• Assinantes
  • Autenticação
  • Casa

    É possível adequar um imóvel alugado ao seu estilo de vida Para deixar a casa que acabou de alugar com a sua cara, é preciso conversar com o proprietário ou com a imobiliária antes de qualquer reforma

    Marinella Souza
    *Colaboração
    20/08/2008

    Quando uma pessoa aluga uma casa acaba se condenando a ficar por, dois ou três anos, em um ambiente que nem sempre é aquilo que ela esperava por não saber que pode reformar aquele espaço, deixando-o mais aconchegante e adaptado ao seu estilo de vida.

    O arquiteto Mário Márcio Queiroz explica que pequenas reformas em imóveis alugados são possíveis, mas é preciso antes uma boa conversa com o proprietário. "As modificações só são possíveis se o proprietário concordar e é importante lembrar que o gasto vai ser exclusivamente do inquilino e, dependendo do que for feito, vai ficar revertido para o proprietário".

    Se essa dinâmica parece injusta com o inquilino, Mário tem a solução. Segundo o arquiteto, é possível negociar com o proprietário uma redução no aluguel, grifada em acordo, visto que a modificação que a pessoa faz no imóvel, pode valorizá-lo para a próxima locação.

    No acordo, o proprietário vai deixar claro o que pode e o que não pode ser feito no imóvel, mas existe alguns impedimentos técnicos também. "Às vezes a pessoa acha que determinado pilar está atrapalhando a circulação de pessoas pela casa, mas derrubá-lo afetaria a estrutura do apartamento, então, não vale a pena fazer, porque teria que se criar uma outra estrutura para compensar e isso sai bem mais caro", explica.

    Foto de Mário Márcio Queiroz Se proprietário e inquilino já estão devidamente acordados, é fundamental o acompanhamento de um profissional qualificado que vai fazer um estudo do que os novos moradores precisam. Mário comenta que é preciso desenvolver um programa a ser avaliado, para só depois colocar a mão na massa e iniciar as reformas.

    Márcio comenta que o mercado imobiliário hoje já pensa na locação. "Os projetos de imóveis carregam uma série de informações que valorizam o imóvel para locação. Quem faz o projeto divide as aspirações de quem vai morar lá e isso rentabiliza o imóvel".

    Decoração de interiores

    A designer Dionizia Savino acredita que um imóvel alugado deixa poucas opções para decorações mais específicas, como uma troca de piso ou um rebaixo de teto, que são benfeitorias onerosas e dispensáveis para um espaço como esse. Mas "isso não quer dizer que não se possa ter um local aconchegante e prazeroso de se viver".

    Dionizia garante que com uma decoração bem planejada, que leve em consideração conforto e praticidade, é possível se sentir em casa e muito bem instalado mesmo em um imóvel alugado.O principal para uma boa decoração para esse espaço são boa circulação, iluminação adequada e cores reconfortantes.

    Foto de Dionizia Savino Além disso, a designer orienta que seja utilizado o mínimo possível de móveis. "A grande sacada são os móveis reversíveis como o sofá que vira cama, o aparador que vira mesa e outros. Esses móveis são práticos e dão mais espaço", orienta.

    Uma dica para garantir a maior circulação de pessoas na casa são os móveis que, aparentemente são embutidos, mas que no caso de uma futura mudança podem ser facilmente transportados e remontados em um novo endereço.

    Márcio explica que hoje os espaços residenciais estão menores e isso exige que os móveis sejam flexíveis, versáteis. "Fazer uma cozinha planejada em L, por exemplo, deixa o lugar mais espaçoso".

    Dionizia acrescenta que uma sala de jantar para oito pessoas pode se transformar em dois ambientes. "Sem a mesa, ela pode ser um móvel de sala de estar ou de TV. A mesa pode ser desmontada e usada só nas horas das refeições", diz.

    Outra dica é fazer uma boa iluminação, focando os quadros na parede para valorizar a obra de arte. Usar cores contrastantes nas paredes, de preferência fazendo um "L", para dar sensação de amplitude também dão um efeito particular ao imóvel alugado.

    Foto de sala Foto de sala de tv Foto de sala de jantar

    Dionizia sugere ainda o uso de tapetes dividindo espaços. "Às vezes a pessoa não tem como colocar um móvel ou uma parede para delimitar, por exemplo, a sala de jantar e a de estar, colocar um tapete entre elas é uma saída".

    Aquela poltrona que fica esquecida no canto da sala pode ganhar um charme extra se jogar sobre ela um xale bem bonito, colocar dois abajoures de canto e um puff frontal, que pode servir de mesa ou de apoio para os pés durante uma agradável leitura.

    O uso de texturas personalizadas pode ser uma boa alternativa, mas a designer adverte que isso deve ser muito bem pensado e conversado entre as partes envolvidas "porque é mais difícil desfazer do que fazer esse trabalho", ressalta. Outro detalhe: qualquer mudança depende do programa de quem vai morar na casa.

    Foto de uma cozinha americana, com bancada "Se você recebe muitos amigos e gosta de cozinhar, vale a pena investir em uma cozinha americana, por exemplo. É uma coisa simples de ser feita, é derrubar uma parede e colocar uma bancada. Na hora de sair do apartamento, se tiver que voltar tudo para o lugar, não vai sair caro", aconselha.

    O arquiteto aponta a cozinha americana como uma ótima reforma para ser feita em um imóvel alugado, em especial em Minas Gerais. "Além de simples e pouco onerosa, a cozinha faz parte da cultura mineira. As pessoas aqui entram pela cozinha e lá se reúnem, então, é um ótimo investimento", acredita.

    Tanto Mário quanto Dionizia destacam a importância de se ter um bom profissional por trás de um projeto de reforma porque um conflito no ambiente prejudica toda a vida de uma família.

    *Marinella Souza é estudante de Comunicação na UFJF

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.