Zona Pink

Coroa, faixas e troféus são os objetos mais desejados Com eles vem a responsabilidade de fazer uma boa divulgação do concurso ao longo de um ano e representar o mundo gay em diversas regiões do Brasil

Clecius Campos
Repórter
12/11/2009

A coroa (ao lado), a faixa e o troféu são os objetos mais desejados pelas 27 candidatas ao título de Miss Brasil Gay 2009. Combinados, eles identificarão a mais bela transformista do Brasil a ser eleita no próximo sábado, 14 de novembro. Além de trazer beleza e compor o visual de uma verdadeira miss, os objetos marcam a responsabilidade de se fazer uma boa divulgação do concurso e representar a beleza gay em diversas regiões do Brasil.

Ao longo dos anos, 32 misses sustentaram o título e fizeram o concurso tornar-se ainda mais conhecido. Em 1979, a juizforana Baby Mancini (abaixo, à esquerda), levou a coroa, a faixa e o troféu para casa num momento em que o evento começava a ganhar relevância nacional. Após a vitória, Baby passou a frequentar festas no Rio de Janeiro, em São Paulo, Espírito Santo e na capital mineira.

Porém, sua participação não ficou restrita ao concurso vencido. A partir daquele momento, Baby passou a integrar a organização do evento e foi responsável pela coordenação artística do concurso até o ano de 2005. "Foi uma experiência muito boa para mim. Representar o concurso em vários locais do país, durante todos esses anos foi um presente."

Para a vida profissional, a cabeleireira adquiriu mais fama e reconhecimento. "Eu já era conhecida, pois trabalhava com beleza e estava relacionada com o concurso e com o Carnaval desde o primeiro Miss Brasil. Vencer o concurso e estar à frente do evento me garantiu mais projeção."

A Miss Brasil Gay 2000, Michelly X (abaixo, ao centro), também se sente presenteada com a vitória marcante. Considerada a miss que mais divulgou o concurso em todo o país, Michelly afirma ter viajado por todo o Brasil como mantenedora do título. "Eu estava na estrada todos os finais de semana e fui a transformista que mais gravou programas de TV. Vencer o concurso fez muita diferença em minha vida."

Após a projeção nacional, Michelly, que já era uma estilista conhecida em São Paulo, passou a costurar para nomes de peso em todo o país. Sua assinatura ficou ainda mais valorizada, já que em todos os anos desde sua vitória tem sido estilista de diversas outras candidatas. "Já venci o traje de gala várias vezes e sou coordenadora do Miss São Paulo Gay. Até hoje sou convidada para eventos referentes à beleza, sempre representando a beleza gay nacional. Para mim é um privilégio."

Foto de Bay Mancini Foto de Michelly X Foto de Lizandra Brunelly

Às vésperas de passar a faixa, a Miss Brasil Gay 2008, Lizandra Brunelly (acima, à direita), acredita ter feito uma boa divulgação do concurso. A transformista promoveu, em parceria com uma boate de Juiz de Fora, uma festa beneficente com arrecadação de alimentos para entidades filantrópicas. "É importante acabar com essa imagem de que o título é exclusivo da noite e que basta sermos bonitas. Podemos mostrar algo mais interessante."

Lizandra promete uma produção bonita para o momento da entrega da coroa, da faixa e do troféu. "Estou muito feliz e satisfeita por ter representado o mundo gay de forma tão bonita. Mas bate uma tristeza quando vejo que essa fase da minha história está para terminar. Espero que a próxima miss seja tão bem aceita como fui e que faça um bom trabalho pela causa LGBT."

A coroa, o troféu e as faixas

A coroa, confeccionada em estanho e folheada a prata, tem flores e folhas, formando desenhos que chegam à altura de 30 centímetros. "É uma semijoia, cravejada de strass swarovisk, avaliada em R$ 700", revela o responsável pela obra, Nelson Delmondes.

O troféu da Miss Brasil Gay 2009 é uma escultura de nu estilizado, feita em bronze. De acordo com o escultor, Toni Borges Cunha, o símbolo é o mesmo há pelo menos 15 anos e reflete a tradição do evento. "É um dos mais antigos e mais badalados concursos de beleza do Brasil. É bom fazer parte dessa história indiretamente."

As faixas, destinadas à Miss Brasil Gay 2009, à Miss Simpatia e à Miss Brasil Gay Júri Popular, foram feitas por um especialista baiano.

Foto do troféu Foto das faixas

Os textos são revisados por Madalena Fernandes

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.

Eliana Santana Mendes: legal adorei