Letalidade por Covid-19 em JF está acima da média mineira e da brasileira

da Redação - 08/01/2021

A oitava edição do Boletim Informativo Covid-19 da Plataforma JF Salvando Todos divulgada nesta quinta-feira, 7 de janeiro, alerta para o patamar muito elevado de óbitos causados pelo coronavírus em Juiz de Fora.  O documento foi elaborado por alunos do Curso de Estatística e pesquisadores da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Efeito feriado influencia cenário das próximas semanas

De acordo com o boletim, na 53ª semana epidemiológica (27 de dezembro a 2 de janeiro), Juiz de Fora registrou 455 novos casos confirmados e 41 vidas perdidas, apresentando redução de 46.2% no número de casos e aumento de 24.2% no número de óbitos em relação à 52ª semana epidemiológica (20 a 26 de dezembro). Segundo Marcel Vieira, um dos autores do documento, os dados sobre os casos registrados é um dos resultados possíveis do “efeito feriado”; ou seja, quando a capacidade de registros pode ser comprometida durante períodos como o Natal e o réveillon.

“É importante aguardar as próximas duas semanas para verificar a real situação. Pode-se passar a impressão de que houve uma redução de casos, quando, na verdade, o que pode ter acontecido é uma redução de registros. Temos que aguardar os efeitos das festas de fim de ano, porque leva algum tempo para as pessoas manifestarem os sintomas e, posteriormente, leva mais algum tempo para o impacto ser refletido no número de óbitos.” Devido a esse cenário, Vieira lembra da importância da atenção às medidas de prevenção. “A situação ainda carece de muitos cuidados, como a manutenção das medidas de distanciamento social, cuidados com a higienização e uso de máscaras.”

Taxa de letalidade alarmante

No dia 4 de janeiro, a taxa de letalidade da Covid-19 na cidade era de 3,74%. No dia 21 de dezembro de 2020, essa mesma taxa era de 3,58%. Pesquisadores apontam que a letalidade em Juiz de Fora segue muito superior à de Minas Gerais e do Brasil: em 4 de janeiro, a referida taxa era de 2,18% para o estado e 2,54% para o país (os valores eram, respectivamente, 2,25% e 2,58% no dia 21 de dezembro).

Já o Número de Reprodução Efetivo (Rt) esteve abaixo de 1 apenas entre os dias 24 de dezembro e 4 de janeiro no município. Quando é superior a 1, cada paciente está transmitindo a doença para pelo menos mais uma pessoa, configurando a disseminação da doença. Juiz de Fora apresentou um valor máximo de 1,31 no dia 22 de dezembro e mínimo de 0.55 no dia 1º de janeiro. “O Rt indica o potencial de propagação do vírus. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, uma das condições para que a pandemia esteja sob controle é de que os valores do Rt sejam menores que 1 persistentemente por pelo menos duas semanas. Em Juiz de Fora e na Zona da Mata esta condição não foi verificada”, expressa o documento.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.