• Assinantes
  • Autenticação
  • Cidade

    Portal ACESSA.com relembra os acontecimentos de 2010 em JFAno foi marcado por Eleições, Jogos Pan-americanos Escolares, erros no Enem, combate à dengue e greves. Ausências de secretários da PJF causaram polêmica

    Clecius Campos
    Repórter
    28/12/2010

    Ao longo de 2010, o Portal ACESSA.com cobriu inúmeros acontecimentos na cidade de Juiz de Fora. As notícias movimentaram diversos de nossos canais de conteúdos e as mais relevantes serão relembradas nesta Retrospectiva. Juiz de Fora viveu a disputa eleitoral para cargos do Executivo e do Legislativo, abrigou os Jogos Pan-americanos Escolares, acompanhou os desdobramentos dos erros ocorridos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), viu a infestação de dengue atingir altos índices, sofreu com greves no serviço público, cresceu em número de vagas de emprego formal e discutiu a construção de estradas e os impactos ambientais. Confira abaixo o que foi notícia em 2010 e os assuntos que prometem continuar em voga, em 2011.

    Índice
    Eleições 2010

    Foto de candidatosA cidade de Juiz de Fora foi imbuída pelo clima das Eleições 2010, mesmo antes dos nomes locais nas disputas às vagas do Legislativo serem anunciados. Já nos preparativos para o Carnaval, as máscaras dos políticos que podiam estar no pleito faziam sucesso nas lojas especializadas. No final de fevereiro e início de março, os primeiros candidatos locais já apresentavam suas pré-candidaturas à Câmara Federal e à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Em agosto, com candidaturas postas, a comitiva do PSDB, com Aécio Neves, Itamar Franco (PPS) e Antônio Anastasia, chega a Juiz de Fora para a primeira visita. A segunda vinda à Zona da Mata foi protagonizada por Anastasia e ambientada no Aeroporto de Goianá. A campanha tucana estaria na cidade em outras duas ocasiões, uma antes do primeiro turno e outra no segundo, apoiando José Serra.

    A campanha petista também apareceu e trouxe a então candidata à presidência Dilma Rousseff e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Terreirão do Samba. O comício atraiu 15 mil pessoas. Marina Silva (PV) foi a outra presidenciável a pisar em Juiz de Fora, para um evento com pastores. Na ocasião, ela pediu uma oportunidade no segundo turno. Passado o primeiro turno, a cidade conseguiu eleger sete nomes com influência na cidade, nas eleições proporcionais. Só os sete gastaram mais de R$ 18 milhões em campanha. A cidade ajudou ainda a reeleger Antônio Anastasia ainda em primeiro turno e a levar Dilma Rousseff e José Serra ao segundo turno das eleições presidenciais. A eleição de Dilma e a vantagem conseguida em terras juizforanas deram fôlego ao diretório local do PT para pleitear a disputa pela Prefeitura, em 2012. No último dia 17, oito políticos juizforanos foram diplomados pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG).

    IPTU

    Foto de pessoa entregando assinaturasSó no final do ano, no dia 1º de dezembro, o Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) 2010 foi apresentado à Câmara Municipal de Juiz de Fora (CMJF), com mensagem que solicitou reajuste de 10% na Planta Genérica de Valores de Terreno (PGVT), além de concessão de 8% de desconto para o pagamento à vista, menor que a praticada no ano de 2009. A intenção foi criticada por movimentos sindicais, que fizeram manifestações públicas e chegaram a entregar um abaixo-assinado com cinco mil nomes ao Legislativo, solicitando a derrubada da matéria. O clamor foi atendido pela Câmara, em uma reunião que durou cerca de quatro horas. No último dia 27, a Prefeitura decretou aumento linear na PGVT de 5,63%.

