ProInfo informatiza escolas públicas

Repórter Emilene Campos
03/11/99

Lançar mão de programas básicos para criar desde jornaizinhos até ensinar o teorema de Pitágoras com os efeitos de animação, sem desperdiçar os poderosos recursos de um bom banco de dados. Esta é a meta do Programa Nacional de Informática na Educação (ProInfo), que está sendo implantado pelo MEC e pelas secretarias municipais e estaduais de Educação.

A idéia é universalizar a informática na rede pública de ensino, fazendo com que o computador seja usado como recurso pedagógico por professores e alunos. O primeiro laboratório em Juiz de Fora será inaugurado dia 19 de novembro, na Escola Estadual Francisco Bernardino ( R. Sergipe, s/n; Manoel Honório). A diretora Juane do Carmo Mário está entusiasmada com o ProInfo. “Se as aulas forem preparadas com carinho, os alunos vão ter mais prazer em aprender”, comemora. A capacitação de todos professores está prevista para o próximo mês e a diretora acredita que os projetos pedagógicos só serão desenvolvidos no ano 2000, em função do término do período letivo.

Leia mais


O Núcleo de Tecnologia Educacional de Juiz de Fora

Para desenvolver o programa, foram criados em cada região os Núcleos de Tecnologia Educacional (NTE). Juiz de Fora abriga um destes núcleos e sua sede funciona no prédio da 18º Superintendência Regional de Ensino ( R. Mariano Procópio, 782; Centro). Depois de passar por um curso de especialização em Informática Educativa na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o grupo responsável por disseminar a informática nas escolas públicas se tornou apto a atuar como “multiplicadores”.

Além de treinar os professores da escolas da rede pública, o núcleo tem a função de sensibilizar os diretores sobre a importância deste instrumento na educação. O NTE de Juiz de Fora conta com 28 computadores, duas impressoras a laser, três servidores, três impressoras jato de tinta e dois scanners. Os equipamentos estão distribuídos em dois laboratórios, além da sala de reuniões e pesquisa.

Até o início de novembro, o NTE/ JF contemplou 30 escolas. Três são de Juiz de Fora e as demais estão localizadas nos municípios de Ubá, Cataguases, Argirita, Barbacena, Ponte Nova, entre outras. O critério adotado para a seleção permitiu que apenas as que oferecem ensino médio ou fundamental e com mais de 150 alunos fossem beneficiadas. De acordo com esta regra, fazem parte do ProInfo as escolas estaduais de Juiz de Fora: Antônio Carlos ( Rua Antônio Lopes Júnior, 40; Francisco Bernardino), Fernando Lobo ( R. São Mateus, 784; São Mateus) e Francisco Bernardino ( R. Sergipe, s/n ; Manoel Honório).


A coordenadora
do NTE/JF, Heloísa
Rita do Nascimento Santos
Para a coordenadora do NTE/JF, Heloísa Rita do Nascimento Santos, o maior benefício do programa é que o aluno tem acesso à tecnologia de ponta e, no futuro, vai ter condições de manter contato com estudantes de outros estados e países, através da Internet. Isso por que a expectativa é que, nos próximos anos, os NTEs se tornem provedores de acesso à Internet das escolas públicas.

Membros do NTE/ Juiz de Fora
  • Argentina Pinto de Almeida
  • Amarildo Bento de Moraes
  • Fátima Helena Oliveira de Araújo e Araújo
  • Heloísa Rita do Nascimento Santos
  • Marieme de Almeida Castro
  • Bruno Ribeiro Castelano (técnico)

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.