Aliança pela Infância atua h? 14 anos no Brasil preservando o direito do brincar

Por

Sábado, 9 de maio de 2015, atualizada às 13h53

Aliança pela Infância atua há 14 anos no Brasil preservando o direito do brincar

aliança

Proteger o tempo da infância para que crianças tenham uma infância digna e saudável. Esse é o objetivo da Aliança pela Infância, que em 1997, formada por um grupo de educadores deram início a um movimento internacional em defesa da infância.

Mas, somente em 2001, o movimento chegou ao Brasil pelas mãos da educadora Ute Craemer, que 20 anos antes havia criado a Associação Comunitária Monte Azul. Sete anos depois, o projeto chegou à Juiz de Fora. "A Aliança pela Infância surgiu na década de 90, na Inglaterra com um grupo de pais, educadores e profissionais de diversas áreas preocupados com a infância e seus principais problemas nos dias de hoje. Possui representação em diversos países da Europa, África, Ásia e Américas", explica a psicóloga infantojuvenil e representante da Aliança Pela Infância em Juiz de Fora, Ana Verly.

Segundo Ana, a entidade é "uma rede pelo respeito à essência das crianças. A missão da Aliança é sensibilizar a sociedade e zelar pelo desenvolvimento do ser humano e sua inserção em uma sociedade que promova valores da cultura da paz. Acreditamos na potência da criança que deve ser possibilitada e estimulada nas suas mais variadas expressões. Nosso símbolo é o Sol, que transmite forças de vida, luz e calor. Luz para um conhecimento mais aprofundado da alma infantil. Calor que nos possibilita criar um ambiente propício ao seu desenvolvimento", ressalta.

A Aliança pela Infância é formada por profissionais das mais diversas áreas, pessoas com variados níveis de formação e experiências múltiplas. "No Brasil, a Aliança pela Infância escolheu uma maneira bastante peculiar de desenvolver seu trabalho de defesa da infância. Foi adotada a ideia de rede, com grupos organizados, ou núcleos, que reúnem pessoas das mais diversas áreas sintonizadas com os princípios do movimento. Esses membros são responsáveis, em cada localidade, pela coordenação e realização das campanhas, projetos, programas de formação e ações de políticas públicas da Aliança."

Em Juiz de Fora

"Desde 2007 um pequeno grupo de pais, profissionais, parceiros e amigos vem atuando aqui na cidade, principalmente em ações com crianças e educadores no âmbito do brincar. Celebramos o Dia do Brincar, que acontece todo fim de maio e durante todo o ano realizamos palestras, oficinas além de reuniões mensais abertas ao público onde as crianças são sempre bem-vindas", completa, Ana.

A psicóloga relata que o grupo se expandiu na cidade e conta com parcerias com a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), por meio das faculdades de Educação e Educação Física, além do Museu Mariano Procópio (Mapro). Durante esses anos, o grupo também fundou a Aliança de Mulheres pela Maternidade Ativa (AMMA), que agora é independente. "Este ano é a primeira vez que vamos realizar a Semana do Brincar na cidade." Ana reafirma que o evento irá proporcionar um momento que deve ser garantido para todas as crianças. Serão ações em prol do brincar, da possibilidade da expressão mais pura e lúdica da criança em sua vida pulsante de vitalidade. Há que se proteger esse tempo de ser."

A Aliança atua nas áreas de brincar, consumo consciente, mídia e tecnologia, educação, saúde e nutrição, cidadania, cultura de paz, espaços, artes, garantia de direitos da criança e meio ambiente.

">
Sábado, 9 de maio de 2015, atualizada às 13h53

Aliança pela Infância atua há 14 anos no Brasil preservando o direito do brincar

aliança

Proteger o tempo da infância para que crianças tenham uma infância digna e saudável. Esse é o objetivo da Aliança pela Infância, que em 1997, formada por um grupo de educadores deram início a um movimento internacional em defesa da infância.

Mas, somente em 2001, o movimento chegou ao Brasil pelas mãos da educadora Ute Craemer, que 20 anos antes havia criado a Associação Comunitária Monte Azul. Sete anos depois, o projeto chegou à Juiz de Fora. "A Aliança pela Infância surgiu na década de 90, na Inglaterra com um grupo de pais, educadores e profissionais de diversas áreas preocupados com a infância e seus principais problemas nos dias de hoje. Possui representação em diversos países da Europa, África, Ásia e Américas", explica a psicóloga infantojuvenil e representante da Aliança Pela Infância em Juiz de Fora, Ana Verly.

Segundo Ana, a entidade é "uma rede pelo respeito à essência das crianças. A missão da Aliança é sensibilizar a sociedade e zelar pelo desenvolvimento do ser humano e sua inserção em uma sociedade que promova valores da cultura da paz. Acreditamos na potência da criança que deve ser possibilitada e estimulada nas suas mais variadas expressões. Nosso símbolo é o Sol, que transmite forças de vida, luz e calor. Luz para um conhecimento mais aprofundado da alma infantil. Calor que nos possibilita criar um ambiente propício ao seu desenvolvimento", ressalta.