    Executivo esvazia reuniões

    As ausências de funcionários do alto escalão da Prefeitura esvaziaram reuniões ocorridas na Câmara Municipal e foram motivo de crítica por parte dos vereadores. Em janeiro deste ano, Legislativo e Executivo discutiram sugestões à revisão da Lei Orgânica, vindas do poder público, e explicitaram a necessidade de ser regulamentada uma punição para as ausências das autoridades. Mesmo sem o consenso da base governista, a obrigatoriedade da presença diante convocação do secretariado do Executivo virou artigo da Lei Orgânica. Em algumas situações, a norma foi descumprida. A secretária de Atividades Urbanas (SAU), Sueli Reis, deixou de comparecer a uma reunião sobre a volta de outdoors na cidade, emperrando o prosseguimento do assunto. O secretário de Saúde, Cláudio Reiff, não foi a duas audiências públicas (veja aqui e aqui) sobre a terceirização dos serviços e foi criticado.

    Foto de Sueli Reis discutindo com Julio CesarA situação mais inusitada foi protagonizada por Sueli Reis, quando, após a mudança de horário de uma audiência com o promotor de Justiça de Meio Ambiente e Urbanismo, Júlio César da Silva, deixou de comparecer ao encontro. Avisada de que sua ausência configuraria como falta de vontade em prestar esclarecimentos à Justiça, Sueli, que estava no mesmo prédio, em outra reunião com o Ministério Público, invadiu a sala de Silva e travou uma discussão que culminou em ameaça de voz de prisão em desfavor de Sueli, por desacato a autoridade. Sueli não chegou a ser presa, mas Silva, na ocasião, disse que moveria uma ação criminal contra a secretária.

    Flanelinhas

    Em março, a apresentação de denúncias e de reclamações sobre a presença de flanelinhas em vias públicas da cidade levou a Câmara a criar uma comissão que estudaria medidas para a solução dos problemas. As discussões seriam permeadas pela necessidade de regulamentação da atividade dos guardadores de carros, mas seria necessária a apresentação de um diagnóstico sobre a atuação dos flanelinhas na cidade. A implantação de uma possível área azul noturna entrou na pauta, mas foi descartada. Um diagnóstico foi feito pela Secretaria de Assistência Social (SAS), em parceria com a Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), e mostrou que a renda dos trabalhadores era superior à esperada. Com o estudo feito, a previsão era de que o projeto de lei que regulamenta a atividade ficasse pronto até janeiro de 2011. No entanto, a ausência de representantes da Justiça em algumas reuniões acabou deixando as discussões sobre a segurança para o ano que vem.

    Greve no MTE

    Foto de faixa no MTEA greve de seis meses dos trabalhadores do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) deixou alguns serviços precarizados em Juiz de Fora. A mobilização foi iniciada em abril, mas já era prevista desde meados de março. Os servidores lutavam por plano de carreira específico e melhorias nas condições de trabalho. Um mês após o início da paralisação, mais de duas mil carteiras de trabalho e três mil pedidos de seguros-desemprego deixaram de ser emitidos. Em agosto, a Gerência Regional do Trabalho em Juiz de Fora distribuía senhas para o início de outubro, obrigando parte da população a buscar pelos serviços em Matias Barbosa. Em setembro, o grupo continuou mobilizado, após a Justiça considerar a greve legal, mas o fim do dissídio coletivo, em outubro, fez com que a liminar perdesse o efeito, obrigando os trabalhadores a voltarem a seus postos.

    Geração de empregos

    Foto de carteiras de trabalhoAté o mês de novembro de 2010, a cidade de Juiz de Fora teve aumento de 6.300 postos de trabalho formal, configurando uma variação positiva de 5,35%. Até o momento, novembro é o mês recorde em criação de novas vagas, gerando 1.391 postos. Ao longo do ano, os números mostraram que a criação de postos foi mais expressiva no segundo semestre. O mês de julho de 2010 teve o melhor saldo desde 2004. Em agosto, foram geradas 1.011 novas vagas, sendo o segundo melhor mês do ano. Em outubro, Juiz de Fora cresceu mais que Minas Gerais em empregos e obteve índice idêntico ao registrado no Brasil. Enquanto fevereiro e março indicavam o início de um bom ano, abril indicou queda no incremento de postos e junho, a perda de 122 vagas no comércio. Janeiro apontou preocupação com a agropecuária, com a perda de 34 postos.

