Números de crimes violentos cai 14,74% em Juiz de Fora

Foram registrados 434 crimes entre 1º de janeiro e 28 de fevereiro de 2014, contra 370 em relação ao mesmo período de 2015

Lucas Soares
Repórter
10/03/2015

Juiz de Fora apresentou uma queda de 14,74% na violência, em comparação ao primeiro bimestre de 2014 e 2015. Segundo o Armazém de Dados da Polícia Militar (PM), foram registrados 434 crimes considerados violentos na cidade entre 1º de janeiro e 28 de fevereiro de 2014, contra 370 em relação ao mesmo período de 2015.

Foram levados em consideração os crimes de estupro (consumado e tentado), extorsão mediante sequestro, homicídio (consumado e tentado), roubo, sequestro, cárcere privado e roubo à mão armada a transeunte, à residência e à propriedade privada. Confira na tabela abaixo.

CRIMES VIOLENTOS (01 JANEIRO A 28 DE FEVEREIRO)
Naturezas 2014 2015
Estupro (Consumado) 9 10
Estupro (Tentativa) 1 1
Extorsão Mediante Sequestro (Consumado) 0 1
Homicídio (Consumado) 28 22
Homicídio (Tentativa) 45 39
Roubo (Consumado) 254 241
Sequestro e Cárcere Privado (Consumado) 3 0
Total 340 314
ROUBO A MÃO ARMADA(01 JANEIRO A 28 DE FEVEREIRO)
Naturezas 2014 2015
Transeunte (Consumado) 35 16
Residência (Consumado) 8 6
Roubos a Estabelecimentos Comerciais
Açougue/Peixaria (Consumado) 1 1
Armarinho (Consumado) 1 1
Bar/Lanchonete/Restaurante/Similar (Consumado) 9 3
Casa Lotérica (Consumado) 1 2
Confeitaria/Padaria/Panificadora (Consumado) 3 6
Drogaria/Farmácia (Consumado) 2 1
Hotel/Apart-hotel/Pousada (Consumado) 0 1
Loja Diversa(Consumado) 3 1
Mercearia/Sacolão/Supermercado (Consumado) 4 4
Outros Estabelecimentos Comerciais/Serviços (Consumado) 7 5
Postos de Combustível (Consumado) 20 9
Total 94 56

De acordo com o tenente da PM, Luiz Orione Delage Pereira, a redução dos números está diretamente ligada ao trabalho de prevenção realizado pela corporação. "Nesses dois primeiros a gente teve, especificamente nos crimes violentos, uma redução de 7,6%. Especificamente no assalto, no crime de roubo à mão armada, essa redução foi de 40% nesse período. Isso aconteceu pelo trabalho preventivo da Polícia Militar, como o Olho Vivo e uma patrulha de prevenção que atua especificamente contra esse tipo de crime. Essas medidas impactaram nessa redução, com certeza", explica.

Segundo Orione, uma atitude dos policiais chamada de repressão qualificada também tem contribuído para redução dos índices de criminalidade. "A gente identifica quem são os principais autores desses crimes e atuamos de forma pontual em cima deles, com apreensão de armas e mandados de prisão. São ações planejadas que dão impacto na redução. A partir do momento que a gente tira arma de fogo da rua, tira indivíduos que já são condenados da rua, isso impacta na redução dos números", garante.

Números de crimes violentos cai 14,74% em Juiz de Fora

Foram registrados 434 crimes entre 1º de janeiro e 28 de fevereiro de 2014, contra 370 em relação ao mesmo período de 2015

Lucas Soares
Repórter
10/03/2015

Juiz de Fora apresentou uma queda de 14,74% na violência, em comparação ao primeiro bimestre de 2014 e 2015. Segundo o Armazém de Dados da Polícia Militar (PM), foram registrados 434 crimes considerados violentos na cidade entre 1º de janeiro e 28 de fevereiro de 2014, contra 370 em relação ao mesmo período de 2015.

Foram levados em consideração os crimes de estupro (consumado e tentado), extorsão mediante sequestro, homicídio (consumado e tentado), roubo, sequestro, cárcere privado e roubo à mão armada a transeunte, à residência e à propriedade privada. Confira na tabela abaixo.

CRIMES VIOLENTOS (01 JANEIRO A 28 DE FEVEREIRO)
Naturezas 2014 2015
Estupro (Consumado) 9 10
Estupro (Tentativa) 1 1
Extorsão Mediante Sequestro (Consumado) 0 1
Homicídio (Consumado) 28 22
Homicídio (Tentativa) 45 39
Roubo (Consumado) 254 241
Sequestro e Cárcere Privado (Consumado) 3 0
Total 340 314
ROUBO A MÃO ARMADA(01 JANEIRO A 28 DE FEVEREIRO)
Naturezas 2014 2015
Transeunte (Consumado) 35 16
Residência (Consumado) 8 6
Roubos a Estabelecimentos Comerciais
Açougue/Peixaria (Consumado) 1 1
Armarinho (Consumado) 1 1
Bar/Lanchonete/Restaurante/Similar (Consumado) 9 3
Casa Lotérica (Consumado) 1 2
Confeitaria/Padaria/Panificadora (Consumado) 3 6
Drogaria/Farmácia (Consumado) 2 1
Hotel/Apart-hotel/Pousada (Consumado) 0 1
Loja Diversa(Consumado) 3 1
Mercearia/Sacolão/Supermercado (Consumado) 4 4
Outros Estabelecimentos Comerciais/Serviços (Consumado) 7 5
Postos de Combustível (Consumado) 20 9
Total 94 56

