Zona Pink

Organização cancela a realização do Miss Brasil Gay 2012

A decisão foi tomada porque não houve a captação de todos os recursos financeiros necessários para a realização da festa

Clecius Campos
Subeditor
28/5/2012
Foto do Miss Brasil Gay

O Miss Brasil Gay 2012 não irá acontecer. A notícia foi divulgada por meio de nota oficial da organização do concurso, assinada pela diretora-geral e representante legal do evento, Mirelle Mota, sobrinha de Francisco Mota, idealizador do desfile. Segundo informa o texto, a decisão foi tomada porque não houve a captação de todos os recursos financeiros necessários para a realização da festa.

"Apesar das instituições públicas — em especial a Prefeitura de Juiz de Fora — terem garantido suas contribuições como já vêm fazendo ao longo dos últimos anos, o Miss Brasil Gay não conseguiu captar o restante do montante de recursos junto à iniciativa privada", informa a nota assinada por Mirelle. Dessa forma, o evento que ocorreria no dia 18 de agosto fica cancelado.

A organização considera que não há tempo hábil para captar recursos para a realização do concurso ainda este ano. O cancelamento teria acontecido então pela organização "acreditar que, sem a condição financeira necessária, o evento não ocorreria com toda a qualidade e conforto que seu público merece e sempre espera desse grande evento."

Segundo a nota, a realização da 36ª edição do concurso deverá ocorrer em 2013. "A organização do Miss Brasil Gay faz questão de ressaltar que apenas a edição de 2012 está cancelada e desde já começa a envidar esforços e negociações para que em 2013 o concurso aconteça com toda a sua plenitude e glamour, que já são uma marca desse que é o maior concurso gay do país." O Portal ACESSA.com tentou contato telefônico com Mirelle Mota, mas não teve sucesso.

Candidatas e organizadores são surpreendidos

A notícia pegou de surpresa organizadores de etapas estaduais e candidatas. A Miss Distrito Federal Gay, Jessika Villalon, acredita que o brilho da festa não deveria ser apagado pela falta de patrocínios. "É um momento muito delicado na economia brasileira, mas há várias maneiras de manter o glamour e o brilho da festa. Uma sugestão é o desfile ser realizado em algum teatro ou local menor, para a economia de custos. Ainda torço para que os organizadores encontrem a melhor forma de realizar esse concurso que já é uma tradição, um patrimônio imaterial do Brasil."

O coordenador do Miss Mato Grosso do Sul Gay, Frank Rossatte, é mais realista sobre a falta de recursos. "No meu Estado, já aconteceu de apoiadores prometerem recursos e, na hora, não cumprirem ou diminuírem seus patrocínios. Fica difícil mesmo diminuir o nível do concurso, pois, por maior que seja a força de vontade e dedicação de toda a equipe, o que conta mesmo é o dinheiro." Ele acredita em um esforço conjunto para garantir a realização da festa. "Tenho a esperança de que todos os coordenadores, misses, artistas e até candidatas que já passaram por ali se mobilizem para dar o pouco de apoio possível."

A organizadora do Miss Juiz de Fora Gay, concurso que daria vaga para representar o Estado do Pernambuco no Miss Brasil Gay, a drag caricata AR-15, entende a decisão. "Faço o Miss Juiz de Fora há 12 anos e sei muito bem o que é não ter recursos para manter uma festa deste quilate. Apoiamos a decisão da diretoria da festa porque, infelizmente, é a única forma de não fazer a coisa errada, deixando de realizar uma belíssima produção. Agora, somente em 2013 é que teremos a oportunidade de festejar o maior evento gay do país."

Raika Bittencourt comenta o cancelamento

A Miss Brasil Gay 2011, Raika Bittencourt, deseja que o concurso seja realizado ainda em 2012. "Gostaria muito que fosse este ano, porque está todo mundo se programando para isso. Acabo de voltar de Manaus e o pessoal de lá está investindo demais. Há candidatas que conseguiram patrocínios que podem não ser confirmados em 2013. Mas se a decisão está tomada, é porque foi identificada alguma dificuldade. Portanto, é preciso respeitar."

Parada Gay ocorre normalmente

O coordenador da Parada Gay de Juiz de Fora, Oswaldo Braga, informa que as atividades da Rainbow Fest, além do desfile nas ruas, ocorre normalmente na semana do dia 18 de agosto. "[A festa ocorre] Normalmente. Cidade Rainbow, palestras, convidados, Parada Gay, festas Stomp e Pulse, etc. Tudo lindo e maravilhoso." Braga acredita que a expectativa de público também não deve ser alterada devido ao cancelamento do concurso. "Quando [o Miss Brasil Gay] foi para o Rio, subimos a Parada Gay de 10 mil para 35 mil pessoas. Não acredito que nos prejudique."

Os textos são revisados por Mariana Benicá

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.