• Assinantes
  • Zona Pink

    Entrevistas

    Oh! Linda - O primeiro palhaço gay do Brasil

    Ludmila Gusman
    13/08/02

    Mauricio José de Santana, 37 anos, é produtor cultural, ator, coreógrafo, maquiador, cozinheiro e nas horas vagas encanta o público com o personagem Oh! Linda - o primeiro palhaço Gay do Brasil. Este ano, ele virá a Juiz de Fora, nos dias 16 e 17 de agosto, para o Encontro GLS do Partido dos Trabalhadores (PT). No sábado, pela manhã, Maurício Santana estará no Calçadão da Rua Halfeld fantasiado de seu personagem. Em entrevista ao JFService, ele conta um pouco de seu trabalho e sua luta como ativista homossexual nas paradas Gays do Recife. Portador do vírus HIV há 13 anos, o personagem Oh! Linda revela, com exclusividade, sua vida de força e testemunhos.

    JFService - De onde surgiu a idéia de criar o palhaço gay?
    Oh! Linda - No ano de 1997, após um momento muito difícil de minha vida. Estava deprimido, sofri muito preconceito por ser soropositivo, por ser homossexual. Fiquei um pouco perdido, pois tudo parecia ser pecado: namorar, ser homossexual, ser artista, ser portador do vírus... Aconselhado por meu psicólogo criei forças para depois de várias terapias ter a idéia de criar o polêmico personagem. A idéia surgiu no bloco de carnaval Galo da Madrugada de Recife, considerado o maior bloco de rua do mundo. Foi maravilhoso, estava voltando a ser artista e precisava chamar atenção para realizar o sonho da infância de ser um dia um artista famoso. Consegui depertar a atenção do público e o Palhaço Gay se tornou um objetivo político social, além de um meio que encontrei para ajudar a comunidade homossexual e os portadores do HIV. Hoje faço shows e realizo palestras pelo país dando o meu testemunho.

    JFService - Como é o trabalho do Palhaço Gay?
    Oh! Linda - O palhaço gay já ajudou muitas pessoas com seus depoimentos em rádios, TV, jornais... Os depoimentos têm uma carga emocional muito forte, eu conto minha vida e Deus faz o restante. Acho que tenho uma missão e fui chamado para ser o que sou para levar exemplo e força a quem não acredita que mesmo com tantos preconceitos a gente pode ser feliz. Acredito que o Maurício atua muito mais que o palhaço gay. Eu sempre gosto de visitar pessoas e dar minha total contribuição na medida do possível. Recebo e-mails de pessoas querendo me conhecer, isso é muito importante para mim também. Agora quero trabalhar no sul-sudeste do Brasil, pois já realizei vários trabalhos em Recife, João Pessoa, Sergipe, Salvador, Maceió e em vários estados do Brasil. Estou sempre contribuindo com os meus depoimentos junto a algumas coordenações DST/AIDS também. Acredito que assim estou fazendo minha parte.

    JFService - Como são esses depoimentos?
    Oh! Linda - Sou portador há 13 anos. Já fui chamado para dar meus depoimentos em conferências de saúde, seminários, fóruns, para comunidades homossexuais e soropositivas, além de comunidades de baixa renda, escolas para grupos de adolescentes, feiras de ciências, prostíbulos. Um trabalho que, no início, era muito dolorido, pois rolava muita emoção de minha parte e do público. Agora estou mais acostumado, mas sempre as pessoas se emocionam muito quando estou falando. Enfrentei todo preconceito. Assumi a Aids desde o início quando fui aos jornais de Recife e disse para todos que tinha o vírus. Reivindiquei muitas coisas na saúde pública para beneficiar os portadores do HIV na regiõe Nordeste. No início, os médicos e a mídia tinham medo de mim. Nos depoimentos conto tudo isso. Como é minha vida, como foi difícil passar por tudo.

    JFService - E como é o seu trabalho como ativista homossexual?
    Oh!Linda - Meu primeiro ato público aconteceu em 1999, na praia de Boa Viagem. A partir daí não parei mais, continuei fazendo em 2000, 2001, mas nunca pensei numa parada gay em Recife. As coisas foram acontecendo naturalmente. Dia 23 de março de 2002, no Seminário do Grupo Leões do Norte, foi colocada uma proposta por todas as ONG´s, de organizar a Parada Gay de Recife. Os movimentos homossexuais de Recife, ao meu ver, eram desacreditados e composto somente por homossexuais assumidos e bastante discriminados. Depois de muita luta, hoje possuimos o apoio de diversas classes sociais e profissionais, de políticos, representantes de todas as esferas do poder. O grupo organizador se reúne toda a semana. Este ano mesmo fizemos uma passeata em junho.

    JFService - Mesmo com os preconceitos, você se diz uma pessoa forte e batalhadora. De onde vem essa força?
    Oh! Linda - Eu estou sempre com muita vontade de viver, estou sempre disposto a aprender e viver cada dia o seu dia. Sou um pouco comunista cristão, uma pessoa comunicativa e sem preconceito. Sou um pessoa vitoriosa, pois sei que enfrentei vários preconceitos por ser pobre, homossexual, portador do HIV, mas acredito na construção de uma sociedade menos preconceituosa. Sei perdoar todos que fazem o mau, acredito que Jesus é o modelo perfeito. Não consigo ser igual a Ele, mas me sinto muito bem tendo Ele como meu amigo número 1. Sou feliz porque tento levar às pessoas um pouco sobre a força que Jesus me transmite.

    JFService - O que o Miss Brasil Gay representa para você?
    Oh! Linda - O Miss Brasil Gay é o mais antigo evento realizado pela comunidade gay do Brasil. Acho que a coisa vai além das festividades. O pessoal se reúne para trocar informações sobre a comunidade GLBT do Brasil, além de namorar, fazer novas amizades, dar visibilidade ao movimento, para que a sociedade veja o potencial que temos. O Concurso promove também varios artistas do país. É vitrine para os artistas, cabelereiros e estilistas. A primeira vez que fui a Juiz de Fora para o Miss Brasil Gay foi em 1997, quando surgiu a idéia de criar meu personagem. Gostei muito da cidade e sempre que posso retorno. É um evento abençoado por Deus. Parabéns aos homossexuais que ajudaram a construir este evento maravilhoso, ao Chiquinho, Orlando Almeida, Oswaldo Braga, enfim todos e principalmente à população da cidade que deu crédito a nossa comunidade.

    JFService - E os projetos? Quais são?
    Oh! Linda - Tenho muitos projetos, principalmente aqueles voltados para as questões sociais como as comunidades soropositivas e homossexuais. Atualmente estou morando no Rio de Janeiro, tentando articular com as ONG´s novos projetos. Tenho sido muito bem aceito por todos, estou com muita fé de que o Rio será o início de uma nova etapa na minha vida, claro com ajuda de Deus.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.