    Dengue

    Foto de estande da dengueO ano de 2010 começou com o índice de infestação de dengue em Juiz de Fora, apontado pelo Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), em 4,97, cinco vezes maior que o preconizado pelo Ministério da Saúde. O estudo anunciava o crescimento da doença na cidade. No mês de fevereiro, em oito dias, o número de casos subiu 300%. Em abril, a cidade já tinha mais de mil casos. Naquele mesmo mês, em audiência pública ocorrida na Câmara Municipal, foi revelado que agentes do Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental (DVEA) deixaram de visitar 40% dos imóveis programados.

    Até julho, nove mil casos e 16 óbitos foram registrados. No dia 15 de outubro, a criação do Comitê Municipal de Enfrentamento à Dengue veio com a notícia de que a Prefeitura pretendia arrecadar imóveis urbanos abandonados, que tenham a possibilidade de serem criadouros do Aedes aegypti. Campanhas de prevenção ocorreram na cidade e mais de 12 mil garrafas, latas e pneus foram trocados por material escolar em bairros de Juiz de Fora. O incentivo ao cultivo de plantas com a capacidade de diminuir a criação dos mosquitos virou lei. Um novo LIRAa será realizado em janeiro. Na região, cidades como Cataguases e Matias Barbosa também sofreram com a doença.

    Amac e Saúde

    Foto do prédio da AmacDesacordos envolvendo a migração de profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF), contratados pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), para o quadro de servidores da Prefeitura causaram polêmica em 2010. O Executivo tinha a intenção de se desligar totalmente da entidade até maio, mas as discussões sobre o processo de migração dos funcionários acabaram emperrando algumas medidas.

    A notícia de que as verbas rescisórias, pagas a todos os profissionais, que seriam demitidos da Amac e readmitidos pela Prefeitura, poderiam ser divididas em 12 vezes, incluindo o último salário, desagradaram as categorias envolvidas. Médicos queriam garantir o saque imediato do FGTS, após a demissão coletiva, mas acabaram conseguindo que a PJF fizesse uma demissão escalonada, garantindo o saque do FGTS e possibilitando o pagamento, em seis parcelas, de resíduos de férias e de décimo terceiro. Em setembro, os médicos começaram a migrar para a Secretaria de Saúde (SS).

    Agentes da ESF mostraram-se insatisfeitos com o processo de remanejamento da Amac para a SS. Segundo denúncias feitas em audiência pública na Câmara, havia problemas pontuais com a revalidação dos contratos, causando prejuízos a um grupo de 47 agentes. Os servidores pediram a interrupção do processo.

    Enem

    Foto de estudantes fazendo provaEm junho deste ano, decisão do Conselho Setorial de Graduação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) definiu que o Enem seria substituto da primeira fase do Vestibular 2011. Próximo da data do exame, o Portal ACESSA.com ouviu de professores de cursos preparatórios que os níveis de dificuldade do Enem e do Vestibular eram distintos e demandavam estudo diferenciado. Explicamos ainda como funciona a Teoria de Resposta ao Item (TRI) utilizada no Enem e de que forma ela possibilita que a prova seja aplicada a qualquer momento.

    Erros em cadernos e cartões de resposta mobilizaram o Brasil e desanimaram também estudantes juizforanos. A repercussão do assunto fez com que a Justiça proibisse a divulgação dos resultados e impedisse os pedidos de reclamações, por meio de liminar. A suspensão de tal medida liberou a validade do exame e possibilitou que o Ministério da Educação (MEC) realizasse novas provas para aqueles que foram prejudicados. Na Zona da Mata, os novos exames foram aplicados em quatro cidades.

    Greve nas escolas estaduais

    Foto dos grevistasQuase dois meses de greve dos professores estaduais deixaram a maioria dos estudantes sem aulas em Juiz de Fora. A mobilização foi deflagrada em 9 de abril e durou até o dia 26 de maio. A categoria reivindicava melhoria salarial e em itens da pauta social. Quatro dias após o início das paralisações, 60% das escolas estaduais na cidade estavam sem aulas. Diversos atos públicos foram realizados, o que fez o movimento ficar ainda maior. No início de maio, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) considerou a greve ilegal e obrigou o retorno ao trabalho. A categoria permaneceu mobilizada e não recuou mesmo diante de ameaça de demissão dos grevistas por parte da Secretaria de Estado de Educação. No final de maio, a greve chegou ao fim, após acordo com o governo.

