• Assinantes
  • Zona Pink


    Orlando Almeida
    Para divulgar a volta do Miss Gay a Juiz de Fora, Orlando vai distribuir tablóides contando a história do evento, em cinco cidades do país, a partir de maio

    Sílvia Zoche
    Repórter
    16/04/2005


    Orlando Almeida conta sobre o jornal que elaborou para divulgar o Miss Gay, que, também, vai divulgar a volta da festa para Juiz de Fora. Clique e ouça!

    Em entrevista exclusiva à equipe ACESSA.com, o produtor do Miss Brasil Gay, há 18 anos, Orlando Almeida, fala sobre a volta do evento para Juiz de Fora e sobre sua continuação como produtor. "Eu acredito que eu continue na festa, porque sou uma pessoa que sempre trabalhei em prol dela e só engrandeci a festa, até hoje", comenta.

    Ele revela que está produzindo um tablóide, com o objetivo de reafirmar a volta do Miss Gay para Juiz de Fora. Já quanto ao tema da festa, Orlando quer sugerir a Chiquinho algo bem alegre. Além disso, fala sobre a possibilidade da presença do vencedor do Big Brother 2005, Jean Wyllys, compor o corpo de jurados. Leia a entrevista!


    Foto: Ludmila Gusman ACESSA.com - O que você achou do Miss Gay retornar para Juiz de Fora?
    Orlando Almeida - Isso daí eu estava aguardando, porque não tinha como não ser isso daí. Eu já fui contra, no ano passado, porque não tinha nada a ver essa festa sair daí. Não tinha nada que tirar uma festa que é tradicional da cidade.

    Desde aquela época, eu estou rebatendo isso na cabeça do Chiquinho, que é uma pessoa que eu já trabalho há 18 anos. E precisou acontecer as coisas do jeito que aconteceram aqui pra ele ver que eu tinha razão.


    ACESSA.com - E você vai continuar como produtor?
    Orlando Almeida - Eu acho que sim.

    ACESSA.com - Você tem que entrar em contato com o Chiquinho? Como está esta questão?
    Orlando Almeida - Eu já estive com ele, tivemos uma reunião e, aparentemente, parece que eu continuo.

    ACESSA.com - Vocês têm uma idéia de qual será o tema do evento?
    Orlando Almeida - Não, porque eu tenho uma idéia na minha cabeça e o Chiquinho, geralmente, tem alguma idéia que passa pra mim. Ele vem aqui para o Rio, em junho, na eleição da Miss Rio de Janeiro e aí a gente vai tratar sobre isso e define a linha que vai ser feita para o show.

    Eu estou querendo levar uma coisa mais de alegria. Da mesma forma que no ano retrasado eu fiz um show só com travestis, este ano eu queria fazer só com caricatas. Seria uma coisa super diferente, alegre, puxado para a arte circense. Se ele (Chiquinho) concordar, a gente monta neste esquema um show legal.

    ACESSA.com - E os jurados? Vocês dependem do tema do show ou vocês podem escolher antes?
    Orlando Almeida - Independente de tudo isso, eu já fiz um primeiro contato com o Jean (é isso mesmo! o vencedor do BBB 5!). Teve uma festa do lançamento de uma revista de um site gay e ele estava presente. Eu perguntei pra ele se ele já tinha ouvido falar (do Miss Gay). Ele falou que conhece, já tinha ouvido falar. E quando estiver mais próximo da festa é pra eu entrar em contato com ele. Ele me deu as coordenadas como eu devo falar com ele. Ele fará o possível para ser jurado.

    ACESSA.com - Você já possui algum outro nome que você pretende chamar, além do Jean?
    Orlando Almeida - Não, por enquanto, ainda não. É muito cedo. O que está acontecendo é que as pessoas ficaram muito inseguras com a troca de lugar o ano passado. Então, estamos reafirmando a volta da festa para Juiz de Fora. Por isso, eu elaborei um tablóide contando a história da festa, que vai ser lançado agora em maio.

    ACESSA.com - E esse tablóide será veiculado em que cidade?
    Orlando Almeida - Em cinco cidades: Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, São Paulo e Vitória. São 20 mil exemplares contando a trajetória de como começou, a alegria da Rua Halfeld, as personalidades da arquibancada... Está super interessante. Nós vamos fazer a distribuição num espaço de dois meses e meio. E foi muito legal que doze hotéis de Juiz de Fora aderiram ao jornal, restaurantes aderiram ao jornal, porque sem os patrocinadores não daria pra produzir.

    ACESSA.com - Então, o patrocínio é somente dos hotéis e restaurantes de Juiz de Fora?
    Orlando Almeida - Daí (Juiz de Fora) e de casas noturnas de São Paulo. E aqui do Rio, tem saunas, boates e locadoras de vídeo. Isso vai ser super interessante, tanto que o pessoal está pedindo pra eu dar continuidade. Mas a minha intenção é fazer um jornal único. A intenção é reafirmar a volta para Juiz de Fora e deixar as pessoas mais seguras disso. Até os hotéis ficaram inseguros com essa história. Mas agora eu reafirmei que o evento vai acontecer mesmo, que não é de interesse mais do dono da festa tirar a festa de JF. Só que precisava um apoio, que realmente ficou difícil (ano passado).

    ACESSA.com - E os ingressos? Já vai começar a vender?
    Orlando Almeida - Não. Em julho, a mesas começam a ser vendidas e na segunda quinzena de julho começam as arquibancadas.

    ACESSA.com - E o valor?
    Orlando Almeida - Eu acredito que seja o mesmo valor do ano passado. Ninguém cogitou valor maior: R$ 320, a mesa e R$ 30, a arquibancada.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.