Juiz de Fora - MG

Interdição da Rua José Lourenço completa um ano em agosto

Projeto de intervenção na via deve ser entregue à Prefeitura até dezembro

por Renan Ribeiro - 07/07/2022

A interdição da Rua Lourenço Kelmer, no Bairro Borboleta, completa um ano no dia 21 de agosto. O trecho entre as ruas Paulo Maria Delage e Augusto Thielman teve o risco geológico identificado em um levantamento feito pela Defesa Civil feito à época. O estado do acesso representa risco para os moradores, por conta do solo instável, da condição de deterioração da estrutura asfáltica, da falta de rede de drenagem, entre outros problemas, como a ocupação desordenada. A suspensão do tráfego nesse ponto permanece, ainda sem data para ser retomado, embora a solução para os problemas levantados possa ser apresentada até o fim de 2022, conforme a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF).

“Devemos considerar que a via é um "atalho" para Cidade Alta e um acesso importante para UFJF e toda região. O principal efeito de sua interdição no Borboleta é o aumento significativo do tráfego de veículos no dia a dia da Comunidade”, explica Sálcio Del Duca morador do Borboleta e Presidente da Associação Alemã de Juiz de Fora (MG). Ele ainda ressalta que, como é um bairro antigo, as ruas são estreitas e funcionam em mão dupla, o que implica em uma dificuldade maior para os pedestres em horários de pico.

Sálcio relatou que foi realizada uma reunião com a prefeita Margarida Salomão em junho, quando novas informações sobre o trecho foram dadas, além da liberação para que a tradicional Festa Alemã ocorra na Rua José Lourenço, em um trecho que não está danificado e no qual não há riscos.

“A interdição está quase fazendo aniversário”, exclama o presidente da Associação de Moradores do Bairro São Pedro, Wanor Alves Vieira. “Esse acesso ajuda a cortar caminho. Sem ele, as pessoas estão precisando dar muita volta para acessar outros bairros da Cidade Alta. Precisamos de informações mais claras sobre o que tem sido feito lá, porque a população precisa de uma solução definitiva o quanto antes.” Ele destaca não só o desvio no trajeto, que consome um tempo e representa um tráfego maior de veículos dentro do Borboleta, mas também um gasto maior para os motoristas que utilizavam a via.

Por meio de nota, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) informa que realizou a contratação de empresa que irá elaborar o projeto da Rua José Lourenço. “O contrato prevê a elaboração de projeto de estabilização de encosta e micro drenagem na região, a fim de sanar os problemas de alagamento e deslizamento no bairro.” Ainda de acordo com o comunicado, as soluções que serão feitas ainda não foram enviadas pela projetista, pois estão em fase de concepção. O valor do contrato é de R$ 192.043,02, conforme o município, e o estudo será executado pela empresa 1mc engenharia. A previsão de entrega dos projetos é dezembro de 2022.

O presidente da Comissão de Urbanismo, Transporte, Trânsito, Meio Ambiente e Acessibilidade da Câmara, o vereador José Márcio Guedes (Garotinho- PV), explica que há duas preocupações importantes que envolvem essa situação. “ A primeira é a segurança, de quem passa pela Rua José Lourenço. Ao mesmo tempo, acabou o período de chuvas, estamos na época da estiagem e é esse o momento de fazer as obras de contenção no local. “

José Márcio reforça que a parte Central do Borboleta é a que sofre mais diretamente os efeitos da interdição. Em função desses transtornos, a Comissão também buscou a Prefeitura para saber o que pode ser feito para solucionar a situação. 

“Tivemos uma reunião com a Secretaria de Governo em junho. Levamos essa situação junto com a Associação Alemã, com esse pedido de liberação parcial da via. A Defesa Civil estava presente e se colocou de maneira contrária à liberação da via por questões de risco.” Embora a interdição tenha sido mantida, o vereador reitera a expectativa de que o início das intervenções não demore. Ele afirmou ainda que a Câmara vai manter o acompanhamento sobre as condições da via, junto com a população.



Alterações 

Conforme a Acessa.com noticiou em agosto de 2021, os motoristas precisaram adotar rotas alternativas para acessar os bairros da Cidade Alta, como a Rua Engenheiro Gentil Forn. Na época, a alteração no trajeto foi sinalizada pela Secretaria de Mobilidade Urbana, para alertar a população. A linha de ônibus 514 – Borboleta,  única que circula na via, teve o seu itinerário Centro para o bairro alterado para as ruas Paulo Maria Delage, Irmão Menrado, Josefina Lawal Surerus, Guilherme Debussy, Augusto Thielman até retornar para a parte final da José Lourenço e, a partir daí, seguir o seu trajeto rotineiro.

A Prefeitura, quando a interdição foi anunciada, destacou que o principal risco no local é o desabamento do barranco na via. Apenas em 2021, no período anterior à restrição de tráfego, seis ocorrências de escorregamento de terra foram registradas na Rua José Lourenço, além de queda de árvores. Foi realizada uma vistoria mais detalhada da área, identificando os pontos de deslizamento. Assim, a Prefeitura teve acesso aos pontos em que há risco de novos escorregamentos atingirem os motoristas que circulavam com frequência na via.


Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.