Operação apura fraude em processo licitatório de táxi em Juiz de Fora

da Redação - 04/02/2021

Nesta quinta-feira, 4 de fevereiro, a operação “Arbitrio” foi deflagrada na Zona da Mata Mineira, com o objetivo de apurar crimes praticados contra a Lei de Licitação, associação criminosa e possível lavagem de dinheiro.

As Polícias Civil e Militar e o Ministério Público – por meio da 22ª Promotoria de Justiça de Juiz de Fora e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO)- Regional Zona da Mata -, com apoio da Receita Federal, realizaram a ação na cidade de Juiz de Fora.

Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão em pontos distintos do município, resultando na apreensão de cerca de R$ 51 mil, além de provas materiais relevantes para a investigação.

O nome da operação “Arbitrio” vem do Latim e significa “Monopólio”.

Nessa ação conjunta, ele faz referência à fraude investigada acerca de processo licitatório em que envolvidos são suspeitos de serem os reais proprietários das placas de táxis em Juiz de Fora, porém, teriam usado terceiros -“laranjas” - para burlar a licitação e vencer edital de concorrência pública para a permissão do serviço.

As peças de informação relatando possível esquema irregular foram encaminhadas à Promotoria do Patrimônio Público de Juiz de Fora pela Justiça do Trabalho.

As investigações prosseguem no âmbito do Ministério Público do Estado de Minas Gerais, a fim de apurar outros possíveis crimes praticados pelos envolvidos, bem como a participação de outras pessoas.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.