Saúde

Comer durante a noite engorda mais? Conheça os mitos e as verdades desse assunto e anote as dicas de alimentação noturna da nutricionista Clorisana Abreu

Fernanda Leonel
Repórter
12/06/2006
A nutricionista Clorisana Abreu ensina uma vitamina simples que faz com que você se sinta saciada e não ataque a geladeira durante a noite. Clique e assista ao vídeo!


De olho na balança! Seja para emagrecer, engordar ou para manter o peso. Mas sempre de olho na balança. No meio dessa guerra com os ponteiros, mitos foram criados e verdades científicas divulgadas. E na linha do mito e da verdade, a dúvida entre engordar ou não engordar durante noite é uma das questões mais discutidas.

Comer à noite pode engordar mais sim! Mas é preciso estar atento à essa frase para não fazer dela uma verdade mal pensada. Como destaca a nutricinista Clorisana Abreu (foto), "a noite em nutrição é conseqüência do dia que se teve", logo, não adianta só pensar no momento noturno, mais propício ao acúmulo de gorduras, para ficar de bem com o seu corpo.

As pessoas tendem a ganhar mais peso durante à noite porque não se lembram ou não sabem de um detalhe muito importante: nesse período o nosso corpo sofre uma redução metabólica, que faz com que o gasto de energia fique mais lento.

Como já se sabe, o acúmulo de gordura no corpo é o resultado das calorias que você ingere menos as calorias que você gasta. O que sobrar dessa conta, ou seja,o que não for "colocado para fora" do seu organismo ao fim do dia, vai se transformar em tecido adiposo.

Se você gasta menos calorias durante à noite, deve entender que é preciso ingerir menos alimento também, para que seu saldo calórico ao final do dia não seja muito grande. Comendo antes de dormir, pensando que seu organismo está em ritmo de dia, as chances da sua conta de "ingestão menos consumo" dar um resultado positivo são muito maiores.

Segundo a nutricionista, nosso organismo trabalha em um ciclo metabólico que depende da luz do sol. Isso acontece porque nossa íris, ao reconhecer no ambiente externo a ausência da luz, manda um "recado" para o nosso organismo avisando que está na hora de liberar alguns hormônios, entre eles a melatonina.

A melatonina, de forma simplificada, serve para fazer com que nosso corpo entenda que está chegando a noite e que a hora do corpo parar e descansar está perto. E para que o corpo entre nesse estado de relaxamento, o metabolismo sofre uma baixa.

Somada à diminuição do metabolismo que faz com que o corpo tenha mais dificuldade de gastar energia, está a nossa própria dificuldade de gastar também. É o período da noite que culturalmente falando, ficamos mais quietos.

Chegamos do serviço cansados e queremos ver TV, chegamos da escola e vamos sentar para ler alguma coisa, sentamos no sofá da sala para conversar com a família. Atividades que possuem gastos de energia muito pequenos e que são completados pela necessidade do sono, atividade que não gasta mais que 65 calorias por hora.

E se o gasto é pouco...O consumo...

Quando se fala em facilidade para ganhar peso durante à noite, há ainda que se considerar o outro lado da história: o crescente aumento da ingestão de alimentos nesse horário.

Cada dia mais as pessoas jantam mais tarde, comem mais condimentos, balanceiam menos a sua alimentação, isso para citar apenas alguns exemplos. Cada um desses novos hábitos, e na maioria das vezes, todos somados, só aumentam a ingestão de calorias.

Homens e mulheres trabalham cada dia mais e mais horas por dia. O resultado disso tudo são pessoas que chegam nervosas e ansiosas - cada uma à sua proporção - em casa à noite, e que vão buscar nos alimentos um consolo, uma válvula de escape, e acabam comendo mais.

Outro fator muito importante que tem levado as pessoas a comer mais durante a noite está no fato de que, na correria do dia-a-dia, elas acabam pulando algumas refeições ou se alimentando de forma inadequada, só quando estão com fome.

Essa "confusão" no relógio alimentar, acaba fazendo com que a curva glicêmica da pessoa fique muito variada e que ela sempre tenha a sensação de estar com mais fome do que poderia estar caso se alimentasse mais vezes ao dia, em menores quantidades.

Como e o que comer?
Para Clorisana, é importante que a pessoa tenha consciência de que está gastando menos energia e que por esse motivo, deve equilibrar suas ingestões. Com todos os fatores citados, que fazem com que nosso organismo peça ou sinta mais fome durante a noite, esse desafio pode ser ainda maior.

As refeições devem ser mais leves e menos calóricas. Alimentos pesados, além de encontrarem maior dificuldade de digestão, podem prejudicar uma noite de sono bem dormida, que aliás, faz toda a diferença para quem quer manter o peso.

A nutricionista diz que entre 5h e 8h nosso organsimo libera cortisol, que provoca uma sensação de saciedade no organismo. Logo, pessoas que acordam cedo demais ou têm o sono "picado" durante a noite, podem sentir mais fome e desequilibrar toda a sua ingestão calórica do dia.

O que não comer

A dica é tomar cuidado com os carboidratos. Isso não quer dizer que você não possa comer cairboidrato durante a noite, e sim, que isso deve ser feito de forma moderada.

Onde encontramos carboidratos: em pães, macarrão, arroz, batata, biscoitos, bolo, farinhas. Caso isso seja realmente inevitável, o carboidrato deve ser ingeriado em sua fórmula complexa, ou seja, somado à fibras.
Onde encontramos carboidratos complexos: na aveia, linhaça e pães integrais.

Outro componente que deve ser evitado são as gorduras encontradas principalmente em alimentos fritos e nos condimentos e molhos. Então, nada de coxinhas ou maionese durante a noite.

O que comer

A dica da nutricionista é aproveitar o frio e entrar de vez nas sopas e caldos, que são nutritivas e nem tão calóricas. Sanduíches naturais, saladas e mingau de aveia também são uma boa pedida.

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.

Marcos Silvestri: Olá Clorisana, muito legal as informações. Poderia me falar mais sobre os malefícios de comer miojo todas as noites antes de domir?