Compras pela internet
Consumidores devem ficar atentos às compras em lojas virtuais e exigir os mesmos direitos das compras feitas em lojas reais. Em Juiz de Fora, existem 19 reclamações no Procon

Djenane Pimentel
06/01/05

A superintendente do Procon, Lea Burnier Ganimi Costa, dá dicas para quem for realizar uma compra pela Net. Clique e confira!

Ouça!

Foto ilustração Comprar alguma coisa sem precisar sair de casa é uma experiência muito agradável, até mesmo para aqueles que adoram bater perna na rua. Ainda mais estando diante de uma vitrine super variada - um verdadeiro shopping center sob seus olhos - como é o caso da internet.

Na rede, você consegue achar de tudo: livros, cds, roupas, perfumes, eletro-eletrônicos, materiais para decoração, construção, móveis... quem seria contra esta mordomia de se sentar em frente ao computador e navegar pelos mais variados sites, olhando tudo o que se gosta, com fotos, detalhes do produto, preços? Ninguém, não é mesmo?

Além da comodidade e economia de tempo, a Net oferece milhares de ofertas, produtos interessantes e serviços exclusivos: tudo ao nosso alcance, através de um click. O comércio eletrônico evoluiu tanto no último ano, que poucas pessoas, hoje em dia, ainda admitem que sentem medo de realizar uma compra desta forma.

Segundo a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, em 2004, as vendas pela internet feitas no Brasil cresceram 42% em relação ao ano anterior, totalizando uma média de quatro milhões de compradores e 970,3 milhões de reais movimentados no país. E isso, digamos, sem a participação das camadas mais baixas da população, que ainda não têm total acesso à rede... imagine daqui a alguns anos!

Mas, ao realizar este tipo de compra, é preciso que o consumidor fique atento e exija seus direitos, caso ocorra algum problema. Apesar de, na maioria dos casos, correr tudo bem, deve-se levar em conta que o consumidor pode passar por problemas comuns, como aparelhos com defeito, produtos trocados, mercadorias faltando peça... e, para evitar problemas como esses e garantir solução, o consumidor deve estar certo de que o site em que a compra foi efetuada é sério. É recomendável muito cuidado!

Experiências
Foto
ACESSA.com A psicóloga Karla Fayer adora comprar pela Net e já adquiriu produtos variados como cd's, dvd's e até um eletrodoméstico. Afirma que nunca teve problemas com nenhum site, seja comprando por meio de cartão de crédito ou boleto bancário. "A única vez que achei que poderia acontecer algum problema foi quando os Correios estavam em greve (no início de 2004) e um cd que havia comprado demorou pouco mais de uma semana para chegar... não que eu considere isso uma demora, mas estranhei, pelo fato de que sempre que compro, o produto chega, no máximo, em quatro dias, na minha casa", afirma.

Mas, nem sempre o comércio eletrônico se dá de uma forma tão tranquila... Do mesmo jeito que enfrentamos problemas nas lojas "reais", também podemos enfrentar nas virtuais, como é o caso do contador Adriano Moisés Spatin, que se dirigiu ao Procon de Juiz de Fora, para reclamar contra um site de vendas.

Foto ilustração De acordo com Adriano, navegando por determinado site, ele encontrou uma promoção de uma TV de 29'', estéreo, que estava sendo anunciada pelo preço de R$ 699 ou 12 vezes de R$ 58,24, sem juros. O contador tentou comprar a televisão, mas não conseguiu. Resolveu ligar, então, para o site e se informar, talvez até comprar pelo telefone. Ao entrar em contato com o site, foi informado de que se tratava de uma oferta veiculada de forma equivocada e que já estavam providenciando as alterações. A oferta, na verdade, se tratava de uma TV de 21''.

Agora, Adriano aguarda a notificação do site e o que este irá resolver. Segundo ele, isso já havia lhe acontecido antes, em um outro site, quando ficou interessado pelo preço de um aparelho de karaokê. Mas, depois de contactada, a empresa admitiu o erro e acatou sua solicitação, concluindo sua compra pelo preço inicial veiculado.

Para quem não sabe, neste tipo de acontecimento, o consumidor tem amparo do artigo 35, inciso I, do Código de Defesa do Consumidor, que lhe dá o direito de receber o produto pelo preço que estava ofertado na publicidade, independente de estar errado ou não.

Apesar destes acontecimentos desagradáveis, Adriano afirma que, ainda assim, considera seguro e confiável realizar compras pela Net.

Dúvidas? Recorra ao Procon!
Foto ACESSA.com Segundo a superintendente do Procon-JF, Léa Burnier Ganimi Costa, a internet é realmente um facilitador, principalmente para aqueles que não têm tempo para fazer suas compras no horário em que o comércio está aberto.

"A comodidade é ótima, mas devemos tomar muitos cuidados na hora de realizar um contrato via internet", afirma. "É importante verificar não só o valor do produto, mas também o preço do frete, despesas adicionais, prazo de entrega e as condições de pagamento, para ter certeza absoluta de que a compra será mesmo vantajosa", adiciona.

Em 2004, o Procon registrou 19 reclamações referentes a compras via internet. Dessas 19, 11 foram atendidas, quatro estão em análise, uma não foi atendida e uma foi arquivada.

Principais reclamações sobre compras on line, recebidas pelo Procon-JF:

Propaganda enganosa 02
Produto com defeito 03
Contrato/Cláusula abusiva 01
Má prestação de serviços 02
Não cumprimento de oferta 04
Não entrega do produto no prazo estabelecido 04
Envio de produto sem solicitação 02
Não cumprimento de garantia 01

Clique aqui e confira as dicas para o consumidor
que compra pela internet

Leia mais sobre Comércio Eletrônico aqui!

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.