Material de construção financiado na hora

Saiba quem pode se beneficiar, o valor do empréstimo
e as formas de pagamento

Repórter: Emilene Campos
15/06/99

Melhorar a estrutura de sua casa era o sonho do casal Gilmar e Cecília Pereira. Mas com renda mensal de R$760, o metalúrgico aposentado não tinha condições de fazer obras de acabamento em sua casa. Recorreu ao banco e fez um empréstimo de R$5.250. Com o dinheiro, ele comprou material elétrico e hidráulico, portas, janelas, piso, azulejo e cimento. Sua esposa, a vendedora Cecília de Castro Pereira, está radiante com o financiamento. "Sem o plano, não teríamos condições de comprar todo o material de uma só vez". Outro ponto positivo, segundo ela, é a forma de parcelamento e o valor dos juros. "Com a nossa renda, seria muito difícil as lojas aprovarem o crédito e os juros seriam muito mais altos", comemora.


Para realizar estas obras, eles se beneficiaram do programa da Caixa Econômica Federal que financia materiais de construção e contratação de mão-de-obra especializada. Uma boa opção para quem está interessado em melhorar sua casa, mas não tem dinheiro no momento. Podem solicitar o benefício, famílias que ganham até 12 salários mínimos. O valor máximo do empréstimo é de R$7 mil, parcelados em até 60 meses. São cobrados 8% de juros ao ano mais a taxa referencial (TR) mensal. O Gerente de Mercado da CEF, Manoel Fernando Lamas Leite, lembra que as prestações não devem ultrapassar 30% do renda mensal do trabalhador. Para pagamento da mão-de-obra, podem ser requeridos até 15% do total do empréstimo

Nos primeiros quatro meses deste ano, 25 famílias foram atendidas. Com a crise, houve redução no número de concessões em relação ao ano passado, quando a média era de 32 por mês. "Como a inadimplência estava alta e o Governo não havia definido os recursos destinados à Carta de Crédito, diminuímos a divulgação do programa, no início do ano", explica o gerente. Isso aconteceu porque o financiamento de material de construção é um dos subprodutos da Carta de Crédito Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. "Como a situação foi normalizada, vamos intensificar a propaganda", diz o gerente. Para a região compreendida pelo escritório da CEF de Juiz de Fora,foram disponibilizados, este ano, R$7 milhões para a Carta de Crédito.

Desde que foi criado, em dezembro de 1996, foram fechados 100.419 contratos em todo o país, o que totaliza o investimento de R$392.967.221. Em Juiz de Fora, até abril deste ano, a CEF contabilizou 1186 contratos, o que corresponde a R$4,6 milhões.

Quem estiver interessado deve se dirigir às lojas credenciadas, listar e consultar o preços de todos os produtos necessários à obra. De posse do orçamento, a pessoa deve ir ao setor de atendimento de qualquer agência da Caixa Econômica Federal, levando xerox e originais dos seguintes documentos:

  • carteira de identidade
  • CPF
  • comprovante de renda
Para o financiamento ser aprovado, o candidato deve estar isento de restrições cadastrais, tal como constar na lista do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). Depois de aprovada, a quantia solicitada será creditada imediatamente à conta da empresa que vendeu as mercadorias. O beneficiado recebe uma carta de crédito e só começa a pagar a prestações no mês seguinte. Para saber o endereço da CEF mais próxima da sua casa, consulte a busca deste site.

Taxa Referencial
A Taxa Referencial é uma média das aplicações do mercado, por isso está sujeita à política econômica do Governo. Varia entre 0,5 e 1% ao mês.

Lojas credenciadas

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.