Terça-feira, 16 de outubro de 2012, atualizada às 10h15

Polícia Federal retoma atividades em JF após 70 dias de paralisação

Lorranna Medeiros
*Colaboração
Policia Federal termina greve

A Polícia Federal retomou as atividades em Juiz de Fora, seguindo movimento nacional, na última segunda-feira, 15 de outubro, após 70 dias de paralisação. A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) e do Sindicato dos Policiais Federais de Minas Gerais (Sinpef) decidiram que seria a melhor opção diante das propostas apresentados pelo governo federal à categoria.

Segundo o representante do Sinpef em Juiz de Fora, Robson Carneiro da Silva, o governo informou aos policiais federais que eles tinham um prazo para finalizar a greve até o dia 31 de agosto. "Nós resolvemos continuar com as reivindicações e com a greve porque não fomos atendidos. O governo nos ofereceu apenas 15,8% de reestruturação salarial, mas a proposta de reestruturação da carreira não foi atendida, assim como outras."

Ainda de acordo com Silva, eles continuam lutando pelo direito à revisão salarial em nível superior. "Para algumas categorias é exigido nível superior para se trabalhar, entretanto, os servidores não recebem salários de acordo com essa exigência." Ele lembra também: "Temos salários iniciais menores que outras categorias e nós desejamos a equiparação com profissionais que exercem funções semelhantes, como os da Receita Federal".

O representante do Sinpef atenta para o fato de que os policiais elaboraram um documento com as reivindicações não atendidas e enviaram na última quinta-feira, 11 de outubro, para o Ministério da Justiça. "Enviamos este documento e tivemos a resposta de que eles só analisariam nossas propostas se voltássemos a trabalhar. Então, mais uma vez, resolvemos dar mais um voto de confiança ao governo."

Próximos passos

A Policia Federal de Juiz de Fora agora aguarda, segundo Silva, uma resposta do Ministério da Justiça, que tem o prazo de até março de 2013 dar se manifestar  sobre as reivindicações. "Nós vamos continuar as negociações trabalhando e fazendo nossa parte. Esperamos que, ainda esta semana, tenhamos alguma resposta, alguma posição sobre o nosso documento enviado."

A negociação com o governo federal, de acordo com o representante do Sinpef, já dura quase três anos. "Começamos a nossa luta em 2010, na tentativa de mostrar ao governo essa diferenciação salarial." E a categoria reafirma, que "sempre conduzimos os interesses da categoria, sem desconsiderar os compromissos com o país".

*Lorranna Medeiros é estudante do 7º período de Jornalismo do CES