• Assinantes
  • Autenticação
  • Cidade

    Trabalhadores protestam contra reforma da previdência em Juiz de Fora

    Representantes de sindicatos de diversas categorias estiveram presentes. Organização estimou público superior a dez mil pessoas


    15/03/2017, atualizada às 16h33

    Mais de dez mil juiz-foranos participaram na manhã desta quarta-feira, 15 de março, de um protesto organizado pela Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) contra a PEC 287, que trata sobre a reforma da Providência Social, na Praça da Estação, no Centro da cidade. O movimento aconteceu simultaneamente em diversas cidades brasileiras. A Polícia Militar (PM) contabilizou 5 mil participantes na manifestação em Juiz de Fora.

    Após uma série de discursos de representantes de mais de 15 sindicatos, o grupo saiu em passeata pela avenida Francisco Bernardino, seguiu até o Mergulhão, retornando pela Avenida Barão do Rio Branco até o Parque Halfeld. Estiveram presentes na Praça da Estação trabalhadores da Cemig, policiais e delegados, professores, servidores públicos municipais e terceirizados, advogados, engenheiros, metalúrgicos, instrutores de autoescola, além de trabalhadores da Cesama, Empav, Demlurb e Correios. Muitos grupos estudantis também marcaram presença.

    O trânsito na região central chegou a ser interditado parcialmente, a medida que a manifestação avançou, e controlado por agentes da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra) e Polícia Militar (PM). Os manifestantes interditaram por quase meia hora as três pistas da Avenida Rio Branco, quando o protesto chegou no cruzamento com a rua Halfeld. Após às 13h, o ato desceu o Calçadão da Rua Halfeld, onde fizeram algumas paradas para gritos de guerra e chamar as pessoas que estavam nos prédios e comércios para se unir ao movimento. O movimento dispersou na avenida Getúlio Vargas.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.