Juiz de Fora inaugura terceira Casa de Parto do país

Ludmila Gusman
13/12/01

Uma casa toda equipada com quartos, sala de espera, banheiros e cozinha. Tudo preparado para a chegada do bebê que está para nascer. É com este ambiente de características familiares que Juiz de Fora pode contar, a partir de amanhã, dia 14 de dezembro, quando será inaugurada a terceira “Casa de Parto” do país. A primeira surgiu na periferia de São Paulo e a segunda foi inaugurada, este mês, em Belo Horizonte.
A Casa de Parto funciona na Rua Benjamim Constant, 790 , atrás do prédio do Restaurante Universitário do Centro.
Clique na foto acima para conhecer as instalações!

O projeto foi viabilizado pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), sob a coordenação da Faculdade de Enfermagem. Definida como um dos maiores complexos do Brasil, que vai dedicar-se exclusivamente à prática do parto normal, o espaço é conveniado ao Sistema Único de Saúde (SUS) e tem capacidade para atender, simultaneamente, até três futuras mamães.

Sua concretização contou com o investimento de R$ 369 mil, sendo que parte dos recursos, R$ 122 mil, foram disponibilizados pelo Ministério da Saúde, para compra de equipamentos e móveis. São mais de 20 cômodos onde vão trabalhar uma equipe de enfermeiras obstetras, auxiliares de enfermagem, auxiliares de serviços gerais, assistente social e alunos da UFJF.

A coordenadora do projeto, Betânia Maria Fernandes, diz que a idéia é tratar o parto de forma humanizada, respeitando as características fisiológicas da paciente. “Nós não estamos apresentando uma forma alternativa, estamos tentando resgatar algo natural”, acrescenta.

O que é necessário para dar à luz na Casa de Parto
Para a paciente ter o bebê na Casa de Parto, a coordenadora do projeto diz que, primeiro será feita uma triagem nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Betânia Fernandes alerta que, apesar do atendimento ser destinado ao público de baixa renda, não será possível atender a paciente sem, antes, ela ter feito o cadastro na UBS. As gestantes encaminhadas para a Casa de Parto devem ter o acompanhamento de profissionais que garantam a elas a plena segurança de que a gravidez é de baixo risco e que, portanto, nem a mãe nem o bebê vão correr riscos de vida.

A partir da 36ª semana de gestação, a paciente será acompanhada pelos especialistas da Casa, que vão auxiliá-la antes, durante e depois do parto. Se, por acaso, for constatado que a mãe vai ter um parto normal de alto risco a paciente será, imediatamente, encaminhada para a Maternidade Therezinha de Jesus (Rua Doutor Dirceu de Andrade, 33), o único hospital conveniado até agora.

Segundo Betânia Fernandes, em Juiz de Fora são realizados mais de 8 mil partos por ano, cerca de 50% através da cesariana, quando o ideal seria apenas 15%. O parto normal, de acordo com a coordenadora, ainda é muito pouco procurado pelas juizforanas.“A cesárea é a maior causadora de morte infantil no país e traz riscos tanto para a mãe quanto para o filho”, alerta.

Decoração contou com colaboração de 50 artistas da cidade
Para oferecer um ambiente agradável e aconchegante às pacientes, o local foi todo decorado e organizado de maneira a deixá-las bem à vontade, como se estivessem em casa, literalmente. A decoração contou com a criatividade de 50 artistas de Juiz de Fora e professores da UFJF. As paredes foram pintadas com cores suaves e decoradas com imagens dos mais variados gostos. Passeando pelos cômodos, é possível encontrar quadros de diferentes estilos.

A reitora da UFJF, Maria Margarida Salomão, diz que a intenção é aproximar a gestante da família e não encarar a gravidez como uma doença. Baseado nesse pensamento, a paciente pode levar junto com ela um acompanhante que ficará na Casa até o bebê nascer, oferecendo a assistência necessária, inclusive o carinho, indispensável neste momento. Após esse período a gestante permanece no local por mais 24h e, em seguida pode retornar à sua casa.

Bem diferente dos hospitais
Além do ambiente familiar que a Casa de Parto oferece, nada lá se assemelha ao hospital tradicional cheio de equipamentos e remédios. É claro que a Casa tem os utensílios necessários para a mamãe, mas isso é quase imperceptível. Além de ter a tranqüilidade que o ambiente oferece, a paciente pode passear pelos cômodos da casa, ouvir música, fazer massagens na sala de relaxamento, tomar banho em banheira de hidromassagem, com dedicação exclusiva dos profissionais. Até roupas adequadas, como camisolas, toalhas, roupas de cama podem ser oferecidos, caso haja necessidade.

Não há uma sala específica para o parto. O bebê vai nascer no quarto mesmo, sem intervenção cirúrgica. A paciente faz exames de pré-natal e participa de oficinas de preparação do casal, além de outras atividades que pretendem valorizar as necessidades da mulher e incentivar a integração desse momento com toda a família. Após o nascimento, o recém-nascido, é incentivado ao aleitamento materno e a mamãe recebe todas as dicas para cuidar bem do seu filho.

Conheça as instalações da Casa de Parto
Clique nas fotos abaixo para ver a imagem ampliada

Arquivo
geral

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.