    Estradas, meio ambiente e Aeroporto Regional

    Foto de mapa de alternativa para a estradaEm fevereiro deste ano, a primeira licença ambiental para a construção da estrada que dará acesso ao Aeroporto Regional da Zona da Mata foi concedida pela Superintendência Regional de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Supram) da Zona da Mata.

    A matéria foi tema de diversas discussões no Conselho de Política Ambiental de Minas Gerais (Copam) e sua votação chegou a ser adiada por pedido de vistas do Ministério Público. Embora seu traçado tenha sido aprovado pelo Copam, com ressalvas, a decisão sofreu recurso impetrado pelo Ministério Público, que denuncia ilegalidades e irregularidades diversas. Em outubro deste ano, com o traçado já definido, ambientalistas, que apontam que o trajeto pode causar danos à Represa João Penido, continuavam tentando barrar a construção da estrada naquele local, apresentando alternativas de traçado.

    Enquanto o acesso não sai, o Aeroporto de Goianá segue inoperante. Em julho, a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) assinou contrato com uma empresa que ficou responsável por administrar e gerenciar o local. A presença de uma empresa não foi suficiente para que a pista fosse liberada. A necessidade da retirada de um obstáculo natural, um topo de morro, na cabeceira norte fez com que as obras de remoção fossem logo iniciadas. O local foi palco para a visita do governador Antônio Anastasia (PSDB), em campanha, à Zona da Mata.

    Outra estrada cuja construção passou 2010 sendo alvo de denúncias foi a BR-440. No primeiro trimestre, movimentos sociais diversos realizavam abaixo-assinados pela paralisação imediata das obras. Em abril, a construção prosseguia mesmo sem licenciamento. Um mês depois, o Comitê Diga não à BR-440 apresentou pedido de liminar contra as instituições envolvidas nas obras, mas as intervenções continuaram, inclusive com o decreto de desapropriação de um imóvel, por onde a via passaria. No último dia 23, a Justiça decidiu, cautelarmente, suspender as obras, reconhecendo ilegalidades no processo licitatório, no projeto de engenharia da obra, na utilização dos recursos e na sub-rogação do contrato a duas outras empresas.

    Pan-Americanos Escolares

    Foto de atletas brasileirosOs Jogos Pan-Americanos Escolares movimentaram Juiz de Fora e o Portal ACESSA.com em 2010. Em janeiro, as instalações esportivas da cidade receberam o aval da Confederação Brasileira do Desporto Escolar (CBDE). Em março, o Caderno de Encargos, contendo as exigências a serem cumpridas pela PJF, definiu os empenhos que deveriam ser observados. No segundo semestre, as seletivas nacionais para os jogos já revelavam o alto padrão dos atletas brasileiros.

    Concomitante à cobertura do Pan em português, o Portal ACESSA.com disponibilizou todo o conteúdo das notícias também em espanhol, língua falada por todas as delegações que não tinham origem brasileira. Mesmo antes da abertura oficial, o Congresso Técnico do evento já marcava o início dos trabalhos dos jogos. O marco inicial do Pan foi a cerimônia de abertura, culminada com a chegada da tocha, após percurso de 13 quilômetros. Ao final do evento, a comitiva brasileira consagrou-se a vitoriosa dos Jogos Pan-Americanos Escolares. A realização do evento no Brasil serviu de incentivo para que jovens atletas se mantivessem nos esportes.

    O ano do Tupi

    Foto do Tupi treinandoO Tupi Foot Ball Club iniciou 2010 com a chegada do volante Denilson, o último reforço que definiu a equipe para a disputa do Campeonato Mineiro. Onze dias depois, o Carijó estreava na disputa contra o Ipatinga. Encontros seguidos com o clube do Vale do Aço marcariam as etapas do galo juizforano no Mineiro. O primeiro jogo das quartas-de-final foi contra o Ipatinga. O time foi o mesmo que eliminou o Tupi, nas quartas de final, após um empate, em dia chuvoso, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio. A quarta colocação no Mineiro credenciou o Carijó a disputar a Série D do Brasileiro. Em junho, o time já se preparava para a competição.

