• Assinantes
  • Zona Pink

    Empresas têm oportunidade de fechar negócios no Miss Gay Empresas de Juiz de Fora puderam expor seus produtos na 31ª edição do concurso

    Repórter: Priscila Magalhães
    Fotos: Laura Ferreira
    Priscila Magalhães
    Patrícia Faria
    Edição: Ludmila Gusman
    21/08/2007

    Além da lotação nos hotéis, nos bares e restaurantes, no comércio e nos táxis, o concurso de Miss Brasil Gay permitiu a algumas empresas expor seus produtos e serviços durante a festa. Esta foi uma das novidades (leia a matéria). Localizado em posição estratégica, logo na entrada do evento, os stands mostravam produtos de beleza, sabonetes perfumados, serviços fotográficos, artesanato e programas culturais, em todo o estado de Minas.

    Emílio Aleixo (foto abaixo) é dono de uma empresa do Cosméticos de Juiz de Fora e está há quatro anos no mercado. Ele disse que decidiu apostar no Miss Gay, porque seus produtos são voltados apenas para salão de beleza e muitos cabeleireiros estariam presentes no evento.

    "Quero consolidar minha marca em Juiz de Fora, já que vendo muito em Goiânia, no Maranhão, em Tocantins, São Paulo e Rio. Acho que as pessoas daqui não acreditam no produto fabricado perto delas". Emílio acredita que tenha um aumento de 15% nas vendas por causa da exposição na festa.

    Foto 
de Emilio, dono da empresa de cosméticos A Secretaria Municipal de Turismo, Indústria e Comércio expôs a cidade de Juiz de Fora através de artesanato, história e cultura.

    A diretora de turismo, Daniele Feyo (foto abaixo, à esquerda), diz que o objetivo é fazer com que o turista que vem para o evento comece a se sentir mais em casa, que ele vivencie mais a cidade, aumentando o tempo de permanência dele aqui (conheça o caderno de Turismo da ACESSA.com).

    "Temos que fazer com que ele venha antes e volte pra casa depois que o evento terminar. Assim, vamos contribuindo para o desenvolvimento de Juiz de Fora".

    No stand da Secretaria, os participantes encontraram artesanatos produzidos pela Casa da Menina Artesã. Eram colares e chaveiros. A instrutora de artesanato Izaura Castegliani diz que os produtos foram vendidos para visitantes de São Paulo e do Rio de Janeiro. "Já tivemos um aumento de 30% nas vendas, só com esta exposição aqui", afirmou.

    Foto de Daniele Feyo,
diretora de Turismo da Secretaria da Prefeitura de Juiz de Fora Foto do Artesanato da Casa 
da menina artesã Foto de Denise 
Menezes, assessora de marketing da Secretaria de Estado do Turismo

    As opções de turismo em Minas Gerais ficaram por conta da Secretaria de Estado da Cultura. Os circuitos de Minas que incluem as cidades históricas são os mais procurados. Denise Menezes (foto acima, à direita), assessora de marketing da Secretaria, diz que os homossexuais gostam muito de viajar por roteiros diferentes. "Precisamos atender esse público, por isso trouxemos as opções que Minas oferece".

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.