De acordo com o tenente da PM, Luiz Orione Delage Pereira, a redução dos números está diretamente ligada ao trabalho de prevenção realizado pela corporação. "Nesses dois primeiros a gente teve, especificamente nos crimes violentos, uma redução de 7,6%. Especificamente no assalto, no crime de roubo à mão armada, essa redução foi de 40% nesse período. Isso aconteceu pelo trabalho preventivo da Polícia Militar, como o Olho Vivo e uma patrulha de prevenção que atua especificamente contra esse tipo de crime. Essas medidas impactaram nessa redução, com certeza", explica.

Segundo Orione, uma atitude dos policiais chamada de repressão qualificada também tem contribuído para redução dos índices de criminalidade. "A gente identifica quem são os principais autores desses crimes e atuamos de forma pontual em cima deles, com apreensão de armas e mandados de prisão. São ações planejadas que dão impacto na redução. A partir do momento que a gente tira arma de fogo da rua, tira indivíduos que já são condenados da rua, isso impacta na redução dos números", garante.

-

Números de crimes violentos cai 14,74% em Juiz de Fora

Foram registrados 434 crimes entre 1º de janeiro e 28 de fevereiro de 2014, contra 370 em relação ao mesmo período de 2015

Lucas Soares
Repórter
10/03/2015

Juiz de Fora apresentou uma queda de 14,74% na violência, em comparação ao primeiro bimestre de 2014 e 2015. Segundo o Armazém de Dados da Polícia Militar (PM), foram registrados 434 crimes considerados violentos na cidade entre 1º de janeiro e 28 de fevereiro de 2014, contra 370 em relação ao mesmo período de 2015.

Foram levados em consideração os crimes de estupro (consumado e tentado), extorsão mediante sequestro, homicídio (consumado e tentado), roubo, sequestro, cárcere privado e roubo à mão armada a transeunte, à residência e à propriedade privada. Confira na tabela abaixo.

CRIMES VIOLENTOS (01 JANEIRO A 28 DE FEVEREIRO)
Naturezas 2014 2015
Estupro (Consumado) 9 10
Estupro (Tentativa) 1 1
Extorsão Mediante Sequestro (Consumado) 0 1
Homicídio (Consumado) 28 22
Homicídio (Tentativa) 45 39
Roubo (Consumado) 254 241
Sequestro e Cárcere Privado (Consumado) 3 0
Total 340 314
ROUBO A MÃO ARMADA(01 JANEIRO A 28 DE FEVEREIRO)
Naturezas 2014 2015
Transeunte (Consumado) 35 16
Residência (Consumado) 8 6
Roubos a Estabelecimentos Comerciais
Açougue/Peixaria (Consumado) 1 1
Armarinho (Consumado) 1 1
Bar/Lanchonete/Restaurante/Similar (Consumado) 9 3
Casa Lotérica (Consumado) 1 2
Confeitaria/Padaria/Panificadora (Consumado) 3 6
Drogaria/Farmácia (Consumado) 2 1
Hotel/Apart-hotel/Pousada (Consumado) 0 1
Loja Diversa(Consumado) 3 1
Mercearia/Sacolão/Supermercado (Consumado) 4 4
Outros Estabelecimentos Comerciais/Serviços (Consumado) 7 5
Postos de Combustível (Consumado) 20 9
Total 94 56

De acordo com o tenente da PM, Luiz Orione Delage Pereira, a redução dos números está diretamente ligada ao trabalho de prevenção realizado pela corporação. "Nesses dois primeiros a gente teve, especificamente nos crimes violentos, uma redução de 7,6%. Especificamente no assalto, no crime de roubo à mão armada, essa redução foi de 40% nesse período. Isso aconteceu pelo trabalho preventivo da Polícia Militar, como o Olho Vivo e uma patrulha de prevenção que atua especificamente contra esse tipo de crime. Essas medidas impactaram nessa redução, com certeza", explica.

Segundo Orione, uma atitude dos policiais chamada de repressão qualificada também tem contribuído para redução dos índices de criminalidade. "A gente identifica quem são os principais autores desses crimes e atuamos de forma pontual em cima deles, com apreensão de armas e mandados de prisão. São ações planejadas que dão impacto na redução. A partir do momento que a gente tira arma de fogo da rua, tira indivíduos que já são condenados da rua, isso impacta na redução dos números", garante.