquei o refrigerante pelo o chá de gengibre e estou me sentindo muito melhor na questão da digestão, adorei saber dessas informações, agora o chá já faz parte da minha alimentação!