• Assinantes
  • Autenticação
  • Tecnologia Campanha contra a pedofilia na Internet

    Iniciativa contra exploração sexual de
    crianças e adolescentes pela Internet

    Provedores de Juiz de Fora assinam acordo
    com a Procuradoria da República de MG

    Colaboração:
    Abranet-MG Sudeste

    “Pedofilia é crime”. A frase que está sendo usada pela Procuradoria da República de Minas Gerais em campanha contra a exploração sexual de crianças e adolescentes pela Internet agora vai estar presente na página inicial de provedores de Juiz de Fora. O órgão está interessado em promover ações no sentido de combater a pedofilia e sua divulgação pela rede. Para isto, está propondo um acordo com provedores Internet do estado no qual solicita que as empresas incluam, na página inicial de seus sites, um link com a imagem ao lado. Ele dará acesso à página da Procuradoria onde os internautas podem fazer denúncias, além de encontrar informações sobre o assunto. O endereço é www.prmg.mpf.gov.br/prmg_pedo.php

    Em Juiz de Fora, o acordo foi firmado no dia 03 de março entre o representante estadual da Procuradoria Geral da República e os provedores ZAZ, ARTNET e Power Line. A representação do órgão em Minas Gerais está desenvolvendo a campanha com base no Estatuto da Criança e do Adolescente dando ênfase à ética e à segurança.

    No entanto, as empresas de JF que firmaram o acordo com a procuradoria já estão comprometidas com princípios que vão além da campanha desenvolvida pelo órgão. Em dezembro de 1999, junto com outras empresas do sudeste de Minas, eles criaram a Regional Sudeste da Abranet/MG (Associação Brasileira dos Provedores de Acesso, Serviços e Informações da Rede Internet de Minas Gerais) e adotaram um selo de qualidade. Ele representa o compromisso das empresas com a ética, a segurança e a qualidade dos serviços prestados.

    As empresas filiadas estão comprometidas com alguns princípios básicos estipulados pela entidade, entre os quais o controle do conteúdo hospedado pelos seus associados, ou seja, os provedores de acesso ligados a ABRANET/MG Sudeste têm como norma não aceitar a hospedagem de sites ilegais ou ofensivos, como pornografia infantil, entre outros. Mas, a criação da entidade vai além, apresentando também um caráter de auto-regulamentação. Uma vez que no Brasil e no mundo ainda não existe legislação específica para a Internet, uma das preocupações da ABRANET/MG Sudeste é criar meios de dificultar a prática de atos ilegais pela rede e facilitar a identificação de seus autores.

    Neste sentido, em reuniões periódicas, os provedores associados da Zona da Mata discutem as questões referentes à atividade, como segurança e privacidade na rede, além de buscarem meios de combater o uso indevido de senhas, a invasão de computadores entre outras ações prejudiciais praticadas on line.

    Outras informações sobre os princípios básicos adotados pela entidade com os quais os filiados se comprometem estão disponíveis no site www.abranet-mg-sudeste.com.br.

    Positivamente surpresos com a iniciativa de auto-regulamentação das empresas juizforanas, o Procurador Regional da República, Onofre de Faria Martins e o Procurador Regional dos Direitos do Cidadão, Fernando de Almeida Martins, pediram que a Regional Sudeste da Abranet/MG encaminhe à Procuradoria sugestões de ações que possam auxiliar o órgão no combate a outros tipos de crimes e práticas ilegais realizadas via Internet, além de pedofilia.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.