Quarta-feira, 3 de abril de 2019, atualizada às 09h41

Ministério Público denuncia 19 pessoas por organização criminosa

Da redação

O Ministério Público denunciou 19 pessoas integrantes de uma organização criminosa ligada ao tráfico, associação para o tráfico, lavagem de dinheiro e outros crimes considerados graves. Uma delas é mulher, de 29 anos, que foi presa em Juiz de Fora, dia 14 de março, em ação da operação Bereshit, desencadeada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), com apoio da Polícia Militar (PM). A denúncia foi oferecida na última sexta, 29 de março.

A mulher faz parte da quadrilha que atuava nas cidades de Ubá e Visconde do Rio Branco. Ela foi presa durante cumprimento do mandado de busca e apreensão em um apartamento no bairro São Mateus, onde o alvo seria o casal, mas marido não foi encontrado. No apartamento foram apreendidos notebooks, celulares, um veículo, dinheiro, joias, folhas de cheque preenchidas, cartões de banco, entre outros.

Segundo o Ministério Público, as investigações apontaram a existência de uma hierarquizada organização criminosa atuante na região de Ubá, capitaneada, pelo foragido, conhecido como “patrão” ou “pai”, para a prática dos crimes de tráfico e associação para o tráfico de drogas ilícitas, lavagem de dinheiro e outros crimes. O chefe da organização seria um dos principais responsáveis pela comercialização de substâncias entorpecentes na região, contando com um grande aparato pessoal e material, inclusive para lavar os valores decorrentes da prática criminosa.

Conforme o Gaeco, caso as 19 pessoas sejam condenadas pela Justiça, podem pegar mais de 60 anos de reclusão. No oferecimento da denúncia, o MPMG pediu ainda a prisão preventiva dos acusados, inclusive dos 18 que estão presos temporariamente, além da indisponibilidade de bens dos acusados. Um dos acusados de integrar a organização criminosa não foi denunciado por falta de provas.

O MPMG ainda investiga a participação de outras pessoas que teriam participado dos crimes.

Investigações

Ao longo das investigações, foram deflagradas outras operações em que foram apreendidos cerca de R$ 4 milhões em bens entre dinheiro em espécie, cheques, 80 automóveis e um jet ski, além de computadores e celulares.

Também foram apreendidos mais de 100 kg de maconha, 3 kg de crack, 2 kg e 214 pinos de cocaína e aproximadamente R$ 15 mil em dinheiro.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.