Educação em Juiz de Fora
Prefeitura aposta em projetos para
diminuir a repetência e a evasão

Flávia Machado
13/07/01

“Reduzir os índices de repetência e a evasão escolar na rede municipal de ensino”. Com este objetivo, segundo avaliação da secretária municipal de Educação, Diva Chaves Sarmento, a Prefeitura Municipal está investindo em projetos de qualificação dos professores e apostando em novas didáticas de ensino na cidade.

Partindo do princípio que “evasão é consequência direta da repetência”, a secretária afirma que a repetência é o grande problema educacional a ser combatido. Com essa metodologia, a Prefeitura conseguiu reduzir índices de repetência e evasão ao longo de quase cinco anos, com os 49.091 alunos da rede pública municipal, investindo em projetos como o Caminhar I e o Transformação, que trabalham com a auto-estima dos estudantes repetentes e com a qualificação continuada dos professores, respectivamente. “A repetência deve ser combatida com métodos de acompanhamento dos alunos, para que não haja perda de qualidade do ensino”, esclarece Diva Sarmento.

De 1996 até 2000, os números apontam uma redução da repetência escolar de 21% para 16%, no ensino fundamental, nas 108 escolas da rede municipal. A evasão também caiu, de 5% para 3%, no mesmo período.

Outro projeto citado pela secretária de Educação, é a reestruturação da escola em Ciclos de Formação, caracterizado pela reorganização do ensino fundamental tradicional, de 1ª a 8ª séries, em três ciclos, que priorizam a idade dos estudantes. Em Juiz de Fora, três escolas já estão reestrutrando todo o seu método de ensino para o sistema de Ciclos. “Esta é uma mudança profunda na organização das escolas, que prioriza a faixa etária dos alunos e tem por objetivo maior amenizar as transformações sofridas na mudança de séries, principalmente, da 4ª para a 5ª”, ressalta Diva Sarmento.

O projeto Travessia é o mais recente deles. Implantado este ano, ele tem como didática a educação continuada e um trabalho integrado entre professores e alunos. A Bolsa Escola Municipal beneficia cerca de 960 famílias carentes com a ajuda de custo de meio salário mínimo mensal, independente do número de dependentes no período escolar. As condições para se conseguir o auxílio são a renda per capita de 1/4 do salário mínimo e ter 90% de frequência nas aulas.

Das 108 escolas da rede municipal, 17 contam com o Laboratório de Informática Educativa, projeto que faz parte do Sistema de Incorporação de Tecnologia à Educação.

Os professores têm a sua disposição o Centro de Formação do Professor, com biblioteca, vídeos e computadores. O salário base de um professor municipal, com curso normal é de R$ 390, e um com curso superior é de R$ 599.


Arquivo
geral

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.