Prefeitura anuncia retomada das obras de despoluição do Rio Paraibuna

por Jorge Júnior - 13/04/2021

A prefeita Margarida Salomão anunciou, nesta terça-feira, 13 de abril, a retomada das obras de despoluição do Rio Paraibuna. A novidade foi divulgada durante a inauguração da nova Subadutora Engenheiro e Professor José Roosevelt Pereira. 

A Companhia de Saneamento Municipal (Cesama) e a empresa contratada para o serviço resolveram as questões contratuais pendentes e os projetos restantes já estão sendo revisados para posterior análise da Caixa Econômica Federal (CEF). “Estamos concluindo os detalhes da primeira etapa da obra e dando início à segunda fase nos próximos dias. Nesse momento, teremos como foco intervenções nos principais córregos da cidade, como o Tapera e o Santa Luzia. Trata-se de um trabalho árduo, mas que estamos retomando com muito afinco”, afirmou a prefeita.

Na próxima segunda-feira, 19, a CEF irá emitir seu parecer sobre o projeto de implantação de mais 2.300 metros de redes coletoras no Córrego Tapera. Com o material aprovado, a Cesama dará início ao processo licitatório da obra. Em maio, o projeto de construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Santa Luzia também será encaminhado para aprovação da Caixa.

A expectativa é que novas intervenções tenham início ainda este mês, quando serão implantados cem metros de redes de esgoto no bairro Poço Rico. Com a interligação dessa tubulação ao sistema da companhia, será possível encaminhar o material coletado desde o cruzamento entre as avenidas Rio Branco e Brasil para o bairro Vila Ideal e, na sequência, para a ETE União-Indústria, aumentando gradativamente sua vazão. “A obra é uma das prioridades da atual gestão e tem como objetivo a longo prazo recuperar a vida do nosso rio e da sua bacia hidrográfica, incluindo intervenções nos córregos Tapera, Matirumbide, Yung, São Pedro, Danta e Independência. Com essa retomada, nossa expectativa é tratar cerca de 37% do esgoto do município até o início de 2022”, previu o diretor-presidente da Cesama, Júlio César Teixeira.

O que está sendo realizado

Atualmente, os trabalhos estão focados na operação da ETE União-Indústria, no bairro Granjas Bethel, que vem sendo conduzida por uma empresa contratada. A partir de julho, a Cesama será a responsável por operar a estação. Orçada em R$ 25 milhões, a unidade iniciou suas atividades em junho de 2020.

Nesta primeira etapa, a ETE trata apenas os efluentes produzidos no bairro Vila Ideal, em virtude da sua localização. Desde 2017, a Cesama atua continuamente na comunidade, onde já remodelou cerca de quatro mil metros de redes. Esse trabalho é necessário para separar as tubulações de esgoto e águas pluviais, pois só com a separação das redes mistas é possível encaminhar o material para o devido tratamento na estação de Granjas Bethel.

Futuramente, a unidade receberá os efluentes da região central do município, com uma vazão de até 860 litros por segundo, podendo tratar cerca de 65% do esgoto em Juiz de Fora.

A obra

Orçado em mais de R$ 130 milhões, financiados pelo orçamento geral da União e pela CEF, o conjunto de obras de despoluição do Paraibuna teve início em agosto de 2013. O projeto abrange a implantação de 40 mil metros de redes nas margens do rio e nos principais córregos da cidade. Além da nova ETE União-Indústria, já em operação, e da ETE Santa Luzia, cujo projeto será enviado para aprovação da Caixa, a estação da companhia no bairro Barbosa Lage também passará por obras de ampliação.

Das cinco estações elevatórias de esgoto previstas, a Cesama já finalizou duas: uma no Centro e outra no bairro Vila Ideal, que já está operando. As unidades têm como objetivo bombear o material coletado nas redes implantadas na Avenida Brasil através das regiões mais íngremes da cidade. A unidade do Centro, próxima ao Viaduto Augusto Franco, levará o material que antes era despejado nos nossos cursos-d`água até a Avenida Francisco Valadares, de onde seguirá até a elevatória de Vila Ideal, a maior unidade dentre as cinco previstas, para então chegar à ETE União-Indústria.

O Córrego São Pedro também já recebeu 5.200 metros de novas tubulações. No total, serão 12 mil metros de redes coletoras que a Cesama irá implantar na Cidade Alta e nos bairros Marilândia, Aeroporto, Santos Dumont, Vale do Ipê e Borboleta. Além disso, a companhia já alocou 1.700 metros de redes dos quase quatro mil previstos nas margens do Córrego Tapera, que passa pelas comunidades de Bom Clima, Bandeirantes, Eldorado e Santa Terezinha.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.