A Aliança pela Infância é formada por profissionais das mais diversas áreas, pessoas com variados níveis de formação e experiências múltiplas. "No Brasil, a Aliança pela Infância escolheu uma maneira bastante peculiar de desenvolver seu trabalho de defesa da infância. Foi adotada a ideia de rede, com grupos organizados, ou núcleos, que reúnem pessoas das mais diversas áreas sintonizadas com os princípios do movimento. Esses membros são responsáveis, em cada localidade, pela coordenação e realização das campanhas, projetos, programas de formação e ações de políticas públicas da Aliança."

Em Juiz de Fora

"Desde 2007 um pequeno grupo de pais, profissionais, parceiros e amigos vem atuando aqui na cidade, principalmente em ações com crianças e educadores no âmbito do brincar. Celebramos o Dia do Brincar, que acontece todo fim de maio e durante todo o ano realizamos palestras, oficinas além de reuniões mensais abertas ao público onde as crianças são sempre bem-vindas", completa, Ana.

A psicóloga relata que o grupo se expandiu na cidade e conta com parcerias com a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), por meio das faculdades de Educação e Educação Física, além do Museu Mariano Procópio (Mapro). Durante esses anos, o grupo também fundou a Aliança de Mulheres pela Maternidade Ativa (AMMA), que agora é independente. "Este ano é a primeira vez que vamos realizar a Semana do Brincar na cidade." Ana reafirma que o evento irá proporcionar um momento que deve ser garantido para todas as crianças. Serão ações em prol do brincar, da possibilidade da expressão mais pura e lúdica da criança em sua vida pulsante de vitalidade. Há que se proteger esse tempo de ser."

A Aliança atua nas áreas de brincar, consumo consciente, mídia e tecnologia, educação, saúde e nutrição, cidadania, cultura de paz, espaços, artes, garantia de direitos da criança e meio ambiente.

Sábado, 9 de maio de 2015, atualizada às 13h53

Aliança pela Infância atua há 14 anos no Brasil preservando o direito do brincar

Proteger o tempo da infância para que crianças tenham uma infância digna e saudável. Esse é o objetivo da Aliança pela Infância, que em 1997, formada por um grupo de educadores deram início a um movimento internacional em defesa da infância.

Mas, somente em 2001, o movimento chegou ao Brasil pelas mãos da educadora Ute Craemer, que 20 anos antes havia criado a Associação Comunitária Monte Azul. Sete anos depois, o projeto chegou à Juiz de Fora. "A Aliança pela Infância surgiu na década de 90, na Inglaterra com um grupo de pais, educadores e profissionais de diversas áreas preocupados com a infância e seus principais problemas nos dias de hoje. Possui representação em diversos países da Europa, África, Ásia e Américas", explica a psicóloga infantojuvenil e representante da Aliança Pela Infância em Juiz de Fora, Ana Verly.

Segundo Ana, a entidade é "uma rede pelo respeito à essência das crianças. A missão da Aliança é sensibilizar a sociedade e zelar pelo desenvolvimento do ser humano e sua inserção em uma sociedade que promova valores da cultura da paz. Acreditamos na potência da criança que deve ser possibilitada e estimulada nas suas mais variadas expressões. Nosso símbolo é o Sol, que transmite forças de vida, luz e calor. Luz para um conhecimento mais aprofundado da alma infantil. Calor que nos possibilita criar um ambiente propício ao seu desenvolvimento", ressalta.

A Aliança pela Infância é formada por profissionais das mais diversas áreas, pessoas com variados níveis de formação e experiências múltiplas. "No Brasil, a Aliança pela Infância escolheu uma maneira bastante peculiar de desenvolver seu trabalho de defesa da infância. Foi adotada a ideia de rede, com grupos organizados, ou núcleos, que reúnem pessoas das mais diversas áreas sintonizadas com os princípios do movimento. Esses membros são responsáveis, em cada localidade, pela coordenação e realização das campanhas, projetos, programas de formação e ações de políticas públicas da Aliança."

Em Juiz de Fora

"Desde 2007 um pequeno grupo de pais, profissionais, parceiros e amigos vem atuando aqui na cidade, principalmente em ações com crianças e educadores no âmbito do brincar. Celebramos o Dia do Brincar, que acontece todo fim de maio e durante todo o ano realizamos palestras, oficinas além de reuniões mensais abertas ao público onde as crianças são sempre bem-vindas", completa, Ana.

A psicóloga relata que o grupo se expandiu na cidade e conta com parcerias com a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), por meio das faculdades de Educação e Educação Física, além do Museu Mariano Procópio (Mapro). Durante esses anos, o grupo também fundou a Aliança de Mulheres pela Maternidade Ativa (AMMA), que agora é independente. "Este ano é a primeira vez que vamos realizar a Semana do Brincar na cidade." Ana reafirma que o evento irá proporcionar um momento que deve ser garantido para todas as crianças. Serão ações em prol do brincar, da possibilidade da expressão mais pura e lúdica da criança em sua vida pulsante de vitalidade. Há que se proteger esse tempo de ser."

A Aliança atua nas áreas de brincar, consumo consciente, mídia e tecnologia, educação, saúde e nutrição, cidadania, cultura de paz, espaços, artes, garantia de direitos da criança e meio ambiente.

Últimas Notícias