• Assinantes
  • Autenticação
  • Casa

    Aprenda a montar um terrarium com plantas 

    Nome do ColunistaLuiz Henrique Duarte 4/11/2016

    O terrarium é um jardim-miniatura, montado em peças de vidro ou cristal, reunindo diferentes tipos de espécies, para compor e decorar qualquer ambiente. Esta ideia surgiu em 1842, através do botânico Nathaniel Bagshaw Ward, tornando-se tendência no período vitoriano e espalhando-se por alguns países. Na arquitetura de interiores, o verde é capaz de humanizar os espaços e deixá-los com uma atmosfera aconchegante, trazendo equilíbrio, harmonia e personalidade, como elementos sensoriais de uma decoração.

    Existem dois tipos de terrarium: o aberto e o fechado. Mas o importante é saber usar a criatividade para desenvolver a distribuição e a ornamentação da vegetação em sua montagem. Este mini-jardim é uma solução prática e funcional para garantir a presença das plantas em ambientes compactos ou uma solução para pessoas que não desejam dispor de cuidados excessivos na manutenção.

    A paisagista Cláudia Tabet Zanini (Jardins com Arte) recebeu a nossa equipe para mostrar a arte de criar um terrarium super diferente, simples e que todos podem fazer. As espécies mais comuns que são usadas são os cactus e as suculentas, e os cuidados requerem podas manuais, com o uso das próprias mãos ou com uso de tesouras. A manutenção pode ser realizada uma vez por semana ou quinzenalmente, usando um borrifador com 100 ml de água, onde a terra deverá estar sempre úmida. "Na verdade, em si, o terrarium é um jardim pequeno, onde você vê todo o ciclo do crescimento das plantas. Ali você monta o jardim, faz a irrigação, aquela água evapora e faz a umidecida", explica a paisagista.

    Não existem regras para expor o terrarium em um ambiente; o ideal é que sejam colocados perto da claridade natural da luz solar, para que possam desenvolver e prosperar na beleza e nas formas, irradiando uma energia uniforme para todo o espaço. Para escolher uma peça, também não existem métodos certos: elas podem fazer parte do nosso acervo de dentro de nossa casa, e podem ser reaproveitadas, desde um pequeno cálice de licor ou uma bomboniere antiga, mas recomenda-se que tenham altura e largura para receber a terra e os substratos necessários para o seu crescimento. "Eu acho que o gostoso do terrarium é isso, você tem uma peça linda que ganhou de casamento ou da sua avó, e aquela peça é marcante, então você monta ali, valorizando a decoração e resgatando as memórias afetivas", ensina Cláudia.

    As peças precisam ser de vidro e transparentes, porque oferecem maior resistência e permitem que as espécies possam ser observadas por completo. Neste exemplo, a paisagista usou uma peça com diâmetro de 20 cm e uma altura com cerca de 45 cm, para colocar os pedriscos, areia, substrato e a granitina, além das espécies escolhidas. Para fazer pequenos movimentos com as camadas e distribuir as espécies, recomenda-se o uso de agulhas de crochê ou tricô como pinças, lembrando sempre de deixar um espaço de 2 cm entre as plantas, visando o seu crescimento futuro. Faça o seu!

    As fotos de Bruno Caniato registram as etapas.

    Luiz Henrique Duarte é Bacharel em direito, designer de interiores graduado, jornalista apaixonado por arte clássica e contemporânea, boa música, arquitetura e tudo relacionado à estética do bem viver.

    Os autores dos artigos assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo dos textos de sua autoria. A opinião dos autores não necessariamente expressa a linha editorial e a visão do Portal ACESSA.com

    A Melhor Internet Está Aqui

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.