    No sétimo dia de junho, o então técnico Leonardo Condé deixou o clube para liderar o Ipatinga. O ex-jogador do Carijó, Jordan de Freitas, assumiu a direção da equipe no dia 10 de junho, sendo demitido em 19 de julho, após consecutivas derrotas em partidas oficiais e jogos-treino. No dia seguinte, Ademir Fonseca assumiu a liderança do time. Enquanto disputava a Série D do Brasileirão, Fonseca deixou o Carijó para assumir a direção do Vila Nova Futebol Clube, de Goiás. Foi quando Leonardo Condé voltou a ser técnico do Tupi.

    A disputa do Brasileiro prosseguiu e o Tupi não conseguiu passar para a segunda fase do campeonato, sendo eliminado após derrota para o Uberaba. Era o fim da temporada 2010. O restante do ano, o Carijó usaria para reestruturar a equipe para a disputa do Campeonato Mineiro 2011. A disputa sofreu alterações e passou a classificar apenas quatro times após a primeira etapa. Ciente da dificuldade, o galo apresenta um elenco, contendo nomes conhecidos da torcida, atletas ascendentes da equipe juniores e jogadores de fora. Mais nomes (leia aqui e aqui) foram acrescidos no grupo que volta a treinar na primeira semana de 2011.

    O ano do Sport

    O Sport Club Juiz de Fora iniciou 2010 em busca de atletas que se identificassem com a equipe, para a disputa da Segunda Divisão do Campeonato Mineiro. Em maio, o elenco que participaria da competição começava a ser definido. A comissão técnica foi apresentada, com a manutenção de Nando Ozório como técnico, e a estreia no Mineiro veio com goleada sobre o Arsenal. Com boa campanha, a perda de seis pontos, por jogar com atletas não cadastrados no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), não afetou o ânimo dos jogadores. O Sport chegou à fase final da terceirona com direito à artilharia da competição. O hexagonal final do Módulo II não foi bom para o Sport. O time teve perdas consecutivas, que dificultaram o acesso da equipe ao Módulo II. A equipe terminou aquela fase em último lugar e realizou o último jogo para cumprir tabela.

    Miss Brasil Gay e Parada

    Foto de Carol ZwickMais uma vez, o canal Zona Pink do Portal ACESSA.com foi referência na cobertura dos principais eventos da cultura LGBT na cidade: o Miss Brasil Gay 2010 e a 8ª Parada do Orgulho LGBT de Juiz de Fora. A cobertura foi iniciada em maio, com a apresentação das primeiras candidatas. Pelos 12 anos de trabalho, o canal Zona Pink foi premiado pelo Movimento Gay de Minas (MGM) com o Troféu Cidadania.

    Na noite de 14 de agosto, uma explosão de cores e brilho invadiu o Sport Club Juiz de Fora, com a realização do Miss Brasil Gay 2010. Vinte e seis candidatas ao título apresentaram trajes de gala e fantasias típicas de encher os olhos. Mágica, risos e emoção marcaram os shows do evento. Trinta e quatro veículos de comunicação cobriram a festa. E, na madrugada de 15 de agosto, a Miss São Paulo Gay, Carol Zwick, foi eleita Miss Brasil Gay 2010.

    Mesmo com a mudança de percurso, a 8ª Parada do Orgulho LGBT de Juiz de Fora reuniu 70 mil pessoas no Centro, segundo estimativa da Polícia Militar (PM). O evento contou com dois trios a menos do que havia sido programado, levando, ao todo, três veículos para a avenida. Pessoas fantasiadas tomaram o Calçadão da rua Halfeld e a avenida Independência. No momento do desfile, um adolescente de 15 anos foi morto por um tiro, após uma briga na rua Santo Antônio. A briga não tinha relação com o evento, sendo, segundo a PM, motivada por desentendimentos entre gangues rivais.

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken

    http://www.acessa.com/cidade/arquivo/noticias/2010/12/28-retrospectiva/

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.