• Assinantes
  • Turismo

    Turismo rural é a vocação do Recanto dos BarõesO circuito turístico que corta sete cidades proporciona visitas a fazendas de café, a uma criação especial gado leiteiro e degustação de cachaças de diversos sabores

    Clecius Campos
    Repórter
    28/8/2009

    Andar a cavalo, fazer caminhadas, conhecer rebanhos que ouvem música clássica, apreciar uma cachacinha e tomar um cafezinho feito na hora e pelas próprias mãos. O clima bucólico e o ar do campo são as principais características do Circuito Turístico Recanto dos Barões, que integra sete cidades da Zona da Mata Mineira.

    Bicas, Chácara, Guarará, Mar de Espanha, Maripá de Minas, Pequeri e Senador Côrtes são os destinos para quem gosta da vida no campo e do cheiro de mato. Com o fim do ciclo do ouro, a agropecuária passou a ser a principal atividade econômica da região. A fim de reconhecer a contribuição dos proprietários desses engenhos, a Coroa decidiu conceder o título de Barão do Império a cada um deles.

    Assim sendo, os barões de Ayuruoca, de Louriçal, de Itamarandiba, de Catas Altas, de Pontal e da Conceição passaram as ser os grandes nomes da região. "Por conta do reconhecimento histórico, escolhemos o nome de Recanto dos Barões. Outro motivo é que a maioria desses homens importantes tinha outras propriedades fora daqui e vinha se hospedar a fim de fazer seus conchavos políticos", informa a presidente do circuito, Patrícia Gomes Alves de Souza.

    Segundo Patrícia, pouco restou da arquitetura imperial construída durante aquele período e da agitação. "As fazendas são tão calmas que é preciso agendar as visitas a fim de que tudo esteja pronto para a chegada dos turistas." As informações sobre agendamento podem ser obtidas na página oficial do circuito na internet. A primeira cidade da trilha, Chácara, fica a 15 minutos de Juiz de Fora.

    Fazendas de café e de gado que ouve música clássica

    Em Guarará, a oportunidade de visitar uma fazenda de café e participar de todo o processo de produção da bebida é um dos atrativos. O turista é convidado a colher o grão, realizar a seleção e participar da fase de torrar e moer o café. "No final, o visitante degusta a bebida produzida pelas próprias mãos e ainda pode provar o requeijão fresquinho, vindo da fábrica de laticínios da própria fazenda."

    Outra atração do município é uma fazenda de criação de gado leiteiro. Neste local são criados machos matrizes que têm o sêmen vendido a preços de ouro. "As matrizes são trazidas da Europa e por isso precisam de climatização. Eles ficam em ambiente especial, com umidificadores de ar que formam uma espécie de poeirinha de água." Além disso, os animais estão constantemente ouvindo música clássica. "Os bois precisam estar num ambiente muito tranquilo. Tudo é organizado para que eles se sintam os reis", brinca.

    No centro histórico da pequena cidade, o Museu de Guarará e a Igreja do Divino Espírito Santo são paradas obrigatórias. A Festa do Divino, que ocorre em comemoração ao Dia de Pentecostes, atrai cerca de três mil pessoas.

    Foto de Mar de Espanha Foto de Chácara
    Cachaça, sítio arqueológico e esportes radicais

    Segunda maior cidade do circuito, com 12 mil habitantes, Mar de Espanha conta com atrativos típicos da região. No final do mês de agosto, com a temporada da cana-de-açúcar, a produção do açúcar mascavo torna-se a principal atração da cidade. Registrado como patrimônio imaterial do município, o passo-a-passo do modo artesanal de fazer o produto pode ser acompanhado pelos visitantes, em uma das fazendas locais.

    A cana também aumenta a produção de cachaça. Numa pousada da cidade, onde também funciona um alambique, os turistas podem ver todo o processo de feitura de aguardente. Os tonéis feitos com diferentes madeiras dão cores e sabores diversos à bebida, que pode ser degustada ali mesmo.

    A cidade conta ainda com um sítio arqueológico, localizado na região conhecida como Córrego de Areia. "Lá podem ser encontrados cavernas, pinturas rupestres e cacos de cerâmica que são traços dos nossos antepassados, tudo catalogado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN)." A mesma região é banhada por inúmeras cachoeiras, nas quais pedras grampeadas permitem a prática de esportes radicais como montanhismo e rapel.

    Durante todo o mês de setembro, os festejos em homenagem a Nossa Senhora das Mercês movimentam a cidade. A Primavera Cultural varia suas atrações a cada ano, promovendo festivais de trovas e poesias e apresentações de teatro e de bandas de música. Também em reverência à santa, são realizados eventos esportivos como o Trilhão da Padroeira, uma prova de motocicletas noite afora, além de corridas de mountain bike e passeios ciclísticos. O Carnaval em Mar de Espanha é outro grande atrativo. Blocos de rua e trios elétricos, com cerca de cinco mil participantes cada, fazem a festa durante o Reinado de Momo.

    Foto de Chácara Foto de Bicas
    Peregrinação em busca da Água Santa

    A região da Água Santa, em Bicas, é um importante ponto de turismo de peregrinação do circuito. A fonte do local tem fama de milagrosa devido à história relacionada ao período colonial. "Os escravos que ficavam doentes naquela época eram expulsos das fazendas e iam procurar refúgio naquela região. Após tomarem banho na Água Santa, os negros voltavam curados aos feudos. Até hoje os fiéis vão à fonte em busca de curas milagrosas." Bicas conta ainda com o maior evento de todo o circuito: a Exposição Agropecuária.

    Turismo rural e tranquilidade

    A grande vocação do circuito é sem dúvida o turismo rural. Segundo Patrícia, as fazendas nas pequenas cidades do Recanto dos Barões são os principais pontos a serem visitados. "São municípios que tem entre três e quatro mil habitantes cada. Deles, apenas Chácara tem uma estrutura pronta para receber turistas." Naquela cidade, as opções são andar a cavalo, passeio de charrete, caminhadas, arborismo e esportes leves. "São todas atividades ligadas à área rural."

    O mesmo acontece em Pequeri e Senador Côrtes, que além das fazendas preservadas, contam com inúmeras quedas d'água. "Toda a região é cortada pelo rio Cágado, que nasce em Chácara. Dessa forma, todas as cidades do circuito possuem suntuosas cachoeiras e corredeiras, que servem para a prática de esportes aquáticos."

    Foto de Senador Côrtes Foto de Maripá

    Em Maripá de Minas, as fazendas antigas, o centro histórico, com casarões preservados e o museu são atrativos imperdíveis. Em setembro, a cidade fica mais animada com os festejos de aniversário do município e a Festa do Maripaense Ausente, que conta com música ao vivo na praça do centro da cidade. Durante o Carnaval, a Festa do Boi Laranja, uma variação do Bumba Meu Boi, é a principal marca da cidade.

    Os textos são revisados por Madalena Fernandes

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.