Pesquisa do Procon constata aumento do preço de combustíveis em Juiz de Fora

Para a gasolina aditivada, o menor valor foi de R$ 6,42 e o maior valor R$ 6,77

da Redação - 16/09/2021

A Agência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/JF) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), por meio do Departamento de Estudos Pesquisas e Projetos (DEPP), realizou uma nova pesquisa, nos dias 2 de agosto e 14 de setembro, para levantar os preços de combustíveis praticados na região sul de Juiz de Fora. A pesquisa foi feita através do método de amostragem, com visitas a dez postos da cidade.

A pesquisa observou os preços praticados pelos postos referentes ao etanol, à gasolina comum, à gasolina aditivada, ao diesel comum, ao diesel S10 e ao GNV. No levantamento, foram fotografados a tabela de preços e o cartão de CNPJ dos estabelecimentos.

Dos postos de combustíveis pesquisados na região Sul, o menor valor encontrado pelo litro da gasolina comum foi R$ R$ 6,38 e o maior valor foi R$ 6,67. Para a gasolina aditivada, o menor valor foi de R$ 6,42 e o maior valor R$ 6,77. O etanol comum teve menor valor de R$ R$ 4,82 e o maior valor de R$ 5,49. O Diesel teve o menor valor de R$ R$ 4,79, enquanto o maior valor foi de R$ 4,85. Já o Diesel S-10 teve menor valor de R$ 4,70 e o maior valor de R$ 5,06.

Através da amostragem comparativa entre agosto e setembro, foi constatado um aumento significativo no preço do etanol, que está custando, em média, R$ 0,475 mais caro para o bolso do consumidor. A gasolina aditivada teve média de aumento de R $0,462 no litro na comparação das duas amostras. O Diesel comum e o Diesel S-10 foram os que tiveram a menor variação de preço.

Acompanhamento de preços e impacto no consumidor

Os levantamentos do Procon/JF são realizados como forma de informar os cidadãos de Juiz de Fora com relação às variações dos preços de combustíveis na cidade. Além disso, os dados apresentados na pesquisa auxiliam no momento do abastecimento dos automóveis, possibilitando um melhor planejamento financeiro e um comparativo de preço mais claro para a população.

O aumento recente dos preços dos combustíveis são explicados por uma série de fatores, entre eles o aumento do preço do dólar em comparação ao real. Além disso, a alta da inflação, custos de produção, revenda e produção e impostos federais e estaduais contribuem para o aumento do preço.

Gerente do Departamento de Estudos, Pesquisas e Projetos, Fabíola Meirelles, explica que a pesquisa é uma forma de identificar e comparar os preços praticados na cidade, ajudando a população na hora de escolher em qual posto abastecer. "Esse tipo de pesquisa auxilia o consumidor ao tornar mais acessível os preços praticados. É importante sempre pesquisar as diferentes opções para poder fazer as melhores escolhas. O acompanhamento das oscilações de preço dos combustíveis por região, bem como a comparação dos valores apurados, é ação frequente do Procon/JF".

Atenção consumidor

O Procon/JF orienta que a pesquisa de preço seja hábito imprescindível ao consumidor que deseja economizar no momento do abastecimento. É importante, também, desconfiar de preços muito abaixo da média praticada na cidade, observando sempre o desempenho do seu automóvel em resposta aos combustíveis. Verifique se os preços das bombas são os mesmos que os anunciados nas placas informativas do posto.

O Procon/JF lembra, ainda, que é considerado preço abusivo o valor cobrado acima da média de mercado e que não tenha uma justificativa para a diferença praticada. Se você se deparar com algum caso desse, os canais de denúncia são os telefones do setor de atendimento 3690-7610 ou 3690-7611 ou WhatsApp do Procon (32) 98463-2687.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.