• Assinantes
  • Autenticação
  • Cidade
    Quarta-feira, 15 de maio de 2019, atualizada às 13h, atualizada às 14h29

    Moradores manifestam contra mudança do Núcleo Cidadão de Rua para Avenida Brasil

    Da redação

    Moradores dos bairros Poço Rico, Santa Tereza e Nossa Senhora de Lourdes manifestaram, no final da tarde de terça-feira, 14 de maio, contra a mudança do Núcleo Cidadão de Rua e Centro Pop (Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua) das ruas José Calil Ahouagi e Professor Oswaldo Veloso, no Centro, para o prédio de três andares na Avenida Brasil, n° 265, no bairro Costa Carvalho.

    O protesto começou às 17h com carro de som, cartazes e apitaço em frente ao possível endereço onde os serviços prestados pela Associação Municipal de Apoio Comunitário  (AMAC) seriam realocados. Durante o ato, a Polícia Militar e agentes da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra) interditaram parcialmente o trecho para segurança dos participantes.

    Integrante da Comissão de Segurança Pública da Câmara, o vereador Carlos Alberto de Mello (PTB) lembrou da reunião realizada no dia 15 de março, quando representantes dos bairros do entorno, PM e vereadores realizaram reunião com a Amac e Secretaria de Desenvolvimento Social para apresentarem insatisfação e possíveis inviabilidades para que a mudança ocorresse, além de solicitar esclarecimentos sobre o caso às pastas.

    “Na reunião foi apresentado dados levantados dos crimes que ocorrem no entorno deste instrumento, como tráfico de drogas, roubos, furtos e consumo de droga. Entendemos que a minoria precisa ser atendida, mas não podemos prejudicar a maioria. Ficamos aguardando retorno da Amac e do Executivo a respeito do possível estudo de impacto e até hoje nada. O proprietário do atual imóvel na Calil Ahouagi já se propôs a fazer as alterações necessárias para que o equipamento permaneça onde está, até porque, mesmo com alguns problemas, lá é uma rua que não possui escolas próximas e, aqui na Avenida Brasil, temos escolas no entorno”, explica.

    O vereador completa que a Comissão está tentando agendar uma audiência pública de emergência ainda neste mês com o intuito de discutir o assunto. “Sabemos que estão tentando abrir os serviços no novo endereço neste domingo, 19. Por isso, estamos tentando agora uma audiência, já que moradores não querem que o Núcleo venha para cá”.

    Nesta quarta, 15, a Câmara Municipal confirmou a audiência pública para o dia 29 de maio, quarta, às 19h.

    O presidente da Associação de Moradores do bairro Santa Tereza, Sidnilson Alves Ferreira relata que as comunidades do entorno já estão há dois meses mobilizando em relação assunto. Ele diz que o maior receio da população do bairro Santa Tereza é o aumento da criminalidade. “Já tivemos esta experiência em 2012, quando o Caps era próximo a nossa praça. Fizemos manifestação e conseguimos que ele fosse mudado de endereço, agora querem retornar com ele para a região. Não estamos discriminando ninguém, somos a favor do povo, mas queremos entender porque vir para este prédio, porque não houve licitação”.

    Segundo o vice-presidente da Associação dos Moradores do bairro de Lourdes, Luiz Carlos Correa, a localização do imóvel seria inadequada para a vinda deste equipamento, devido ao fluxo intenso de veículos na via. “Estamos no ponto de entrada e saída da cidade. Quando dá a hora deles entrarem no albergue, muitos atrasam e ficam do lado de fora. É neste momento que pode acontecer acidentes. Queremos que seja feito um estudo para ver um local melhor”.

    Já o presidente da Associação dos Moradores do Poço Rico, Alexandre Bigode destacou que o bairro já convive com muitas pessoas em situação de rua. “Temos um ponto onde acontece uma mini cracolândia, próximo da linha do trem, e outro, saindo na beira da rua Espírito Santo, próximo ao Viaduto. Isso tem ocasionado muitos acidentes com trem, já tivemos três mortes este ano”. Ele complementa que a associação realiza, em parceria com a MRS, um projeto de revitalização na área para reduzir os acidentes. “Estamos tentando amenizar a situação do lado de lá, e querem trazer estes equipamentos para cá. Somos contra. Acompanhamos uma operação da polícia na linha, quando quatro adolescentes foram apreendidos vendendo drogas. Eles aproveitam da fragilidade dessas pessoas."

    Para tentar embargar as obras da nova instalação do Centro Pop e Casa de Passagem, a proprietária de uma escola particular na Avenida Sete de Setembro, Nilma Rocha, diz que alguns pais de alunos estão tentando o bloqueio da obra através de uma ação na Vara da Infância e Juventude. Ela tramita alegando a vulnerabilidade das crianças em relação a possível instalação deste equipamento no bairro. Nilma disse ainda que representantes dos bairros e comércio entrarão com outra Ação Coletiva na Justiça comum nesta quarta, 15. Outra ação também tramita na  na Vara da Fazenda. “A Amac consegue atender 100 pessoas de 850 que estão cadastradas. Esses moradores ficam nas redondezas e fazem uso de drogas. Além disso, eles estão infringindo lei municipal que impede instalação do albergue próximo de posto de gasolina."

    Núcleo Cidadão de Rua

    O Núcleo Cidadão de Rua atende em regime de albergue, atendendo a população em situação de rua da cidade. O local funciona das das 18h às 7h e conta com 150 leitos para pessoas do sexo masculino e feminino. São oferecidos café da manhã e jantar, além de cuidados com higiene, banho e leito para pernoitar. O acolhimento pode ser solicitado na própria unidade ou pelo Centro Pop.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.