Artigo

Empresas Juniores

Colaboração: Campe
08/03/2000

Ultimamente, o assunto Empresa Júnior tem deixado de ser pauta de reunião entre alunos e professores no meio acadêmico para ganhar outras dimensões, principalmente tornando-se ponto de discussão no meio empresarial.

Para aqueles que ainda não têm uma boa noção do que vêm a ser Empresas Juniores, é fundamental conceituar que elas são associações civis sem fins lucrativos, constituídas por alunos de graduação de estabelecimentos de ensino superior, com o objetivo de prestar serviços e desenvolver projetos para empresas, entidades e sociedade em geral, nas suas áreas de atuação, sob a supervisão de professores e profissionais especializados.

A questão mais interessante está relacionada ao fato de que estas empresas são geridas pelos próprios alunos das instituições nas quais estão inseridas, incentivando o espírito empreendedor necessário a qualquer profissional das várias áreas de formação acadêmica. Outro ponto merecedor de destaque é que estes acadêmicos conseguem oferecer serviços de qualidade ao mercado e com preços bem mais acessíveis se comparados ao de uma empresa profissional do mesmo ramo. Talvez esteja aí o principal motivo de diversos empresários mostrarem interesse em conhecer melhor este tipo de atividade, na busca de soluções inovadoras para seus mais diversos ramos de negócios.

Historicamente, o movimento Empresa Júnior possui como marco o ano de 1967, com o surgimento da primeira Empresa Júnior na universidade francesa ESSEC (L´Ecole Supérieure des Sciences Economiques et Commerciales de Paris). Tal movimento alcançou elevados níveis de desenvolvimento e profissionalização em todo continente europeu, tendo como reflexo o fortalecimento do Movimento Empresa Júnior, recebendo cada vez mais incentivos das universidades e do mercado.

Principalmente a partir de 1986, este processo de internacionalização se intensificou, alcançando países como Portugal, Espanha, Itália, Inglaterra, Holanda, Suíça, Alemanha e finalmente o Brasil em 1988, através da Câmara de Comércio França-Brasil.

As primeiras Empresas Juniores brasileiras surgiram na FGV (Fundação Getúlio Vargas), FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado) e na Escola Politécnica da USP (Universidade de São Paulo). Com a disseminação dos ideais deste movimento, houve um crescimento acelerado do número de Empresas Juniores brasileiras, atingindo mais de 100 no ano de 1995.

Em Juiz de Fora, o Movimento Empresa Júnior teve como precursoras as Empresas Juniores da Faculdade de Economia e Administração da Universidade Federal de Juiz de Fora, que em 1994 passou a se chamar CAMPE, e da Faculdade Machado Sobrinho (MASCI – Machado Sobrinho Consultoria Integrada), sendo criadas mais recentemente a BASE TRÊS (Informática) e a UNIDATA (Ciências Sociais), ambas na UFJF.

Além dessas Empresas Juniores apresentadas, que encontram-se em pleno funcionamento, existem inúmeras outras faculdades que já manifestaram seu interesse em aderir ao Movimento Empresa Júnior. Bom para a comunidade em geral, que passa a contar com a opção de prestação de serviços profissionais antes inacessíveis, principalmente a pequenos e micro empresários.

Colaboração: Frederico Silva Miana
e Marcelo de Rezende Pinto.
CAMPE - Consultoria a Médias
e Pequenas Empresas da
Faculdade de Economia e
Administração da UFJF.
campe@fea.ufjf.br

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.