• Assinantes
  • Autenticação
  • Animais

    Decidi mudar a alimentação do meu pet. Por onde começar?


    Isabela Micherif 28/10/2020

    Mudanças positivas são sempre bem-vindas! Isso é uma verdade para nós e para os nossos pets também.

    Nós sempre ouvimos falar o quanto uma alimentação saudável pode contribuir para que tenhamos uma vida mais plena, não é? Essa máxima também se aplica, por óbvio, à vida dos nossos cães e gatos.

    A ração, embora seja o alimento mais consumido pelos pets na atualidade, está longe de ser um alimento ideal. Na verdade, o sucesso desse tipo de alimentação deve-se muito mais ao nosso estilo de vida, cada vez mais corrido, do que às necessidades dos nossos animais.

    Você, tutor, já procurou saber quais ingredientes formam aqueles grãozinhos que seu cão ou gato comem diariamente? Já buscou informações que vão além daquelas contidas nos rótulos?

    Em geral, as rações são produzidas com proteína de baixa qualidade e a altíssimas temperaturas, o que pode dar origem a toxinas potencialmente cancerígenas; podem conter aditivos químicos já associados a casos de câncer (como os antioxidantes BHA e BHT), corantes e palatabilizantes, bem como grãos como milho, trigo e soja na sua composição, que além de serem inadequados à alimentação de cães e gatos, ainda são transgênicos, em sua maioria, e representam risco de contaminação por toxinas fúngicas.

    Diante dessa constatação, o tutor, preocupado, decidiu mudar o estilo de vida do seu pet. Conheceu a alimentação natural e todos os benefícios que essa dieta pode trazer para o seu cão ou gato e decidiu: o momento da mudança chegou! Afinal, qual tutor não deseja prolongar, com saúde, a vida do seu melhor amigo? 

    No entanto, atrelado ao desejo de mudança, é normal que apareçam muitas dúvidas e uma delas é: como iniciar a nova rotina? Como será a adaptação do animal? 

    O primeiro passo a ser adotado é verificar o estado geral de saúde do seu pet. Isso vai determinar o tipo de dieta mais adequada para cada animal. Caso exista alguma doença, a alimentação natural pode ser de grande auxílio no tratamento. Caso seu pet esteja saudável, poderá seguir uma dieta sem restrições.

    Passada a primeira etapa, o ideal é que o organismo do animal comece a ser preparado para as alterações que virão. É recomendado que, pelo período de aproximadamente uma semana, seja fornecido probiótico ao cão ou gato. É possível optar pelos probióticos comerciais, encontrados em casas de produtos veterinários e pet shops ou, ainda, iogurte natural ou kefir, que também apresentam excelente ação probiótica. A quantidade a ser fornecida dependerá do porte do animal. 

    Vencida a fase de fortalecimento da saúde digestiva e intestinal, a nova dieta deve ser fornecida em pequenas quantidades, juntamente com a alimentação habitual do pet. Ou seja, se o animal é alimentado exclusivamente com ração, precisará passar por uma transição. Isso significa que a alimentação natural será misturada à ração, aumentando a quantidade de alimento fresco, gradativamente, até que o animal esteja comendo apenas a nova dieta. Essa fase pode durar uma semana ou até mais, mas é importante para que não aconteçam vômitos e diarreias decorrentes de uma mudança brusca na alimentação.    

    Esse mesmo procedimento deve ser adotado em qualquer alteração na dieta dos peludos, ainda que seja entre rações de marcas diferentes, por exemplo.

    Se o seu animal for mais sensível às mudanças, a alimentação natural dá a possibilidade de inserir os ingredientes aos poucos, até que se chegue a variação desejada. O mesmo pode ser feito com relação aos complementos, como óleo de coco e azeite, por exemplo, e até com a suplementação, sendo incluído um item por vez e em pequenas quantidades, até que o peludo esteja completamente adaptado.

    Caso o animal seja um gato, o tutor precisa estar preparado para o que pode ser um grande desafio. Não porque os gatos sejam mais sensíveis a essa adaptação, mas porque são muito mais resistentes a qualquer mudança no seu cardápio. Portanto, a inserção de novos alimentos, para os gatos, pode ser ainda mais gradual e lenta do que para os cães e pode haver muitas recusas no início desse processo. Se seu gato ainda é filhote, comece logo! Essa é a melhor oportunidade para que o seu bichinho coma de tudo e tenha uma vida muito mais saudável.

    É imprescindível envolver o médico veterinário do seu pet em todo o processo de alteração da alimentação. Nunca faça mudanças tão importantes na vida do seu cão ou gato sem o apoio de um profissional habilitado.

    Feito esse caminho inicial é hora de usufruir de todos os benefícios que a alimentação natural trará para a vida do seu melhor amigo: mais saúde, mais disposição, mais alegria, mais qualidade de vida e longevidade.

    Isabela Micherif é graduada em Direito, pós-graduada em Direito Público, trabalhou por dez anos na área de Direito Ambiental, sendo cinco na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMAD) e cinco como assessora no Ministério Público de Minas Gerais. Depois desde período, deixou o trabalho no escritório para levar mais saúde e qualidade de vida a cães e gatos, por meio da alimentação natural. É proprietária e pet chef na empresa Cozinha Pet – alimentação natural para cães e gatos.

    Os autores dos artigos assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo dos textos de sua autoria. A opinião dos autores não necessariamente expressa a linha editorial e a visão do Portal ACESSA.com

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.