Sábado, 8 de setembro de 2018, atualizada às 9h35

Agressor de Bolsonaro é transferido pela PF para presídio federal

Agência Brasil

Adélio Bispo de Oliveira, agressor confesso do candidato Jair Bolsonaro (PSL), foi transferido, no início da manhã deste sábado, 8 de setembro, para o presídio federal de Campo Grande (MS). Pouco antes das 7h30, ele chegou ao aeroporto de Juiz de Fora, escoltado por policiais federais.

Adélio entrou em um avião da Polícia Federal (PF), após passar a noite no Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp). Antes ele havia sido novamente interrogado na sede da corporação, com objetivo de saber se ele realmente agiu sozinho, como alegou, ou se teve ajuda de outras pessoas e se o crime teve a participação de um mentor intelectual.

A transferência para um presídio federal foi tomada em comum acordo entre a juíza federal Patrícia Alencar, que ouviu Adélio, nesta sexta-feira, 7, em audiência de instrução, o Ministério Público Federal e a própria defesa do acusado. O objetivo é garantir sua integridade física, já que poderia ser morto dentro do sistema prisional comum.

O agressor está sendo assistido por quatro advogados, todos do mesmo escritório. Eles não quiseram revelar quem os contratou, apenas disseram que uma igreja evangélica de Montes Claros, onde mora a família de Adelio, está custeando os gastos.

Mais uma vez os advogados reiteraram que vão pedir um exame de sanidade mental em seu cliente, que já ele teria feito uso de remédios psiquiátricos controlados. Dependendo dos resultados, Adelio poderia ser considerado inimputável ou semi-imputável.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.