• Assinantes
  • Autenticação

  • Juiz de Fora 150 anos em um minuto:
    Os fatos e personalidades que construíram a história da cidade.
    Novas crônicas todos os dias, de segunda a sexta.
    Uma iniciativa da Rádio FM Itatiaia e do JFService

    17/04/2000

    Ouça a crônica
    Reclames
    Layout, outdoor, gingle, folder, spot, marketing, target, mídia são nomes comuns aos publicitários mais jovens. Mas antes da globalização, a história era outra. Que tal você chegar hoje para um publicitário e dizer: quero fazer um reclame da minha firma. Ele vai pensar que você pretende reclamar de alguma coisa. Mas até uma certa época, reclame, propaganda, anúncio e cartaz eram palavras comuns aos então publicitários. Em Juiz de Fora, além das rádios ou jornais, os bondes eram os "veículos", sem trocadilhos, usados para colocar um cartaz e fazer um reclame ou uma propaganda. Quem ia sentado nos bancos de madeira dos bondes, fazendo tranqüilamente sua viagem de ida e volta aos bairros, podia ler algumas delas, como Loja Well - preços doces como o mel, ou Bromil - o amigo do peito, ou ainda Casas Pernambucanas - onde todos compram. No entanto, a mais famosa de todas era a do Rum Creosotado: veja ilustre passageiro, o belo tipo faceiro que o senhor tem a seu lado. No entanto, acredite, quase morreu de bronquite. Salvou-o o rum creosotado. Com certeza, reclames que não voltam mais.

    Ouça a crônica
    Colégio Santa Catarina
    Um dos cartões postais do Morro da Glória e de Juiz de Fora, o Colégio Santa Catarina foi fundado em 1909. Tombado pelo Patrimônio Municipal em 25 de fevereiro de 1988, o prédio foi construído pela Companhia Pantaleone Arcuri e Spinelli, reunindo estilos variados, como o renascentista italiano e romântico. A história do colégio está ligada à colonização alemã. Ele foi fundado pelas irmãs da Congregação de Santa Catarina, que chegaram a Juiz de Fora em 1900, a pedido do consulado da alemanha, que estava preocupado com a falta de professores para os filhos dos colonos alemães que moravam na cidade. A princípio, o colégio funcionou no Bairro Fábrica e era chamado de escola alemã, em prédio erguido pela Companhia União Indústria. Neste local, as irmãs permaneceram até 1907, quando, por causa de uma briga entre os padres redentoristas e o culto católico da ex-colônia Pedro Segundo, tiveram que se transferir para a escola agrícola e, depois, para o antigo Colégio Andrés, até adquirirem o prédio na então Rua da Gratidão, hoje Avenida dos Andradas. A construção de tijolinhos coloridos sofreu várias ampliações ao longo dos anos, incluindo a inauguração da capela ao lado, em 1940.

    Ouça a crônica
    Catedral Metropolitana
    Seis anos antes de Santo Antônio do Paraibuna ser elevada à categoria de vila, o bispo de Mariana, Dom Antônio, assinou, em dezembro de 1844, a autorização para construção da capela em homenagem ao santo casamenteiro, hoje a Catedral Metropolitana. Em março daquele mesmo ano, os moradores já haviam tido a permissão da presidência da província para erguer um templo dedicado a Santo Antônio. No entanto, a primeira capela foi erguida na Fazenda do Juiz de Fora por Antônio Vidal, 90 anos antes. A segunda, de acordo com historiadores, foi construída em 1821 por Antônio Dias Tostes, entre Retiro e Caeté, com licença do próprio príncipe regente Dom João. O templo construído em 1844 teve logo que ser ampliado, pois ficou pequeno para o grande número de fiéis que assistiam às celebrações. Uma nova igreja, desta vez maior, foi construída atrás do prédio original, junto com um cemitério, onde os cristãos foram enterrados por 20 anos. A catedral já foi protegida por um muro de pedras de cinco metros de altura. No entanto, no início deste século, a parede foi demolida, e as pedras foram reaproveitadas no calçamento de diversas ruas da cidade. O dinheiro arrecadado com a venda de parte destas pedras também foi utilizado para a construção do jardim e das vias existentes em volta da igreja.

    Créditos:
    Texto e áudio - Equipe de Jornalismo Rádio FM Itatiaia JF
    Edição Internet e recursos digitais - Equipe JFService / ArtNet

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720