Projeto busca incentivo de empresas para ações sociais Programa "Parceria" prevê atuação de empresas privadas em
benefício do meio ambiente e áreas sociais de Juiz de Fora

Thiago Werneck
Repórter
06/12/2007

Um projeto elaborado pelo Ministério Público de Juiz de Fora em parceira com empresas privadas e prefeitura municipal prevê a criação do programa Parceria. O objetivo é fazer projetos sociais que ajudem as comunidades. Cerca de cem empresas assinaram um termo de adesão para participar desse trabalho.

Os representantes da iniciativa privada não têm um compromisso de valores ou ações a serem feitas. Por isso um Conselho (veja vídeo) deve ser criado em janeiro, para que nele sejam discutidas as carências da população. A partir dos problemas apontados, os representantes das empresas esperam discutir formas de levantar recursos e dar melhor qualidade de vida a população.

O promotor de Justiça do Meio Ambiente e Urbanismo,Julio César da Silva (foto abaixo), afirma que o Parceria entende meio ambiente no seu sentido mais global. "O objetivo não é apenas plantar árvores e fazer ações ações diretas com a natureza. Nosso foco é trabalhar com humanização das pessoas que de fato são os agentes do meio ambiente", explica.

promotor Júlio César O objetivo firmado em ata é o de "integração entre as iniciativas públicas e privada, para o desenvolvimento de estudos e ações inerentes ao bem estar social e preservação do meio ambiente".

O primeira passo será a criação do estatuto da entidade. Em seguida, o conselho será formado. O gerente de meio ambiente de uma das empresas, Carlos Alexandre (foto abaixo) acredita que esse é um marco para cidade. "Estou certo de que vamos promover várias ações para o futuro e que visam a melhorar a qualidade de vida da população", avalia.

Segundo o Superintendente da Agenda JF, Noraldino Lúcio Dias Júnior, as formas de fiscalização também devem ser alteradas. " Se alguma empresa estiver descumprindo alguma ordem não devemos multá-las e pedir fechamento, mas sim fazer um projeto ambiental que possibilite que ela funcione e continue a gerar empregos", disse na solenidade de lançamento do programa.

Para as empresas, essa é a oportunidade de mostrarem preocupação com a responsabilidade social. Os membros do conselho ainda vão ser escolhidos entre representantes da iniciativa privada e líderes comunitários.

gerente ambiental Carlos Alexandre Através de reuniões vão ser definidas as prioridades e como os recursos vão ser utilizados. A iniciativa foi apoiada, por um dos pais do ambientalismo nacional, Hugo Werneck, que compareceu a solenidade de lançamento. "Excelente a idéia e temos que trabalhar a humanização, o respeito a vida. Só assim vamos fazer política ambiental verdadeira, o principal foco tem que ser o bem estar", destaca.

O caráter essencial do projeto é que o apoio é voluntário. "Os empresários vão poder escolher com ajudar. Não são obrigados a nada. Se quiser doar um livro sobre educação ambiental está ótimo, se cem melhor ainda, mas não vai haver cobranças", detalha o promotor Julio.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.