Biblioteca garante cultura à comunidade do São GeraldoMoradores do bairro tiveram a ideia há cinco anos. Mobiliários estão
entre as necessidades

Aline Furtado
Repórter
24/8/2010

Crianças, adolescentes e adultos dos bairros São Geraldo e Previdenciários têm possibilidade de contato com a educação e a cultura. A oportunidade é fruto do trabalho de moradores do São Geraldo, que atuam como voluntários em uma biblioteca comunitária, implantada há aproximadamente cinco anos e denominada Evoluir.

"A ideia foi dos próprios moradores integrantes da associação. Mas o projeto esteve parado por dois anos", explica o presidente da Associação de Moradores do Bairro São Geraldo, Sebastião José Soares Ramos. Ele lembra que a proposta foi retomada há um ano.

Embora a estrutura da biblioteca, que funciona na sede da associação, precise ser melhorada, já que são necessárias peças como prateleiras, mesas e cadeiras, três mil exemplares de livros estão disponíveis para consulta e empréstimo. As obras são fruto de doações de moradores, de instituições de ensino e da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa).

Na sede da associação, as crianças e os adolescentes têm acesso a oficinas de capoeira, teatro, dança, música e artes visuais, que são desenvolvidas com apoio da Funalfa. Como não há verba destinada, de forma específica, para a biblioteca, o local funciona de acordo com os horários em que são realizadas as oficinas. "Não temos verba direta para ser empregada na biblioteca. Antes, fazíamos bingos e festas beneficentes, para arrecadar fundos. Mas, como os projetos foram crescendo, não temos espaço suficiente na sede para realizar os eventos."

Segundo Ramos, a frequência na biblioteca é grande, sendo que a maioria dos títulos procurados são destinados à pesquisa escolar. "Mesmo com o uso crescente de lan house, que facilitam a pesquisa e o acesso, os livros são muito procurados." Ele acredita que o interesse se deve por se tratar de uma comunidade carente. "São pessoas que não têm condições."

Para o presidente, o objetivo de difundir a cultura por meio do acesso aos livros é cumprido, o que pode ser percebido nos relatos dos pais das crianças que frequentam o local. "Eles dizem que a iniciativa faz com que seus filhos não fiquem sem ocupação, visto que o bairro não conta com área de lazer."

Ramos conta que a biblioteca contribui, inclusive, para que os frequentadores aprendam valores como responsabilidade, por exemplo. "Às vezes, o empréstimo é feito sem que o título seja anotado. Não temos problemas de não ser devolvido. Isso demonstra a responsabilidade das crianças e dos adolescentes."

Além disso, há casos em que o frequentador precisa do exemplar, entretanto, não há voluntário disponível para efetuar o empréstimo. "Mas a criança não volta para casa sem o livro, pois alguém se mobiliza para abrir a biblioteca. Afinal, queremos estimular a leitura e não criar impedimentos para o acesso."

Funcionamento

A biblioteca Evoluir funciona na rua Clóvis Seroa da Motta, 21, no bairro São Geraldo. O acesso aos livros é feito de segunda a sexta-feira, nos turnos da manhã e da tarde.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken